Brasil tem recorde de empresas abertas no segundo quadrimestre do ano

Leia em 6min 30s

 

Mapa de Empresas aponta que 1,4 milhão de novos negócios foram iniciados de maio a agosto de 2021; tempo médio para criar empreendimento foi reduzido

 

O novo Boletim do Mapa de Empresas do Ministério da Economia, divulgado nesta quinta-feira (30/09), revela que o Brasil obteve mais uma vez recorde no número de empresas abertas em um quadrimestre, alcançando a marca de 1,4 milhão de novos negócios. O saldo positivo de empresas a mais em funcionamento no país de maio a agosto de 2021 chegou a 936.229. Esse saldo é a diferença entre todos os negócios abertos (1.420.782) e fechados (484.553) no período. O total de empresas ativas no Brasil é de 18.440.986.

 

De acordo com o boletim, esse último quadrimestre segue a tendência já observada nos períodos anteriores, em que o número de empresas abertas ultrapassou a marca de 1 milhão. O crescimento mais acentuado registrado nos meses de maio a agosto de 2021 representa aumento de 1,9% em relação ao quadrimestre anterior e de 26,5% em comparação com o mesmo período de 2020. 

 

O Mapa de Empresas aponta ainda que a região Norte é um dos destaques na abertura de empresas no país no período de maio a agosto, com quatro estados entre os cinco primeiros no ranking que mede o crescimento percentual de negócios abertos. O Acre foi o estado que apresentou o maior crescimento percentual no período, com aumento de 26,6% em relação aos primeiros meses de 2021 e de 41,7% quando comparado com o segundo quadrimestre de 2020. Em seguida no ranking estão os estados do Amapá, Rondônia, Alagoas e Roraima. 

 

Vale destacar que nesses cinco estados o empreendedor já conta com a assinatura eletrônica do GOV.BR para facilitar a abertura do seu negócio, o que torna o processo mais simples e ágil. Para o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Mario Paes de Andrade, as ações de transformação digital de serviços públicos promovidas pelo Governo Federal têm papel fundamental para a melhoria do ambiente de negócios no país. 

 

“O Governo Federal tem coordenado ações para que todas as etapas do processo de abertura de empresas tenham respostas automáticas para o usuário. Isso evita deslocamentos desnecessários por parte dos empreendedores e fornece procedimentos mais ágeis. O uso da assinatura do GOV.BR nas juntas comerciais, por exemplo, tem reduzido os custos e o tempo para que o usuário tenha seu negócio formalizado. Os recordes em registros de novas empresas reforçam cada vez mais a opção do brasileiro pelo empreendedorismo e criação de novos negócios”, destaca o secretário.

 

A atividade econômica que representou o maior fluxo de novos negócios foi a de comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, com 82.943 novas empresas abertas. Desse modo, houve um aumento de 11% em relação aos primeiros meses de 2021 e de 20,7% em relação ao 2º quadrimestre de 2020. Outros ramos que tiveram destaque foram os de promoção de vendas (67.888 abertas), cabeleireiros, manicure e pedicure (46.137 abertas) e obras de alvenaria (45.957 abertas).

 

Tempo de abertura reduzido

O ambiente de negócios no Brasil também apresentou desempenho positivo com relação ao tempo de abertura de empresas. O tempo médio registrado no segundo quadrimestre de 2021 foi de 2 dias e 16 horas. São 13 horas a menos do que o registrado nos primeiros quatro meses do ano. Se comparado com o mesmo período de 2020, houve uma redução de 5 horas. 

 

Segundo o Mapa de Empresas, o estado de Goiás se destaca com o menor tempo para abertura de negócios no período: 1 dia e 2 horas, o que representa uma queda de 16 horas (38,1%) em relação ao primeiro quadrimestre deste ano. Além disso, Goiânia conquistou neste último quadrimestre o posto de mais ágil abertura entre as capitais, com tempo médio de 18 horas. Completam a lista de capitais mais ágeis as cidades de Maceió (AL), Curitiba (PR), Brasília (DF) e Natal (RN), todas com tempo menor que dois dias. 

 

No cenário das capitais, destaca-se ainda o avanço do município de Salvador. A abertura de empresas na capital da Bahia, que chegou a ser feita em 31 dias, hoje é realizada em 2 dias e 19 horas. Com isso, o município avançou no ranking nacional de tempo de abertura de negócios entre as capitais do país. A conquista é fruto da integração da capital à Junta Comercial do estado, de modo que os procedimentos necessários para criar um empreendimento são realizados no site da junta, sem a necessidade de coletas adicionais em outros endereços eletrônicos.

 

“O tempo médio para abertura de empresas no país voltou a apresentar tendência de queda nos últimos meses, reflexo dos avanços dos órgãos federais, estaduais e municipais em direção a um processo de abertura de empresas mais ágil e simplificado”, destaca o diretor do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI), André Santa Cruz.

 

O secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro, reforça que a Estratégia de Governo Digital 2020-2022 definiu como meta diminuir para 1 dia o tempo médio de abertura de empresas no Brasil. Ele ressalta que o GOV.BR tem sido fundamental na busca por essa redução. “O GOV.BR é uma plataforma compartilhada que resolve problemas comuns a toda Administração Pública. A plataforma oferece ferramentas e mecanismos para que se criem as condições para a oferta de serviços públicos digitais com qualidade e agilidade, melhorando o ambiente de negócios no país e incentivando o empreendedorismo”, afirma.

 

Simplificação na abertura de novos negócios

O crescimento da abertura de novos negócios no país é reflexo também de iniciativas importantes do Governo Federal que estão melhorando o processo de registro e legalização de empresas. Entre as medidas que facilitam a vida do empreendedor estão o registro automático de empresas, a Lei da Liberdade Econômica (Lei 13.874/2019), a dispensa de alvará para exercício de atividades de baixo risco, e a recém publicada Lei nº 14.195, que busca simplificar ainda mais a abertura e o funcionamento de empresas no país.

 

O contador Wesley Dias, morador de Goiânia, conta que vem sentindo no dia a dia o impacto positivo dessas iniciativas que melhoram o ambiente de negócios no país. Ele, que trabalha com abertura de empresas há mais de 30 anos no estado de Goiás, afirma que a simplificação nos procedimentos, seja por meio da tecnologia ou das novas legislações, tem facilitado muito a rotina de trabalho e incentivado quem busca empreender.

 

“Quando veio a RedeSim – rede de sistemas informatizados para o registro e legalização de empresas e negócios, tanto no âmbito da União, como dos estados e municípios – eu fui muito relutante. Mas hoje estou convencido de que o sistema otimiza muito as coisas e facilita demais o nosso trabalho. Eu sei que há espaço para melhorias, mas eu vejo muitos avanços e a assinatura eletrônica é um deles”, afirma.

 

Mapa de Empresas

A ferramenta “Mapa de Empresas” foi lançada em 2020 pelo Governo Federal para facilitar as decisões de empreendedores, gestores públicos e privados, e ainda auxiliar nos estudos de pesquisadores e analistas sobre a atividade produtiva.

 

Qualquer cidadão, em qualquer localidade do país, tem acesso gratuito ao Mapa interativo e ao Boletim pelo portal gov.br [gov.br/mapadeempresas]. Por meio das ferramentas, desenvolvidas pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, em parceria com o Serpro, é possível verificar dados de abertura de empresas de cada região, estado ou município, por tipo de atividade e tempo de abertura, facilmente encontrados e comparados com períodos anteriores.

Acesse o Mapa interativo e o Boletim do 2º Quadrimestre de 2021.

 

Com informações do Ministério da Economia

 

Fonte: Governo do Brasil – 30/09/2021

 

 


Veja também

Projeto cria programa de conciliação para controvérsias relativas a relações de consumo

Programa será implantado com as atuais estruturas dos órgãos envolvidos O Projeto de Lei 1149/...

Veja mais
Câmara aprova projeto que regulamenta uso da inteligência artificial

Caberá à União legislar e editar normas sobre o tema A Câmara dos Deputados aprovou nest...

Veja mais
Multa aplicada pela Anvisa não está sujeita aos efeitos da recuperação judicial, decide Terceira Turma

 A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) firmou entendimento no sentido de que as multas admi...

Veja mais
STF decide que IR e CSLL não incidem sobre a Selic na devolução de tributos pagos indevidamente

Para o colegiado, a Selic, que compreende juros de mora e correção monetária, constitui indeniza&cc...

Veja mais
Liminar suspende “passaporte da vacina” no Rio

O desembargador Paulo Rangel, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro...

Veja mais
Sexta Turma anula citação via WhatsApp realizada sem grau suficiente de certeza sobre a identidade do citando

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou uma citação pessoal realizada por oficia...

Veja mais
Aluguel percentual em shopping abaixo do valor de mercado não justifica seu aumento pela via judicial

 A alteração do percentual do aluguel variável em shopping center, por meio de aç&...

Veja mais
Indústria é absolvida de pagar indenização por não quitar parcelas rescisórias no prazo

 Para a 3ª Turma, é indevida a caracterização de dano moral com fundamento apenas no atra...

Veja mais
Portaria obriga fornecedor a informar alteração quantitativa de produto

PORTARIA Nº 392, DE 29 DE SETEMBRO DE 2021 Dispõe sobre a obrigatoriedade da informação a...

Veja mais