O supermercado do futuro será baseado em dados e tecnologia

Leia em 1min 50s

 

Por Adriana Silvestrini do Rio de Janeiro

 

  

Alberto Serrentino da Varese Retail

 

Eduardo Terra da SBVC

 

Com olhos e ouvidos muito atentos, os supermercadistas presentes à Convenção Abras 2019 acompanharam as ideias e valiosos conceitos trazidos por Alberto Serrentino, consultor e fundador da Varese Retail, e Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).

 

Em sua apresentação,  Serrentino deu o recado: “Vamos ter que ter negócios genuinamente obcecados no cliente”. Ele bate na tecla de que o varejo terá que estar, cada vez mais, centrado no cliente. Segundo o especialista, os varejistas terão que entender como as pessoas se comportam, suas jornadas de compra e o que acontece com o cliente antes, durante e depois de seus processos de compras. “Se as empresas não conseguirem entender como os clientes se comportam até chegar a loja, pode ser que alguém que o entenda, capture esse consumidor”, alerta o consultor.

 

Um importante aliado para esse entendimento é a captura e, especialmente, o uso de informações dos clientes. “Não dá para capturar dados somente quando as pessoas fazem as compras. O desafio e a necessidade é capturar dados quando as pessoas não estão em contato com as marcas. Isso é muito mais desafiador e vai exigir uma inteligência mais analítica. As empresas vão precisam ter estruturas muito mais horizontais e mais ágeis. A principal mudança do supermercado do futuro não vai ser a cara da loja, vai ser o papel dela no modelo de negócio diferente”, conclui.

 

Na sequência, Eduardo Terra, presidente da SBVC, propôs a todos fazerem o exercício estratégico de olhar para frente e pensar como será o supermercado do futuro. “A gente tem certeza que ele será bem diferente do que é hoje. Um bom exemplo é o que está acontecendo na China, que está dois, três anos à frente dos Estados Unidos em termos de mercado de consumo.”

 

Terra também chama atenção para dados e tecnologia. “Dados estão em todos os lugares e é possível capturá-los em todos os pontos de contato”, reforçou. Ele cita pesquisa do Google que aponta que, em média, por dia os brasileiros acessam 150 vezes o celular. “Dados vencem as opiniões. O supermercado do futuro será baseado em dados e tecnologia”, enfatiza Terra.

 

Redação Portal ABRAS

 


Veja também

O omnichannel na prática é o futuro, diz, Peter Estermann em painel na Convenção Abras

  Presidente da ABRAS, João Sanzovo NetoPeter Estermann, diretor-presidente do Grupo GPAPor Wagner...

Veja mais
O premium é cada vez mais pop entre os consumidores de cerveja

 Por Wagner Hilário, do Rio de Janeiro “Em 2010, as cervejas premium respondiam por 3% do volume ...

Veja mais
Consinco defende a transformação digital no varejo

Por Adriana Silvestrini, do Rio de Janeiro  Silvio Sousa da Consinco Durante palestra realizada na Conven&cced...

Veja mais
Qualidade de dados: bom para as decisões e redução de custos

Por Giseli Cabrini, do Rio de Janeiro  Flávia Ponte Costa da GS1 Brasil Ter uma base de dados confi&aac...

Veja mais
Tecnologia como aliada para simplificar a jornada de compra

Por Giseli Cabrini     Frederico Santos do Sonae Tecnologia não como soluçã...

Veja mais
Balanço Rama discute o protagonismo do setor no abastecimento dos lares

 Por Giseli Cabrini e Adriana Silvestrini, do Rio de Janeiro Alinhar os novos anseios dos brasileiros ao dia a...

Veja mais
Convenção Abras é aberta com discursos em defesa do empreendedorismo brasileiro

 Por Wagner Hilário, do Rio de Janeiro  Presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto  S...

Veja mais
Mesmo com cenário de retração, super, farma, C&C e e-commerce se destacam em 2018

O ano de 2018 fechou abaixo das expectativas de recuperação previstas. Apesar da inflação so...

Veja mais
Mudanças econômicas e sociais nos últimos anos ditam as transformações no consumo

O ano de 2018 mostrou que mudanças geracionais e macroeconômicas foram, mais uma vez, determinantes no comp...

Veja mais