Avança a transformação digital no varejo brasileiro

Leia em 1min 40s

Solução em meios de pagamento e de análise de dados são as principais apostas das varejistas, segundo SBVC

 

 

 

Um estudo da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) identificou um aumento de 87% no investimento em transformação digital (0,73% sobre o faturamento bruto das empresas varejistas), segundo resposta dos varejistas entrevistados. Para as empresas do varejo, os investimentos em ferramentas utilizadas para a contribuição na transformação digital nas lojas físicas traduzem em melhora da experiência do consumidor e também em auxiliar a tomada de decisão do consumidor. Esses investimentos resumem-se em aumento do faturamento em vendas e aumento do engajamento do consumidor, principalmente em canais digitais, de acordo com os entrevistados. Ainda de acordo com a análise feita pela SBVC, 97% dos varejistas acreditam que líderes são co-criadores e trabalham em parceria com seus funcionários.

 

Em relação às principais ferramentas de transformação digital utilizadas no atendimento ao consumidor, estão soluções em meios de pagamento (94%) e análises de dados no ambiente online (77%). Soluções em logística (51%) é destacada como principal ferramenta de implementação nos próximos 12 meses.

 

Outro tema que têm atenção especial dos varejistas é o trabalho remoto, ou “home office”, que, em relação aos anos anteriores, houve crescimento significativo, passando de 23% em 2019, 62% em 2020, para 85% em 2021 das empresas que fazem seu uso.

 

“Sem dúvida são conclusões reveladoras, que sugerem uma maturidade da transformação digital nas empresas. Num momento em que mudança cultural e de comportamento vieram e continuam vindo à tona com a crise da covid-19. As empresas estão precisando ser muito ágeis, trabalhar em squads, times horizontais, atuar remotamente e usar tecnologia para vencer os desafios e continuar operando”, afirma Eduardo Terra, Presidente da SBVC.

Para a avaliação, as empresas ouvidas foram divididas por faturamento: 33% delas tinham faturamento até 500 milhões; 19% com faturamento entre 500 milhões e 1 bilhão de reais e 48% com faturamento acima de 1 bilhão de reais. E representam os maiores players do mercado, de 10 diferentes segmentos do varejo, incluindo o varejo alimentar.


Veja também

Hortifruti Natural da Terra lança programa para empreendedores

Em parceria com Fábrica de Startups, projeto estimula criação de produtos para soluçõ...

Veja mais
Juros dos empréstimos recuam em fevereiro, diz Banco Central

Taxa média caiu 6 pontos percentuais em 12 meses e chegou a 28,1% A taxa média de juros cobrados de f...

Veja mais
Carrefour entra no segmento de lojas autônomas

Com a bandeira Express, as novas unidades apostam em pagamento via Scan & Go   Alinhado às sua...

Veja mais
Confiança do brasileiro atinge pior nível desde o início da pandemia

Agravamento da crise sanitária e fim do auxílio emergencial estão entre os fatores deste cená...

Veja mais
JBS tem melhor resultado trimestral da história

No ano passado, companhia obteve crescimento em todos os principais indicadores de desempenho  A JBS ...

Veja mais
Assaí faz migração integral para o mercado livre de energia

 A medida, que potencializa as iniciativas em eficiência energética, tem previsão de ser conclu...

Veja mais
O novo e grandioso plano ambiental da JBS

 Companhia anuncia compromisso de zerar o balanço de emissões de gases causadores do efeito estufa&nb...

Veja mais
Sadia lança pratos premium e mira mercado de R$ 16 bilhões

Novidades são preparadas com método que mantém os nutrientes sem a necessidade de conservantes arti...

Veja mais
RB passa a se chamar Reckitt

Nova identidade corporativa será implementada ao longo dos próximos três anos O Grupo RB, que d...

Veja mais