PepsiCo anuncia rígido plano de gestão hídrica

Leia em 6min

Meta global ambiciosa visa fornecer água potável à cem milhões de pessoas até 2030 entre várias ações operacionais

 

A PepsiCo anuncia a meta de alcançar globalmente um impacto hídrico positivo até 2030 que vai permitir à companhia devolver para a sociedade mais água do que utiliza em seus processos produtivos, em especial nas regiões de grande escassez hídrica ao redor do mundo. Esse compromisso coloca a companhia entre as empresas de alimentos e bebidas – que operam em bacias hidrográficas de alto risco – mais eficientes em termos de gestão da água.

 

A eficiência em termos de redução será alcançada por meio da adoção de padrões de eficiência operacional de excelência, ou de classe mundial, no uso da águ em mais de mil instalações próprias e/ou de terceiros, sendo quase a metade delas em áreas de alto risco hídrico.

 

Aumentar o padrão de eficiência nessas instalações permitirá à PepsiCo reduzir seu uso de água em mais de 11 bilhões de litros por ano, o que representa 50% da quantidade de água que a companhia utiliza nesses locais. Em 2025, a PepsiCo também vai adotar o padrão da Aliança para a Gestão Sustentável da Água em todas as áreas de alto risco hídrico onde opera.

 

“O tempo está se esgotando para o mundo agir a respeito da água. A água não é apenas um componente fundamental do nosso sistema alimentar, é um direito humano fundamental. A falta de água limpa e segura em todo o mundo é um dos problemas mais urgentes que a nossa comunidade global enfrenta hoje”, avalia Jim Andrew, líder de Sustentabilidade da PepsiCo.

 

“A escassez de água está diretamente ligada às mudanças climáticas e na PepsiCo acreditamos que um esforço global para alcançar um impacto hídrico positivo é essencial. Estamos focados em garantir que as pessoas em todo o mundo tenham acesso a este recurso natural e em certificar-nos de que estamos priorizando a gestão da água em todas as nossas operações”. complementou.

 

Assim, novas e audaciosas metas vão guiar as ações operacionais da PepsiCo para a redução do uso absoluto de água e pelo reabastecimento das bacias hidrográficas locais com mais de 100% da água utilizada em instalações próprias e de terceiros em áreas de alto risco hídrico. Para alcançar um impacto hídrico positivo, a PepsiCo pretende proporcionar acesso à água potável a 100 milhões de pessoas até 2030.

 

A Fundação PepsiCo também anuncia um novo programa, em parceria com a WaterAid, que contará com investimento de US$ 1 milhão – para levar água potável a famílias na África Subsaariana. Esse investimento vai permitir melhorar a infraestrutura hídrica na região, construir novos sistemas de fornecimento de água e instalações de saneamento equitativas, além de promover a educação para a higiene.

 

O programa chega num momento crítico, em que a variante delta da covid-19 se propaga pelo mundo e integra ações que vêm sendo realizadas pela companhia desde 2006 e somam US$ 53 milhões em investimento para a promoção de acesso à água em mais de 20 países e que já beneficiou mais de 59 milhões de pessoas.

 

Na América Latina, o programa da Fundação PepsiCo opera na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e República Dominicana.

 

“No início da pandemia, aprendemos rapidamente que a lavagem das mãos e a higiene adequada são fundamentais para conter a propagação da doença. Porém, para milhões de pessoas em todo o mundo, o acesso à água continua sendo um luxo. Como resultado, milhões de vidas permanecem em perigo e, até que enfrentemos esta crise, a região continuará sendo especialmente suscetível a vírus como o da covid-19”, afirma C.D Glin, vice-presidente de Filantropia da PepsiCo. “Esta disparidade no acesso à água não só contribui para a gravidade da pandemia, como afeta muitas outras metas de desenvolvimento da região, incluindo a produção de alimentos, a igualdade de gênero, a resiliência climática e a diminuição da pobreza.”

 

“A Fundação PepsiCo é um parceiro incondicional da WaterAid em três continentes”, revela Kelly Parsons, CEO da WaterAid América. “Eles estão financiando programas essenciais, proporcionando flexibilidade para responder à pandemia e falando nitidamente sobre a importância do acesso à água potável para bilhões de pessoas que carecem dela. Estamos orgulhosos da parceria com a Fundação PepsiCo e comprometidos em fazer tudo aquilo que estiver ao nosso alcance para apoiar a meta da empresa de alcançar 100 milhões de pessoas até 2030. A aspiração da PepsiCo nos ajuda a chegar mais longe e a trabalhar com mais afinco em prol das pessoas que necessitam”.

 

Prioridades no Brasil

 

Com a forte escassez de chuvas nos últimos meses e uma matriz energética altamente dependente de hidrelétricas, o país vive uma situação de desabastecimento preocupante em diversas regiões. Nesse cenário, recentemente, junto à PepsiCo Foundation, a PepsiCo Brasil anunciou um investimento social privado de R$ 16,5 milhões no país, em iniciativas de Prosperidade Econômica, Segurança Alimentar e de Acesso à Água, com o objetivo de impactar mais de 2 milhões de pessoas nos próximos dois anos.

 

Nesse último eixo, a companhia desenvolveu parcerias especiais por meio do apoio à Water.org e o Aquafund, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), além do Banco do Nordeste, em projetos para o fornecimento de água para 52.000 pessoas no Nordeste do país. Além dessa ação, a PepsiCo mantém um projeto com a Habitat para a Humanidade para a instalação de estações de lavagem de mãos, reconstrução de banheiros, caixas d’água e outras melhorias estruturais para higiene em comunidades de São Paulo. Outro projeto desse pilar, é encabeçado pela The Nature Conservancy, que visa a restauração de aquíferos e recuperação de bacias hidrográficas brasileiras.

 

Com foco em economia de água, a PepsiCo também vem desenvolvendo uma série de iniciativas em suas fábricas no Brasil, que promoveram a redução de 3,57 L/Kg em 2015 para 2,05 L/Kg em 2020. Uma economia de mais de 599 milhões de litros no período de 2015 a 2020.

 

Na fábrica da PepsiCo em Itu – SP, existe ainda um complexo para reaproveitamento de água, pelo meio do qual já foram repotabilizados 162 milhões de metros cúbicos até 2020, o equivalente a 4 piscinas olímpicas por mês. Por meio de uma tecnologia pioneira no Brasil, a empresa economiza o total de 9.000.000 litros mensais, o que corresponde a 60% do consumo total da fábrica.

 

Em suas fazendas próprias e de produtores parceiros, o Agro da PepsiCo, por meio de sistema de manejo de água de irrigação na fazenda e fábrica de KERO COCO® economizou mais de 420 mil metros cúbicos de água por mês. Na cultura da batata, já houve uma redução de 60% do uso de água limpa, cerca de 50 milhões de litros desde 2018. Essa quantidade de água é suficiente para abastecer uma cidade de 65 mil habitantes por 7 dias no Brasil.

 

Para mais informações sobre a agenda de sustentabilidade da PepsiCo, consulte o Relatório de Sustentabilidade 2020 , com recursos multimídia disponíveis para download em https://pepsi.co/media.

Redação SuperHiper 


Veja também

BRF e AES investem R$ 825 milhões em fonte limpa de energia

Joint-venture que une as duas empresas, reforça compromissos de sustentabilidade da BRF para os próximos 2...

Veja mais
Ambev recorre à startup para aumentar produção sustentável

Empresa argentina foi selecionada pela companhia para desenvolver projetos de embalagens que reduzem em 50% as emiss&oti...

Veja mais
Com medidas simples, Bimbo gera impacto ambiental expressivo

Como consequência de iniciativas de alto impacto para o meio ambiente, companhia obterá economia milion&aac...

Veja mais
A próxima fronteira do plant based é o mar

Categoria já aporta recursos de 70 milhões de dólares na Europa e nos Estados Unidos “Is...

Veja mais
Iogurteria Nestlé terá garrafas de iogurtes feitas de plástico reciclado pós-consumo

Até setembro, todos os pontos de vendas no País já terão as novas garrafas de iogurtes Nestl...

Veja mais
KPMG revela as metas globais de ESG em consumo e varejo

Estudo foi realizado com 500 CEOs e traz as prioridades das empresas nos campos da sustentabilidade Pesquisa da KPM...

Veja mais
Atacadão renova equipamentos e bate meta de eficiência energética

Carregadores inteligentes de baterias para empilhadeiras geram economia de 25% nos gastos com energia elétrica&nb...

Veja mais
Heineken adquire caminhões elétricos

Com zero emissão de CO2, a nova frota busca atingir o compromisso da companhia de até 2040 reduzir o impac...

Veja mais
ESG parece, mas não é o mesmo que sustentabilidade

O termo ESG foi cunhado para chamar a atenção de investidores para os aspectos que deveriam ser considerad...

Veja mais