Comércio eletrônico cresce 26% no semestre, puxado pela venda de TVs

Leia em 1min 40s

O faturamento com vendas por comércio on-line cresceu 26% no primeiro semestre deste ano no Brasil, chegando a R$ 16,06 bilhões. O principal destaque do período foi a comercialização de televisores: em junho, esses aparelhos representaram 48% dos eletrônicos vendidos pela web.

Trata-se de uma alta expressiva em relação aos 36% de participação que o produto registrou na categoria em fevereiro, de acordo com dados da consultoria E-bit.

Por causa disso, a empresa considera que a Copa do Mundo teve impacto positivo sobre o setor, apesar de, durante o evento, as vendas terem caído 15% em relação ao mês anterior: entre os dias 12 de junho e 13 de julho, quando aconteceu o Mundial, esse mercado faturou R$ 2,5 bilhões, contra R$ 2,9 bilhões dos 30 dias anteriores.

"O varejo reclamou bastante (do período do Mundial). Houve queda de tráfego. As pessoas estavam preocupadas com os jogos, em tomar cerveja na Vila Madalena", diz o diretor-executivo da E-bit, Pedro Guasti, em referência ao bairro de São Paulo que viveu dias de efervescência durante o evento.

Assim como aconteceu com outros produtos relacionados à Copa, o preço dos aparelhos de TV caiu no primeiro semestre nas vendas pela internet. Esses aparelhos ficaram 6,43% mais baratos no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2013, de acordo com o índice Fipe/Buscapé.

Em uma cesta de 13 categorias de produtos associados mais diretamente ao evento, que vão de cooler para bebidas a chuteira, os preços tiveram queda de 6,65% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado.

"Provavelmente as empresas pensaram que o nível de vendas estava baixo e aumentaram as ofertas", diz Guasti. No geral, os preços cobrados na internet caíram menos (1,46%).

Seguindo uma tendência que vem desde o ano passado, os produtos mais vendidos pela internet foram os da categoria moda e acessórios, que representaram 18% do volume total de pedidos. A lista segue com cosméticos, perfumaria e saúde (16%), eletrodomésticos (11%), livros e assinaturas de revistas (8%), telefonia (7%) e informática (7%).



Veículo: Diário do Comércio - MG


Veja também

GS1 apresenta Novo Centro de Inovação e Tecnologia em São Paulo

Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil) apresentou hoje à imprensa, espa&cced...

Veja mais
Transgênicos têm campo fértil no país

Desde que a biotecnologia foi adotada pelo agronegócio - há 20 anos no mundo e 17 anos no Brasil -, a busc...

Veja mais
Comércio eletrônico cresce 26% e fatura R$ 16 bilhões no primeiro semestre de 2014, segundo E-Bit

30ª edição do relatório WebShoppers prevê faturamento de R$ 35 bilhões até...

Veja mais
m-commerce, a bola da vez

Quanto mais exigente e imediatista é o consumidor, mais necessário é o uso da tecnologia para atend...

Veja mais
Cresce a demanda de cliente sênior em sites

A internet tem sido cada vez mais usada entre os brasileiros acima de 60 anos, seja em redes sociais como Facebook e Ins...

Veja mais
Brasileiros disputam venda de produto para gelar cerveja

Uma invenção que promete gelar a cerveja mais rápido virou motivo de acusações de pl&...

Veja mais
Empresa de sucos lança pulseira inteligente

Pulseira desenvolvida para empresa monitora exercícios e calorias queimadasA carioca Do Bem ficou conhecida por s...

Veja mais
Henkel Adhesive Technologies continua na liderança em inovação

Empresa investirá em startup de tecnologia de visores Vitriflex Como parte de sua estratégia, a Henke...

Veja mais
Pequenas expandem com produção de itens sem glúten

O interesse em uma alimentação mais saudável está aquecendo as vendas de alimentos sem gl&ua...

Veja mais