Pequenos negócios geraram quase 80% das vagas de trabalho em outubro

Leia em 2min

Levantamento é do Sebrae, com base em dados do Caged

 

Com a abertura de 201,7 mil novos postos de trabalho, as micro e pequenas empresas foram as responsáveis por 79,7% das 253 mil vagas criadas no mês de outubro. O levantamento é do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Nos meses anteriores, segundo o Sebrae, esse percentual girava em torno de 70%.

 

Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, mesmo com a nova metodologia adotada pelo Caged, as micro e pequenas empresas (MPE) mantiveram o bom desempenho apresentado desde a retomada da geração de empregos no país. "Mesmo com um quantitativo menor do que o observado nos últimos meses, devido à mudança de metodologia, os pequenos negócios são os que mais têm ajudado no aumento da criação dos novos postos de trabalho no país. São eles os grandes responsáveis pelo sustento de milhões de famílias brasileiras", ressaltou Melles, em nota.

 

No acumulado do ano, 72,7% das vagas criadas entre os meses de janeiro e outubro são dos pequenos negócios. No total, foram gerados, no Brasil, 2,6 milhões de empregos, sendo que as micro e pequenas empresas são responsáveis por 1,9 milhão. "No mês de outubro, o acumulado de vagas criadas pelas MPE cresceu de cerca 1,8 milhão para 1,9 milhão, enquanto nas médias e grandes, o incremento foi de apenas 3 mil vagas, passando de 587,7 mil para 590,7 mil", observou o presidente do Sebrae.

 

Setores


Quando analisada a geração de empregos por setor, no mês de outubro, as micro e pequenas empresas do segmento de serviços foram as que mais criaram vagas (87,5 mil), como vem ocorrendo nos últimos meses. Em segundo lugar ficaram as empresas do comércio, com 61,3 mil novos postos de trabalho, seguidas pelas da indústria de transformação (28,4 mil) e construção civil (22,6 mil). Já os pequenos negócios da agropecuária apresentaram saldo negativo de 1.153 vagas.

 

Ao analisar as empresas de médio e grande porte, no mesmo período, dos principais setores monitorados, três apresentaram saldo negativo. Construção, com fechamento de 6,7 mil vagas, seguida pela agropecuária (- 2,3 mil) e indústria de transformação (- 81). Nesse segmento, o setor de serviços apresentou incremento de 53,9 mil vagas e o comércio, de 7,1 mil novos postos.

 

Fonte: Agência Brasil 

 


Veja também

Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE

Foram abatidos 13,72 milhões de suínos e 1,54 bilhão de frangos O país registrou record...

Veja mais
Comércio varejista recua 0,1% em outubro, diz IBGE

No trimestre o indicador acumula perda de 1,8% O volume de vendas do comércio varejista brasileiro recuou 0,...

Veja mais
Resolução indica INSS fixar teto de juros para empréstimo consignado

O documento está publicado hoje no Diário Oficial da União O Diário Oficial da Uni&atil...

Veja mais
Comissão do Senado aprova PL para estabilizar preço dos combustíveis

Projeto de lei visa amortecer impacto de aumentos do petróleo no país A Comissão de Assuntos E...

Veja mais
Preço da cesta básica de alimentos sobe em nove cidades

Pesquisa foi feita pelo Dieese em 17 capitais O custo médio da cesta básica de alimentos aumentou em ...

Veja mais
Cepal: comércio da América Latina e do Caribe terá aumento em 2021

Previsão é crescimento de 25% nas exportações regionais de bens De acordo com relat&oac...

Veja mais
Empregadores têm até hoje para quitar parcelas suspensas do FGTS

Medida foi adotada para ajudar empresas afetadas pela pandemia Os empregadores que aderiram à suspensã...

Veja mais
IGP-DI tem queda de 0,58% em novembro

Índice tem inflação de 16,28% no anoO Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna ...

Veja mais
Indústria fecha 2021 sem novidades, aponta GS1

Em relação ao primeiro ano da pandemia, a produção de novos portfólios permanece no m...

Veja mais