(440)
Perdas
Apresentação
Pesquisa 2019
Pesquisa 2018
Pesquisa 2017
Pesquisa 2016
» Pesquisa 2015
Pesquisa 2014
Pesquisa 2013
Pesquisa 2012
Pesquisa 2011
 
Você está em:

Economia e Pesquisa

Fórum trás dimensão global à prevenção de perdas 

 

 

15º Avaliação de Perdas nos Supermercados Brasileiros 2015 (clique aqui para baixar o PDF).

 

 


"Varejo e indústria, unidos na redução de perdas" foi o mote do III Fórum Abras de Prevenção de Perdas, realizado no dia 12 de agosto e pela primeira vez na sede da Associação Brasileira de Automação, mais conhecida como GS1 Brasil, localizada na zona sul da capital paulista. Com duração de mais de doze horas, o fórum trouxe a 15ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro, pesquisa que fornece dados abrangentes sobre os percentuais, valores e as principais causas de perdas em todo o varejo alimentar do País.


O evento, também, ensejou discussões entre os elos da cadeia, indústria e varejo, com a finalidade de encontrar soluções sinérgicas para prevenir perdas, trouxe cases nacionais e internacionais de empresas supermercadistas, que, hoje, são referência nessa área, e ainda apresentou soluções tecnológicas, bastante úteis a esse trabalho.


O Fórum foi aberto pelo vice-presidente da Abras, Marcio Milan, que destacou o caráter global da prevenção de perdas, sobretudo quando visto sob o prisma do desperdício de alimentos, da produção e do consumo sustentáveis. "A redução do desperdício de alimentos não é mais, apenas, uma demanda do setor e de suas áreas de prevenção, é uma demanda internacional e envolve governos. Estive em Brasília, recentemente, e o governo tem a meta de reduzir, pela metade, até 2030, o desperdício de alimentos no País. Nós, como varejo alimentar, somos parceiros nessa missão", disse.


Depois, coube ao coordenador, pela Abras, do Comitê Abras de Prevenção de Perdas, Marcos Manea, explicar ao público presente a metodologia da Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro, seus resultados, referentes ao ano de 2014, e compará-los com os de 2013. "As perdas, em 2014, sobre o faturamento líquido, foram de 2,93%, contra 2,52% em 2013."


Manea ponderou que a principal razão para esse incremento foi a qualificação da base de dados da pesquisa, que cada vez mais tem, entre seus participantes, empresas com um departamento de Prevenção de Perdas bem estruturado e com bom nível de aferição. Tanto é que, em 2014, 65% dos respondentes da pesquisa disseram ter um departamento de Prevenção de Perdas, contra 61% em 2013.


Ao longo do evento, foram apresentados dois cases de supermercadistas (rede Laranjão, do interior paulista, e Continente, de Portugal) que fizeram ótimo trabalho de aculturação com seus colaboradores, no sentido de torná-los, dia a dia, mais eficientes e em constante aprimoramento. O motivo desse trabalho, obviamente, foi conferir maior eficiência e excelência operacional, em todas as áreas, às companhias, o que funcionou.


Entre as empresas de bens de consumo, parceiras do setor, marcaram presença e palestraram, representantes da área de Logística da AmBev e da área de Marketing da P&G, que discutiram, com os supermercadistas, soluções para problemas de operação e perda, que afetam, negativamente, toda a cadeia de abastecimento e não apenas o varejo.


Fornecedores de soluções, para prevenir e identificar perdas, também participaram do evento. Executivos da Seal, da GS1 Brasil, do Grupo CCRR e Gunnebo Gateway palestraram sobre algumas de suas soluções e de que maneira elas podem ser úteis para prevenir perdas. Essas empresas patrocinaram o evento, que também teve apoio da Barilla e da Top Sistemas.


Atualizado em 20 de Agosto de 2015.