Entidade

Palavra do Presidente

A era da alta performance já começou

 

 

Em um cenário em que o consumidor brasileiro tem cada vez mais opções de escolhas em relação à oferta de pontos de venda, sejam eles físicos ou digitais, nunca se fez tão necessário que o varejo supermercadista estude e invista na melhoria da sua eficiência e performance. E, neste contexto, não é apenas a crescente disponibilidade de pontos de contato que orienta este novo paradigma do varejo.

Diversos outros elementos também dão sua parcela de contribuição para ampliar o nível de complexidade deste ecossistema, como as constantes novidades trazidas pela indústria às gôndolas dos supermercados, as exigências e mudanças dos consumidores e novas e importantes pautas que surgem a todo instante, como a agenda ESG e as inovações tecnológicas, que ganharão um novo impulso com o advento do 5G no País.

Os ingredientes desta cesta não param por aí. Um recente relatório da KPMG aponta diversos riscos relacionadas à indústria de consumo e varejo para o próximo ano. Neste estudo, há questões como compliance e riscos regulatórios; o não atendimento às responsabilidades corporativas e sociais e a dificuldade em atrair e reter pessoal qualificado; reputação e ética; rentabilidade, liquidez e risco de fraudes; saúde, segurança e meio ambiente; pressão crescente para atender a demanda imprevisível dos clientes; acentuação da concorrência; dentre outros fatores.

Dessa forma, cada supermercadista precisa ter ainda mais atenção com os fundamentos essenciais para a operação varejista, como as pessoas, processos, soluções e cultura. Tudo isso para que consigam agir rápido e, principalmente, mensurar os efeitos de cada passo e decisão nas vendas e no seu ambiente organizacional. Afinal, como diz a popular expressão, o que não é medido não é gerenciado. Tão pouco pode ser melhorado.

Qual sua taxa de conversão? De quanto é seu market share nas áreas onde atua? Qual é o seu retorno sobre os investimentos realizados? Quanto você vende por metro quadrado? Qual sua taxa de turnover?

De quanto é a taxa de satisfação dos seus clientes? Quantos funcionários por metro quadrado suas lojas possuem? Quais são os itens que, neste momento, estão girando menos dentre as categorias que você vende na sua loja? De quanto é o seu Ebitda?

A verdade é só uma: quem tem essas e outras respostas está vários passos à frente de quem não as tem. É por isso que a busca constante da melhoria da performance varejista deve ser tratada com cada vez mais profundidade e amplitude. Produzir mais e melhor e ter clareza dos resultados. 

Por isso mesmo que a ABRAS, diante da sua missão de trabalhar pelo progresso do setor, abriu uma nova agenda, disponibilizando o Smart Market, cuja cobertura com seus principais insights estará na próxima edição de SuperHiper. Trata-se de um inovador e inédito evento, destinado a discutir performance dentro das empresas de supermercados, analisar como é possível elevar a performance dentro do setor supermercadista e tratar as melhores práticas, os grandes desafios do setor e o cotidiano das empresas, tudo isso sob a ótica dos maiores supermercadistas do Brasil. O evento foi organizado em comunidades de alto desempenho especializadas em gestão, performance e negócios de supermercados. São elas: comercial; financeiro; jurídico; tecnologia; expansão-obras-engenharia; marketing, pessoas e operações — o que contempla pilares fundamentais de qualquer negócio. 

Um importante detalhe é que essas comunidades de supermercadistas serão permanentes, tendo como ponto de conexão grupos exclusivos no LinkedIn. Entre no site da entidade e veja como participar. Está aí mais um legado da ABRAS para todos os supermercadistas do Brasil. Vamos trabalhar!

 

João Galassi

Presidente da ABRAS  

Atualizado em Maio de 2022