Índice Nacional de Consumo ABRAS registra alta de 4% nos primeiros 4 meses do ano

Leia em 3min 20s

Expectativa para o ano é de crescimento de 4,5%; Pagamento do auxílio emergencial influencia a evolução positiva do setor


O setor supermercadista registrou no primeiro quadrimestre de 2021 crescimento real (deflacionado pelo IPCA/IBGE) de 4% na comparação com o mesmo período de 2020, de acordo com o Índice Nacional de Consumo ABRAS nos Lares Brasileiros, apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade nacional de supermercados. O dados foram divulgados nesta quinta-feira (10) em coletiva de imprensa online. O resultado do mês de abril/2021 sobre abril/2020 aponta crescimento de 2,77%.


"A alta das vendas já reflete a volta do auxílio emergencial pago as famílias, e está em linha com as projeções da ABRAS. Na comparação de abril de 2021 com abril do ano passado, a evolução de 2,77% é sólida porque é calculada sobre um movimento intenso das famílias que buscaram abastecer as casas diante dos primeiros reflexos da pandemia", afirma o vice-presidente Administrativo e Institucional, Marcio Milan.


Já em relação a março/21, a pesquisa aponta queda de 4,82%. Segundo o levantamento, março teve um dia a mais para compras em relação a abril. Além disso, pesou sobre o resultado a volta da alimentação fora do lar, por conta do retorno gradativo das atividades de trabalho presenciais. Os fechamentos temporários de lojas decretados por prefeituras ( lockdowns) também influenciaram o resultado, e levaram os supermercados a enfrentar o problema inclusive com ações na justiça para garantir o funcionamento dos estabelecimentos. "A alimentação é direito essencial e os supermercados estão trabalhando para garantir o acesso dos consumidores aos produtos com respeito aos protocolos de saúde e toda segurança", afirma Márcio Milan.


Abrasmercado


Em abril o *Abrasmercado apresentou alta de 0,92% frente ao mês de março. A cesta Abrasmercado passou a valer R$ 643,67, contra R$ 637,82 do mês imediatamente anterior.


As maiores quedas nos preços da cesta em abril foram registradas nos produtos: batata, -7,92%, pernil, - 5,96%, extrato de tomate, -2,16%, arroz, -2,07% e queijo prato, - 1,95%. No acumulado do ano, o tomate tem baixa de -20,88%. E o pernil baixou -8,91%, tornando-se opção de substituição a carne bovina na mesa do consumidor.


As maiores altas foram margarina cremosa +4,99%, tomate +4,50%, biscoito cream cracker +3,92%, cebola +3,05% e papel higiênico +2,96%.


Regiões


Em abril, a Região Sul foi a única que apresentou queda no valor da cesta Abrasmercado, - 0,11%, passando de R$ 695,74 para R$ 694,99. Dentre as demais regiões, a Sudeste foi a que apresentou maior variação positiva, 2,35%, saindo de R$ 608,55 para R$ 622,87.


*A cesta Abrasmercado não é a cesta básica mas, sim, uma cesta composta por 35 produtos mais vendidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica.


Apostas


"O consumidor está ainda mais atento aos preços de seus produtos, faz pesquisa e tem buscado até substituir itens das compras que estejam mais caros, por alternativas de qualidade. É o caso da carne suína que, até pela baixa de preço, tem se apresentado como alternativa aos cortes bovinos. O frango congelado que agora teve nova baixa - 0,96%, também é opção", avalia Marcio Milan. " E tem ainda o tomate que, apesar de apresentar alta em abril acumula queda de preços de mais de 20,0% no intervalo de janeiro a abril deste ano", afirma Milan.


Expectativas


Os supermercados projetam crescimento de 4,5% para o fechamento do ano de 2021. Estimativa que será revisada ao final do mês de Junho, segundo a Abras. "O pagamento antecipado da primeira parcela do décimo-terceiro de aposentados e pensionistas, R$ 25,3 Bilhões ao todo, e o primeiro lote de restituição do Imposto de Renda, R$ 6 Bilhões, vão favorecer o consumo das famílias que destinam, aproximadamente, 60% de suas rendas para alimentação", garante o Vice-Presidente da Abras. A possibilidade da prorrogação do auxílio emergencial até setembro é outro fator que irá influenciar os resultados, segundo a ABRAS.


Veja aqui a apresentação da coletiva na íntegra. 


Comunicação ABRAS

 

 


Veja também

Mudança em Visão de economia, crescimento, e perspectivas dos supermercados para 2022

Devido ao alto número de inscritos para a palestra "Visão de economia, crescimento, e perspectivas dos sup...

Veja mais
Índice Nacional de Consumo ABRAS registra alta de 7,06% no primeiro trimestre

  O Índice Nacional de Consumo ABRAS nos Lares Brasileiros (INC) registrou 7,06% de crescimen...

Veja mais
Ranking ABRAS será divulgado no próximo dia 20 de maio

  ...

Veja mais
Vice-presidente da ABRAS e ministro do Meio Ambiente falam sobre logística reversa de medicamentos no setor

    O vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), Antônio Cesa...

Veja mais
Presidente da ABRAS se reúne com autoridades dos poderes executivo e legislativo

O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Galassi, cumpriu na terç...

Veja mais
Ranking ABRAS/SuperHiper será divulgado no dia 20 de maio

...

Veja mais
Unecs apresenta agenda de trabalho em reunião da ABRAS

Reunião do Conselho Deliberativo da ABRAS do dia 28 de abril A agenda de trabalho da União Nacional d...

Veja mais
Supermeeting ABRAS está de volta em formato digital e recebe o vice-presidente da Ambev

 ...

Veja mais
Comitê E-Commerce da ABRAS e Bauducco debatem futuro do varejo

Reunião do Comitê E-Commerce da ABRAS do dia 22 de abril O Comitê E-Commerce da Associaç&...

Veja mais