Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 











Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Bebidas

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Bebidas

21/01/2016 11:54 - Alta do IPI ainda não chegou ao consumidor

Os apreciadores das chamadas bebidas quentes - como vinho, cachaça, uísque e destilados em geral - ainda podem encontrar produtos sem o aumento de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que entrou em vigor no dia 31 de dezembro. As alíquotas variam de 10% a 30%, dependendo da bebida. Varejistas consultados pela reportagem afirmam que só vão repassar a alta do tributo aos preços quando renovarem os estoques.
 
Entre as grandes redes de supermercados, o Grupo Pão de Açúcar (GPA), que responde pelas bandeiras Extra e Pão de Açúcar, informou que “manterá o preço sem repasse de IPI enquanto durarem os estoques”. Carrefour e Walmart não comentaram o assunto.
 
A alta do IPI para bebidas quentes ocorreu depois que a presidente Dilma Rousseff sancionou, com vetos, a Medida Provisória 690, que havia sido aprovada pelo Congresso. A MP foi convertida na Lei nº 13.241/2015.
 
Houve mudança também na forma de cobrança: o IPI passou a ser cobrado com uma alíquota sobre o valor do produto (alíquota ad valore) e não mais por um valor fixo em relação a determinada quantidade produzida.
 
O vinho nacional, por exemplo, pagava R$ 0,73 de IPI por garrafa. Agora, será cobrado 10% sobre o valor do produto na saída da indústria. Desta forma, uma garrafa de R$ 50 deixa de pagar R$ 0,73 de imposto e passa a pagar R$ 5. O objetivo do governo é obter um acréscimo na arrecadação da ordem de R$ 1 bilhão em 2016 com o aumento do tributo sobre bebidas quentes.
 
Abrabe - A Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe) informou que “ainda avalia os possíveis impactos do novo sistema tributário para o mercado”.
 
A Casa da Bebida, sediada em Jandaia do Sul, no Paraná, tem estoque para aproximadamente seis meses, segundo Laion Yanagu Barbosa, sócio da empresa. “Os valores ainda não foram repassados aos consumidores, estamos trabalhando com o preço antigo ainda”, diz Barbosa.
 
“Como sabíamos que haveria o aumento, foi comprada uma grande quantidade [de bebidas]. Fizemos até um financiamento para estocar o máximo possível”, diz. De acordo com o empresário, nenhum dos seus concorrentes havia feito alteração de valores dos produtos por causa do aumento do IPI até a semana passada.

 



Veículo: Jornal Diário do Comércio - MG

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

26/05/2020 15:10 - Ambev faz parceria para vender Biscoito Globo
18/05/2020 16:17 - Isolamento dobra venda de bebidas alcoólicas pela internet
14/05/2020 16:36 - De cerveja a drinques: as lives dedicadas ao mundo das bebidas
07/05/2020 15:09 - Lucro da Ambev desaba 56% no 1° tri com impacto de Covid-19, despesas financeiras
07/05/2020 15:07 - AB InBev tem prejuízo no 1° trimestre, mas aponta sinais positivos na China e EUA
23/04/2020 11:04 - Vendas da Coca-Cola caem 25% com impacto no “out-of-home”
22/04/2020 10:37 - Covid-19 faz lucro da Heineken cair quase 70% no 1° trimestre
07/04/2020 10:56 - Cai em 52% venda de bebidas alcoólicas no Brasil, confirma Abrabe
03/04/2020 11:56 - Fabricação de bebidas alcoólicas cresce 5,9% antes da crise do coronavírus
24/03/2020 11:49 - Ambev desiste de projeções de desempenho para 2020
18/03/2020 17:03 - Ambev produzirá álcool em gel para doar a hospitais públicos
12/03/2020 11:17 - Vinho importado pode ficar até 10% mais caro em abril
11/03/2020 11:18 - Brand Factory, da Pernod Ricard, quer transformar as bebidas no Brasil
10/03/2020 11:07 - Itaipava lança a sua Puro Malte
10/03/2020 11:04 - Heineken investirá R$ 865 milhões em cervejaria no Paraná

Veja mais >>>