JBS antecipa em cinco anos meta de desmatamento ilegal zero

Leia em 1min 30s

O compromisso será adotado em toda a cadeia produtiva incluindo fornecedores nos biomas do Cerrado, Pantanal, Caatinga, Mata Atlântica e Amazônia

 

A JBS, segunda maior empresa de alimentos do mundo, anunciou que antecipou de 2030 para 2025 sua meta de desmatamento ilegal zero para a cadeia de fornecimento de bovinos, incluindo os fornecedores terceiros, nos biomas Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica e Caatinga, mesmo prazo já estabelecido para a Amazônia.

 

Segundo a companhia, a antecipação se deve ao avanço da Plataforma Pecuária Transparente, que estende o monitoramento aos “fornecedores dos fornecedores de gado”, com uso de tecnologia blockchain.

“Fomos surpreendidos positivamente”, disse à Reuters o diretor de Sustentabilidade da JBS, Márcio Nappo, sobre a adesão da plataforma de monitoramento entre os pecuaristas.

 

Ele afirmou que a adesão foi positiva tanto na Amazônia quanto nos demais biomas, permitindo avançar no monitoramento das fazendas, inclusive de fornecedores terceiros, em uma velocidade mais rápida do que se esperava inicialmente.

 

“Estamos em um momento maduro da cadeia de valor, de fornecimento… O pecuarista entendeu que ele precisa respeitar a regularização ambiental e fazer negócio com um mercado mais amplo”, afirmou ele.

 

Nappo ressaltou que não vê a sustentabilidade como um diferencial de competitividade, “mas claro que quem não atender essa agenda ESG (sigla em inglês para ambiental​, social e governança) vai ter cada vez mais dificuldade de colocar seu produto no mercado”.

 

Ele também disse que, até 2025, a companhia deve se empenhar em auxiliar os pecuaristas na resolução de passivos ambientais, por meio da assistência técnica prestada pelos “Escritórios Verdes”.

“Os avanços na cadeia de fornecimento se alinham ao Compromisso Net Zero 2040, anunciado pela JBS em março deste ano”, reforçou a empresa.

 

Nesta semana, a concorrente BRF anunciou medida semelhante, com o compromisso de zerar suas emissões líquidas de carbono até 2040.


Redação SuperHiper 


Veja também

Bimbo inova e coloca fitilho sustentável nos pães

A ação pioneira no mercado brasileiro atinge 48% da produção dos alimentosA Bimbo Brasil lan...

Veja mais
Relatório global de sustentabilidade 2020 da PepsiCo mostra avanços do Grupo

Documento aponta as diretrizes para a construção de um sistema alimentar mais sustentável e as a&cc...

Veja mais
Grupo Heineken anuncia meta de ser carbono neutro no Brasil até 2040

O Grupo Heineken anuncia um compromisso para neutralizar as emissões de carbono em toda a sua cadeia de valor at&...

Veja mais
O consumidor quer saber a origem do alimento, afirma Tereza Cristina

 Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento participa de evento com empresários e avalia princ...

Veja mais
Nestlé inicia programa de reciclagem de embalagens de chocolates e biscoitos

A Nestlé acaba de lançar uma iniciativa que concilia a reciclagem de embalagens laminadas de chocolates e ...

Veja mais
Heineken anuncia 100% de energia renovável em 3 fábricas no Brasil

O Grupo Heineken anunciou no dia 18 que vai utilizar 100% de energia renovável em todo o processo produtivo e de ...

Veja mais
Coca-Cola é a primeira companhia com garrafas 100% recicláveis

Durante a pandemia, a Coca-Cola prosseguiu com sua estratégia global ‘World Without Waste’ (Um mundo ...

Veja mais
Pague Menos realiza o plantio de mudas em manguezais

O plantio das 1500 mudas, em parceria com a ONG Ecomuseu Natural do Mangue, faz parte da Campanha Cidade Verde 2020, e f...

Veja mais
Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens

As mudanças dos hábitos de consumo durante a pandemia do novo coronavírus, com as pessoas em casa e...

Veja mais