Vendas do autosserviço nacional acumulam alta de 5,94%

Leia em 1min 50s

O setor supermercadista acumula alta real (deflacionada pelo IPCA/IBGE) de 5,94% até outubro na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade. Em relação a outubro de 2019 a alta foi de 12,43%, e de 7,35%, quando comparado ao mês de setembro de 2020.

 

"O nosso resultado acumulado reflete o comportamento do consumidor adquirido na pandemia, que continua priorizando o consumo dentro do lar, e a continuidade do auxílio emergencial. Um crescimento acima do esperado pelo setor para o ano. A projeção inicial da ABRAS, divulgada em janeiro de 2020, estava em 3,9%. Acreditamos que nos próximos meses os números devem se manter no patamar de 5%", destaca o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto.

 

Abrasmercado

 

Em outubro, o *Abrasmercado registrou alta de 3,56% na comparação com setembro, passando de R$ 576,40 para R$ 596,93. No acumulado dos 12 meses (outubro2019/outubro2020), o valor da cesta subiu 26,49%. As maiores quedas nos preços foram registradas nos produtos: cebola, -20,71%, farinha de mandioca, -7,98%, desinfetante, -2,93%, leite longa vida, -2,86%, e biscoito cream cracker, -2,57%. As maiores altas foram nos itens: batata, 40,27%, tomate, 20,21%, óleo de soja, 20,07%, arroz, 12,37%, e frango congelado, 8,12%.

 

Regiões

 

No mês de outubro todas as regiões brasileiras registraram alta no preço da cesta Abrasmercado. A Região Nordeste foi a que apresentou a maior variação positiva, 4,29%, e passou de R$ 503,56, em setembro, para R$ 525,16, em outubro. Veja mais na tabela abaixo.

 


 

*A cesta Abrasmercado não é a cesta básica, mas, sim, uma cesta composta por 35 produtos mais vendidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica. (Clique aqui)

 


Confira abaixo a tabela com o histórico do indicador Abrasmercado:

 


Índice de Confiança

 

Os empresários de supermercados estão mais otimistas, de acordo com o último Índice de Confiança do Supermercadista, elaborado pela ABRAS em parceria com a GfK, em outubro, que chegou a 60,8 pontos (numa escala de 0 a 100) ante 59,1 pontos registrados em agosto. O resultado foi impactado pelas perspectivas de retomada da economia. 

 


 

Clique aqui e confira a apresentação.

 

 

Comunicação ABRAS

 


Veja também

ABRAS pede ao governo federal prioridade de vacinação contra a Covid-19 para trabalhadores essenciais

  O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Sanzovo Neto, part...

Veja mais
ABRAS e GfK iniciam pesquisa inédita com as redes supermercadistas

   A Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) em parceria com a GfK está iniciando ...

Veja mais
Frutas, legumes e verduras terão 4,32% de impostos na composição de seus preços a partir de janeiro

A partir de 15 de janeiro de 2021, produtos como carne, leite, hortifrutis, pães e congelados terão at&eac...

Veja mais
Vendas dos supermercados em Minas Gerais aumentam 10,78%

Os novos hábitos dos consumidores, que passaram a ficar mais tempo em casa por causa das medidas de isolamento so...

Veja mais
SP lança plataforma digital para conectar cerca de 114 mil produtores a compradores

Uma nova plataforma do governo de São Paulo pretende conectar cerca de 114 mil pequenos e médios produtore...

Veja mais
ABRAS celebra posse da nova diretoria em evento na capital federal

 Presidente eleito para o biênio 2021-2022, João Galassi Presidente João Sanzovo Neto ...

Veja mais
João Galassi é eleito presidente da Associação Brasileira de Supermercados

  João Galassi, novo presidente da ABRAS O empresário e líder setorial João G...

Veja mais
Presidente da ABRAS participa da abertura da Mercosuper Digital

  Abertura oficial da Mercosuper Digital Presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto Presidente da...

Veja mais
Consumidor do Futuro será mais conectado, exigente e seletivo

  O comportamento de compra das pessoas já demonstra sinais de como será o consumidor do futuro....

Veja mais