Pet food na BRF promete bom faturamento, diz CEO

Leia em 1min 30s

Recentes aquisições fortaleceram a divisão que enfrenta o mercado acirrrado com a entrada da Sadia e Perdigão neste segmento que disparou na pandemia

 

O negócio de ração para cães e gatos pode representar de 10% a 15% do faturamento da BRF no futuro, indicou o CEO global da companhia, Lorival Luz, em evento do Credit Suisse.

A fala do executivo acontece após a forte entrada da dona de Sadia e Perdigão em pet food.

 

Em junho, a BRF fechou a aquisição da gaúcha Hercosul – dona da marca Biofresh – e da paulista Mogiana, dona da Guabi Natural. Para ficar com os dois negócios, a BRF investiu R$ 1,35 bilhão.

 

De acordo com Luz, a receita combinada das duas companhias adquiridas é de cerca de R$ 750 milhões – o equivalente a apenas 2% da receita líquida de quase R$ 40 bilhões registrada pela BRF no ano passado.

Com 10%, o negócio de pet food representaria no ínimo R$ 4 bilhões em vendas, o que indica o tamanho da aposta de longo prazo da BRF.

 

Meta ambiciosa

A companhia, que já declarou o objetivo de estar entre as duas maiores do Brasil em pet food, vislumbra um rápido crescimento desse mercado, que tem potencial para chegar a R$ 40 bilhões nos próximos anos.

Para a rentabilidade da BRF, a entrada em pet food também é positiva. Segundo Luz, os negócios de pet food têm margem Ebitda entre 15% e 20%, acima das margens costumeiras da indústria de frango e suíno.

 

No curto prazo, o foco da BRF é fazer as integrações de Hercosul e Biofresh, preservando o equilíbrio financeiro e o limite prudencial de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda) em 3 vezes.

Para o futuro, o CEO da BRF citou também a possibilidade de entrar em pet food na Turquia e no Oriente Médio, onda a companhia já possui operações de carne de frango.

 

Fonte: Valor Econômico


Veja também

Foodtechs nadam de braçada com leite vegetal

Consumo do público flexitariano praticamente dobrou em uma década no Brasil Leite de aveia, amê...

Veja mais
Artigos de perfumaria e sabonete líquido dão um respiro ao segmento

Setor de Higiene Pessoal e Cosméticos fecha o 1º semestre de 2021 com crescimento de apenas 4%, bem abaixo d...

Veja mais
Taxa de encerramento de portfólio de produtos na indústria nacional ainda é alto neste ano

A Taxa de Retração Industrial, levantamento estatístico promovido pela Associação Bra...

Veja mais
Unilever combate a fome e reduz o desperdício de alimentos

Criada há dois meses, campanha “Unidos pela Comida” salvou mais de 32 toneladas de produtos O Br...

Veja mais
Chocolates Nestlé têm novo líder no Brasil

Executivo que presidiu a companhia no Caribe foi o escolhido para substituir Liberato Milo   O maior neg&...

Veja mais
Macarrão instantâneo será o destaque do setor de massas em 2021

Confira os motivos da aceleração nas vendas As vendas do segmento de massas alimentícias devem...

Veja mais
Venda de produtos de higiene cresce 13% durante a pandemia na América Latina

Levantamento da Kantar analisou as mudanças de hábitos. São Paulo, 10 de agosto de 2021 - A pa...

Veja mais
IBGE prevê safra recorde de 256,1 milhões de toneladas em 2021

Até o fim deste ano, a safra brasileira de grãos, cereais e leguminosas deve totalizar 256,1 milhõe...

Veja mais
Pesquisa com consumidor é determinante para lançamentos em higiene oral

Líder de mercado ouviu clientes durante a pandemia e criou portfólio com 30 produtos específicos&nb...

Veja mais