(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Novas regras tributárias atendem micro e pequenas empresas, avalia deputado 10/08/2011 às 18h

Coordenador da Frente Parlamentar das Micro e Pequenas Empresas crê que regras serão aprovadas em breve.
As novas regras tributárias do Supersimples, anunciadas pelo governo para as micro e pequenas empresas, atendem a quase todas as demandas do setor. A avaliação é do coordenador da Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas, deputado Pepe Vargas ( PT-RS). O projeto foi encaminhado à Câmara dos Deputados nesta terça-feira pela presidente Dilma Rousseff.


Segundo Pepe Vargas, o texto deverá ser aprovado rapidamente. "Como vai ser apensado a projeto que já tem regime de urgência aprovado, temos apenas que vencer a votação do projeto de lei do Pronatec”, diz o parlamentar.


“Na medida em que o Pronatec está em urgência constitucional, ele tranca a pauta também de sessões extraordinárias”, acrescenta Pepe Vargas. “Parece que os relatores do Pronatec já chegaram a um acordo, deve ser votado neste mês e, em seguida, esse que o governo está mandando".


Parcelamento de dívidas


Entre as reivindicações atendidas pelo governo, estão o parcelamento de dívidas, a desburocratização e o reajuste nos limites de faturamento usados na definição de micro e pequena empresa.
Segundo Pepe Vargas, a proposta era de que tivesse um reajuste de 50%, que foi concedido. “Portanto, os limites passam a R$ 360 mil para microempresas e para R$ 3,6 milhões para empresa de pequeno porte. No que diz respeito ao microempreendedor individual, o governo foi até além do que nós estávamos pedindo. Esse novo limite de R$ 60 mil para o microempreendedor individual é muito superior aos 50% que estávamos solicitando.”


O projeto traz também medidas de incentivo à exportação. Pela proposta, o faturamento com exportações não será computado para enquadramento nas faixas de contribuição, até o limite do faturamento com vendas nacionais. Com isso, uma empresa poderá faturar R$ 3,6 milhões na exportação e outros R$ 3,6 milhões no mercado interno e, ainda assim, manter o enquadramento no Supersimples.
Algumas demandas das micro e pequenas empresas não foram atendidas, como a inclusão de novos segmentos no programa. Segundo Pepe Vargas, mesmo com a aprovação desse projeto, a frente continuará negociando esses pontos com o governo.


Reportagem – Verônica Lima/Rádio Câmara
Edição – Newton Araújo


Fonte: Câmara dos Deputados (09.08.11)




Clipping Portal ABRAS


Últimas

» Presidente da ABRAS participa da abertura da Exposuper On-line 20 de Outubro 2020, às 18h
» Governo avança para a última regulamentação pendente da Lei de Liberdade Econômica 20 de Outubro 2020, às 15h
» NJ - Justiça do Trabalho rejeita cobrança de “cota negocial” firmada em norma coletiva para empregados não sindicalizados 20 de Outubro 2020, às 15h
» Justa causa por desídia só é ilegal se demissão ocorreu por ato já punido 20 de Outubro 2020, às 15h
» Técnica do julgamento ampliado também pode ser aplicada a embargos de declaração, decide Terceira Turma 20 de Outubro 2020, às 15h
» Calendário oficial do TST para 2021 está disponível para download 20 de Outubro 2020, às 15h
» Camex zera Imposto de Importação para soja e milho 19 de Outubro 2020, às 15h
» LGPD: Justiça determina que site suspenda anúncio de venda de banco de dados cadastrais 19 de Outubro 2020, às 15h
» Lei dos planos de saúde não se aplica a contratos anteriores a ela, diz STF 19 de Outubro 2020, às 15h
» Salário de sócio não pode ser penhorado, decide TRT-18 19 de Outubro 2020, às 15h

Ver mais »