Vendas na semana de Páscoa crescem 1,9%, diz Serasa Experian

Leia em 1min 30s

O Indicador da Serasa Experian de Atividade do Comércio - Páscoa mostra que as vendas nacionais no varejo físico cresceu 1,9% durante a semana santa, de 29 de março a 4 de abril.

A ligeira alta acontece em relação ao índice negativo registrado ano passado (6 a 12 de abril de 2020), que chegou a 23,8%, o pior resultado de toda a série histórica, iniciada em 2007.

 

As celebrações da semana santa e do domingo de Páscoa ocorreram pelo segundo ano consecutivo com medidas de restrição em todo país para evitar mais contaminações pelo novo coronavírus.

De acordo com índice, no fim de semana de Páscoa, levando em conta apenas os dias de 2 a 4 de abril de 2021, houve queda de 9,5%, com relação ao período de 10 a 12 de abril de 2020.

 

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, o agravamento da pandemia e as medidas de distanciamento social em muitas cidades impactaram o índice. "As pessoas precisaram se adequar para fazer as compras, uma vez que os comércios que ainda seguem abertos funcionaram em horários reduzidos. Isso fez com que os consumidores se programassem melhor durante a semana e não realizassem compras de última hora, o que acabou se refletindo nos dados das vendas", disse.

 

Diferente de outros anos, em que os estoques de ovos de chocolate eram vendidos majoritariamente nos últimos três dias anteriores ao domingo de Páscoa, desta vez a maioria dos produtos típicos foi comercializada com maior antecedência.

 

Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, os estabelecimentos de Porto Alegre contabilizaram queda de até 5% nesta Páscoa. Produtos mais baratos e com menor valor foram as principais alternativas da população como aponta Cesa Longo. "Em lugar do ovo de chocolate grande, o consumidor adquiriu três ou quatro caixas de bombons ou pequenos ovos, presenteando pessoas importantes do seu convívio", disse.


Fonte: Agência Brasil

 


Veja também

Insumos derrubam margem do produtor de leite em 50%

Dados do Centro de Inteligência do Leite (CILeite), da Embrapa Gado de Leite, mostram que mesmo com avanço ...

Veja mais
Tomate acumula alta de preço de mais de 30% em Belém

O preço do quilo do tomate apresentou alta cumulada nos últimos 12 meses de 33%, segundo o Dieese Par&aacu...

Veja mais
Embalagens e alimentos têm `mínima probabilidade de espalhar` coronavírus

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos publicou um novo documento informando que é ...

Veja mais
Safra de grãos deve ser recorde em 2021, diz IBGE

O Brasil deve registrar, em 2021, safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas, segundo estimativa de janeiro do ...

Veja mais
Setor de orgânicos cresce 30% no Brasil em 2020

Apesar de toda a crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19, o setor de produtos orgânicos registrou u...

Veja mais
Comércio antecipa venda de ovos de Páscoa para não repetir 2020

2021 começou meio esquisito. A venda de ovos de Páscoa começou mais cedo neste ano. Na segunda quin...

Veja mais
Faturamento do atacado distribuidor cresce 4,29% no acumulado de 2020

De acordo com pesquisa realizada pela ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores) com um ...

Veja mais
Preço da maçã, banana e melancia sobe forte em dezembro, aponta Conab

Os preços da maçã, banana e melancia subiram fortemente na maioria dos mercados em dezembro, mostra...

Veja mais
Mercado de beleza cresce no Brasil durante a pandemia

De acordo com o provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International, o Brasil é o quarto maior mercado de b...

Veja mais