(411)
Associações Estaduais
Apresentação
Contatos
» Notícias
 
Você está em:

Abras

Agas defende que supermercados tenham liberdade para definir abertura em 1º de maio 30/04/2019 às 11h

Após o anúncio de que, pela primeira vez, supermercados gaúchos irão abrir neste feriado de Dia Mundial do Trabalho, em 1º de maio, a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) defendeu, em nota, que os supermercados tenham liberdade para definirem se abrirão na data. Em nota, o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, pede que "diálogo entre empresários e colaboradores deve ser o melhor caminho para que as companhias varejistas decidam, democraticamente, sobre a abertura ou não das unidades em datas especiais como esta".

 

Recentemente, as redes Walmart e Zaffari anunciaram que vão funcionar no 1º de maio, após negociação coletiva em que ficou acordado um prêmio maior ao funcionários que trabalharem na data (R$ 50,00 em vez dos habituais R$ 41,00 pagos pelo trabalho no feriado) e uma folga a ser tirada na mesma semana ou em até duas semanas depois do feriado.

 

Conforme o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre (Sindec), Nilton Souza Neco, o supermercado que quiser abrir no Dia do Trabalho precisa estar em dia com as obrigações junto ao funcionário, além de realizar a negociação com o sindicato. De acordo com Flavio Obino Filho, que representa os empresários, a negociação pode ser feita diretamente com o Sindec e as empresas interessadas.

 

Historicamente, as lojas do setor supermercadista gaúcho permanecem fechadas em apenas três feriados por ano – Dia do Trabalho (1º de maio), Natal (25 de dezembro) e Réveillon (1º de janeiro). Como não faz parte da convenção coletiva do setor, a possibilidade de abrir em 1º de maio deve ser analisada diretamente entre a empresa e o Sindec. Na data, o Sindec deverá contar com quatro equipes de fiscalização na Capital, que vão avaliar se os estabelecimentos abertos de fato estão cumprindo com o acordado.

 

Para Cesa Longo, da Agas, o decreto que reconheceu a atividade supermercadista como essencial à economia ajuda a flexibilizar a possibilidade de abertura das unidades aos domingos e feriados. “Cada empresa deve fazer as contas e, dialogando com suas equipes, definir sobre a abertura das lojas. Defendemos que todos tenham oportunidades, pagando os mesmos valores de bônus aos funcionários e arcando com os demais custos, proporcionalmente ao tamanho de sua empresa”, defende Longo. “Essas negociações devem sempre ter o aval dos sindicatos laboral e patronal da categoria”, explica.

 

Fonte: Jornal do Comércio - Porto Alegre/RS



 

Últimas

» Supermercados: Pedidos de delivery mais que dobraram no segundo mês de quarentena no Rio de Janeiro 22 de Maio 2020, às 22h
» Expolive é o primeiro encontro totalmente online da Agas 22 de Maio 2020, às 18h
» Em 2 meses de pandemia, supermercados do RJ têm alta de 85% nas vendas por delivery 22 de Maio 2020, às 15h
» ACATS (SC) lança campanha #SomosTodosEssenciaisNessaLuta 22 de Maio 2020, às 09h
» Prossegue o ciclo de palestras virtuais da Acats 18 de Maio 2020, às 15h
» Supermercados de SP têm alta de 15% nas vendas durante pandemia; quase 1/4 afirma que deve contratar novos funcionários 15 de Maio 2020, às 15h
» APAS completa 49 anos de incentivo ao setor 14 de Maio 2020, às 16h
» Pesquisa mostra confiança do supermercadista em diversas áreas 14 de Maio 2020, às 15h
» Pesquisa revela que 90% dos supermercados devem manter ou contratar funcionários 13 de Maio 2020, às 15h
» ACATS promove segundo evento do ciclo de palestras online, agora com Alexandre Ribeiro (R-Dias) 12 de Maio 2020, às 17h

Ver mais »