Pandemia acelera consumo de embalagem preferida dos brasileiros

Leia em 2min

O uso individual do produto disparou no primeiro semestre segundo entidade do setor

 

A latinha de alumínio é a embalagem para bebidas preferida pelos brasileiros. Prova disso é o crescimento constante do setor na última década. Mesmo com os problemas enfrentados com a pandemia da covid-19, o setor registrou mais um aumento expressivo no primeiro semestre deste ano frente ao mesmo período de 2020 (22,6%). Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas).

 

Nos primeiros seis meses deste ano, as latinhas que envasaram bebidas alcóolicas foram responsáveis pela ascensão de 19,7% das vendas. O resultado ampliou a liderança da embalagem no setor cervejeiro mostrando que principalmente os consumidores de cerveja optaram pela lata nos últimos meses. A cerveja e o energético são produtos que se destacaram neste período. Em relação ao formato, tem crescido as vendas do tipo sleek de 269 ml.

 

O presidente executivo da Abralatas, Cátilo Cândido, explica que, mesmo com a pandemia do coronavírus, o momento é de expansão para a indústria.

“Nos deixa orgulhosos ver um setor pujante, que num momento tão difícil como este, vem fazendo a sua parte com geração de empregos, renda e abrindo novas oportunidades de negócios”, declara.

 

Vale lembrar que, em 2020, o setor também registrou aumento de 7,3%.

“Além da chegada das três novas fábricas, também estamos ampliando as linhas de produção das existentes. Se analisarmos o Brasil, sob a perspectiva das latas de alumínio, veremos que o país entrou de vez no mapa de investimentos da nossa cadeia produtiva”, afirma Cândido.

 

As vantagens ambientais, a diversidade de produtos e uma inédita estreita relação com os consumidores são algumas das apostas do setor para os próximos anos.

 

Sustentabilidade

A latinha de alumínio é a embalagem mais sustentável do planeta. No Brasil, ela é responsável por um quarto de todo o alumínio comercializado e a taxa de reciclagem em 2020 foi de 97,4%, gerando renda para mais de 800 mil pessoas.

 

O elevado índice de reciclagem contribuiu historicamente para evitar a emissão de 19 milhões de toneladas de gases de efeito estufa entre 2005 e 2020, sendo 1,8 milhão de toneladas apenas no ano passado.

Além da sustentabilidade, a embalagem traz outras vantagens para o consumidor final como a variedade de produtos e formatos, além de favorecer o consumo individual e mais seguro.

 

Fonte: Exame


Veja também

Ser sustentável é imprescindível

Estudo da EY-Parthenon detalha como anda o cliente neste segundo ano de pandemia Resultado de um estudo que come&cc...

Veja mais
Tetra Pak ativa economia circular com baixo carbono

Em cinco anos, empresa dobrou taxa de reciclagem de suas embalagens no Brasil e deve zerar as emissões de g&aacut...

Veja mais
Fungo, a fibra que faltava

Produtos plant based ganham um novo capítulo com alimentos não processados e mais sustentáveis ...

Veja mais
Supermercados lideram uso de energia limpa no varejo brasileiro

Sete a cada dez instalações fotovoltaicas ocorrem no setor que desembolsa anualmente R$ 3 bi O volume...

Veja mais
ESG direciona empreitada de gigante na produção de ovos

Ovos à base de plantas é a nova aposta do Grupo Mantiqueira O Grupo Mantiqueira, de avicultura, &eacu...

Veja mais
Pelo bem do meio ambiente, supermercado adota nova solução de ecoponto

Bandeira da Companhia Sulamericana de Distribuição implementou coleta de esponja sintética Os ...

Veja mais
BRF e AES investem R$ 825 milhões em fonte limpa de energia

Joint-venture que une as duas empresas, reforça compromissos de sustentabilidade da BRF para os próximos 2...

Veja mais
PepsiCo anuncia rígido plano de gestão hídrica

Meta global ambiciosa visa fornecer água potável à cem milhões de pessoas até 2030 en...

Veja mais
Ambev recorre à startup para aumentar produção sustentável

Empresa argentina foi selecionada pela companhia para desenvolver projetos de embalagens que reduzem em 50% as emiss&oti...

Veja mais