Heineken incrementa logística no varejo

Leia em 2min

Operação de distribuição das próprias marcas, antes feita pela Coca-Cola Femsa, foi antecipada pela fabricante

 

Quatro anos após desembarcar com a compra da Brasil Kirin, dona da Schin, o grupo Heineken assume a distribuição de suas principais marcas de cerveja: Heineken e Amstel.

As marcas da cervejaria holandesa eram distribuídas pelo Sistema Coca-Cola, que, pelo acordo firmado no início do ano após uma acirrada disputa arbitral, continuará responsável pela distribuição até 2026, de Kaiser, Bavaria, Sol, Eisenbahn e, agora, também da novata Tiger marca da Singapura que a Heineken acaba de lançar no Brasil.

 

Com o novo arranjo na distribuição, o segundo grupo cervejeiro do país, com cerca de 20% do mercado, atrás de Ambev com 55%, reforça a sua rede logística com a inauguração de mais dois centros de distribuição: um no Rio e outro em Poços de Caldas(MG).

 

A nova estrutura de distribuição inclui ainda acordos com três novas revendas exclusivas, que vão incrementar em 20% o volume de clientes, para mais de 1 milhão de pontos de venda, além de garantir uma maior cobertura territorial. A frota própria e da rede de revendas foi ampliada em 25% somando 2350 caminhões.

 

O novo CD do Rio ocupa uma área de 5.500 m² e está localizado no bairro de Cordovil, na zona norte. É o segundo CD da Heineken no Rio e o terceiro maior da empresa, que possui mais de 30 CDs no país. Com 277 colaboradores, o novo CD vai abastecer a capital, a Baixada Fluminense e Costa Verde e tem capacidade para armazenagem de 4,5 milhões de litros mensais. O CD de Jacarepaguá, inaugurado em 2018, tem 118 funcionários.

 

Já o CD de poços existe desde 2017, mas triplicou de tamanho para atender mais de 100 cidades do Sul de Minas. O espaço contará uma com uma área de 5.100 m², um volume de vendas de 1,4 milhão de litros por mês e mais de 90 colaboradores diretos.

 

O acordo firmado em fevereiro antecipou para setembro a transferência da distribuição das marcas Heineken e Amstel prevista originalmente para durar até 2022. O acordo deixou a Coca-Cola livre para entrar no mercado de bebidas alcoólicas e a marca mostrou que tem sede: há 20 dias, a Coca Cola Femsa anunciou a compra da Cervejaria Therezópolis.

 

Fonte: Capital


Veja também

Ambev lança produto inspirado em Munique

Companhia amplia portfólio no mercado de puro malte às vésperas da tradicional festa mundial da cer...

Veja mais
Consumo de vinhos segue aquecendo as vendas

O cenário de vinhos no Brasil não só permanece em constante crescimento nesta pandemia como tamb&ea...

Veja mais
Ambev traz nova marca de cerveja regional

A primeira cerveja produzida com ingredientes 100% catarinenses já está no mercado. Trata-se de uma parcer...

Veja mais
Cerveja Therezópolis é comprada por Coca-Cola FEMSA e Andina

Negócio faz parte da estratégia da Coca-Cola para completar o portfólio no Brasil. Anúncio a...

Veja mais
Ambev lança divisão para diversificar atuação em alcoólicos

A Future Beverages chega ao mercado com um portfólio de oito marcas, entre elas, a Hard Seltzer com água g...

Veja mais
Pepsi vende marcas de sucos

Procura por bebidas saudáveis e sem açúcar, tem levado a companhia a realizar uma grande revis&atil...

Veja mais
Venda de vinhos bate mais um recorde

Vinícolas brasileiras comemoram o salto expressivo nas comercializações dos rótulos nacionai...

Veja mais
Wine quer acelerar a venda de vinho nos supermercados

Experiência no mundo digital com 250 mil assinantes faz a empresa dar um novo passo no varejo brasileiro Depo...

Veja mais
Venda de cervejas premium surpreende mercado

A pandemia trouxe mudanças no market share e acirrou a concorrência entre as cervejas mais caras Os se...

Veja mais