Setor de orgânicos cresce 30% no Brasil em 2020

Leia em 1min 50s

Apesar de toda a crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19, o setor de produtos orgânicos registrou uma alta de 30% nas vendas em 2020, movimentando R$ 5,8 bilhões, segundo levantamento da Organis – Associação de Promoção dos Orgânicos. O ano foi marcado, também, pelo avanço desses produtos para as cidades do interior do País.

 

Para o diretor da Organis, Cobi Cruz, os números mostram algo mais do que apenas um simples salto passageiro no consumo. “O aumento, em si, não chega a ser uma novidade, já que os orgânicos quadruplicam suas vendas entre 2003 e 2017 e cresceram 15% em 2019. Na verdade, esses 30% conquistados em tempos de crise apontam uma tendência: a consolidação de um novo cenário, na qual a alimentação saudável, a sustentabilidade e as relações de produção socialmente mais justas estão ganhando terreno no conjunto da sociedade”, diz ele.

 

Segundo Cobi Cruz, a aceleração repentina do mercado rompeu os limites dos grandes centros e chegou às cidades do interior do País – e, consequentemente, mostrou que os produtores orgânicos estão preparados para suprir esse e outros aumentos da demanda. “Se existia preconceito e desinformação sobre a capacidade de produção dos orgânicos, a própria realidade acabou por derrubar esse mito”, afirma.

 

Vendas de cestas e delivery

 

Os números comprovam que os empreendedores do setor obtiveram expressivo aumento de produtividade e foi isso que, por sua vez, possibilitou atender a essa demanda 30% maior em um período no qual o incremento de novas unidades orgânicas cadastradas no Ministério da Agricultura foi de 5,4%.

 

Outro dado importante de 2020, segundo a Organis, foi o amadurecimento das relações do movimento orgânico com distribuidores e pontos de venda, inclusive as grandes redes de supermercados. Houve também um grande incremento dos orgânicos no comércio online, nas entregas programadas de cestas e em vários formatos delivery.

 

Para 2021, a Organis projeta um crescimento de 10%. “É um bom número de trabalho, equilibrado, que serve para o mercado dos orgânicos planejar e investir. Mas, se houver crescimento acima desse patamar, como em 2020, estamos prontos para os ajustes e, principalmente, para buscar a inovação em todos os momentos. Dinamismo e poder de reação rápida são características do nosso movimento” diz Cobi Cruz.


Fonte: Newtrade 


Veja também

Comércio antecipa venda de ovos de Páscoa para não repetir 2020

2021 começou meio esquisito. A venda de ovos de Páscoa começou mais cedo neste ano. Na segunda quin...

Veja mais
Faturamento do atacado distribuidor cresce 4,29% no acumulado de 2020

De acordo com pesquisa realizada pela ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores) com um ...

Veja mais
Preço da maçã, banana e melancia sobe forte em dezembro, aponta Conab

Os preços da maçã, banana e melancia subiram fortemente na maioria dos mercados em dezembro, mostra...

Veja mais
Mercado de beleza cresce no Brasil durante a pandemia

De acordo com o provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International, o Brasil é o quarto maior mercado de b...

Veja mais
76% dos brasileiros começaram a consumir em comércios locais durante a quarentena

Uma pesquisa realizada pela Mastercard, no fim de 2020 para compreender melhor os hábitos de compras dos consumid...

Veja mais
Nova lei de rotulagem aprovada pela Anvisa impactará o mercado de alimentos e bebidas

 As marcas brasileiras precisam se preparar para a implantação da nova norma de rotulagem nutricional...

Veja mais
Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020 alcançou R$ 871,3 bilhões, torna...

Veja mais
Nestlé lança mercado online em parceria com a Packk

Com o foco em ajudar os pequenos comerciantes de todo o país a montarem um e-commerce sem custo de entrada e mens...

Veja mais
IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020

A safra nacional de grãos deve atingir mais um recorde, o terceiro consecutivo, neste ano, com 260,5 milhõ...

Veja mais