(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Primeira Seção afeta recursos relativos à penhora sobre faturamento de empresa 14/02/2020 às 13h

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afetou três recursos especiais relativos à penhora sobre o faturamento de empresa para julgamento sob o rito dos recursos repetitivos. A relatoria é do ministro Herman Benjamin.

 

Cadastrada como Tema 769, a controvérsia trata "da necessidade de esgotamento das diligências como pré-requisito para a penhora do faturamento; da equiparação da penhora de faturamento à constrição preferencial sobre dinheiro, constituindo ou não medida excepcional no âmbito dos processos regidos pela Lei 6.830/1980; e da caracterização da penhora do faturamento como medida que implica violação do princípio da menor onerosidade".

 

O colegiado determinou a suspensão dos processos pendentes que versem sobre a questão delimitada em todo o território nacional, até o julgamento dos recursos e a definição da tese.

 

Os Recursos Especiais 1.666.542, 1.835.864 e 1.835.865, representativos da controvérsia, foram selecionados pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (o primeiro) e pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (os dois últimos).

 

Efeito multiplicador

No acórdão de afetação do REsp 1.666.542, o ministro Herman Benjamin destacou o potencial efeito multiplicador da controvérsia, "haja vista a grande quantidade de recursos que discutem decisões judiciais que deferem ou não a penhora do faturamento da empresa".

 

O recurso foi interposto pela União, que, nos autos de execução fiscal contra uma empresa, requereu a penhora do faturamento. O TRF3 negou o pedido, entendendo que a União não demonstrou o esgotamento das diligências para a localização de bens penhoráveis em nome da executada – pressuposto que seria necessário para o deferimento da medida excepcional.

 

Ao STJ, a União alegou violação do artigo 11 da Lei 6.830/1980, sustentando que a penhora do faturamento equivale à penhora sobre dinheiro e não seria autorizada apenas em situações excepcionais. Para a recorrente, o faturamento ocuparia o primeiro lugar na lista de preferência de bens a serem penhorados.

 

Recursos repetitivos

O Código de Processo Civil de 2015 regula, nos artigos 1.036 e seguintes, o julgamento por amostragem, mediante a seleção de recursos especiais que tenham controvérsias idênticas. Ao afetar um processo, ou seja, encaminhá-lo para julgamento sob o rito dos repetitivos, os ministros facilitam a solução de demandas que se repetem nos tribunais brasileiros.

 

A possibilidade de aplicar o mesmo entendimento jurídico a diversos processos gera economia de tempo e segurança jurídica.

 

No site do STJ, é possível acessar todos os temas afetados, bem como saber a abrangência das decisões de sobrestamento e as teses jurídicas firmadas nos julgamentos, entre outras informações.

 

Leia o acórdão de afetação do REsp 1.666.542.

 

Esta notícia refere-se ao(s) processo(s):

 

REsp 1666542

REsp 1835864

REsp 1835865

 

Fonte: STJ – 12/02/2020.




Clipping Portal ABRAS


 

Últimas

» INTERRUPÇÃO INFORMATIVO JURÍDICO ABRAS 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Bancos fecham na segunda e terça-feira de carnaval 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Instituições são convocadas a cadastrar endereço eletrônico no STF para receber comunicações processuais 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» TJSP - Corte publica súmula aprovada pelo Órgão Especial 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Filial pode ser obrigada a veicular contrapropaganda determinada em condenação imposta à matriz 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» NJ - TRT-MG mantém sentença que afastou vínculo de emprego de motorista com a Uber 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Demora em determinação judicial para pagamento de débito sem atualização não gera multa para o devedor 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Projeto permite deduzir do Imposto de Renda valor de bem furtado 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» Procon-SP notifica empresas por golpes via WhatsApp 21 de Fevereiro 2020, às 14h
» MP que regulamenta negociação de débitos fiscais com União é aprovada em comissão 20 de Fevereiro 2020, às 14h

Ver mais »