(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Ministro contesta estimativa da Receita de impacto de alteração no Simples 26/08/2015 às 11h

O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, divulgou hoje (25) nota contestando a estimativa da Receita Federal sobre o impacto fiscal do Projeto de Lei Complementar nº 25/2007, que amplia os limites de enquadramento e inclui setores da economia no Simples Nacional.

Ontem (24) a Receita divulgou estudo segundo o qual a ampliação do Simples impactaria a União, os estados e os municípios em R$ 11,43 bilhões ao ano. De acordo com a Receita Federal, nos moldes atuais, o regime simplificado implica em renúncia fiscal de R$ 72,44 bilhões para 2015. Com a aprovação da proposta de ampliação, o impacto nos cofres públicos subiria a R$ 84 bilhões.

 

No entanto, segundo Afif Domingos, “o suposto impacto de R$ 84 bilhões é absurdo e não tem base em qualquer dado objetivo”. O ministro diz que a Receita considerou como renúncia a diferença entre a tributação de uma grande empresa e o Simples em vigor atualmente. Segundo ele, o impacto previsto para a União na verdade, é de R$ 2,9 bilhões. Além disso, ele defendeu que haverá aumento de arrecadação com a aprovação da ampliação do Simples.

“Ao contrário do que diz a nota da Receita, o mais provável é que ocorra um aumento de arrecadação, com a aprovação, tendo em vista que o impacto previsto poderá ser anulado se houver formalização de apenas 4% do faturamento das empresas”, disse. O ministro afirmou, ainda, que não haverá perdas para estados e municípios, porque o projeto de lei não prevê redução na tributação do Imposto sobre Serviços (ISS) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

 

“Ao afirmar que haverá perdas de R$ 11,43 bilhões para União, estados e municípios, a nota da Receita comete o equívoco imperdoável de condenar uma proposta sem ter lido previamente o seu conteúdo”, afirma Afif Domingos. O ministro disse também que o Simples Nacional “é direito constitucional e não gasto tributário”. O projeto de lei prevendo a ampliação do regime deveria ser votado esta semana, mas a Câmara adiou a votação para a próxima terça-feira (1).

A Agência Brasil procurou a Receita Federal, que disse que não se manifestará sobre a nota do ministro.

 

Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil

 

Edição: Maria Claudia

 

 

 

Fonte: Agência Brasil (25.08.2015)




Clipping Portal ABRAS


Últimas

» TJRJ restringe trabalho presencial em todos os fóruns do Estado 14 de Abril 2021, às 16h
» ABRAS promove hoje seu tradicional Fórum de Prevenção de Perdas 14 de Abril 2021, às 16h
» Índice Nacional de Consumo ABRAS nos Lares Brasileiros registra crescimento de 7,57% 14 de Abril 2021, às 15h
» Senado aprova retomada de regras para situação de emergência de saúde pública 14 de Abril 2021, às 12h
» Câmara aprova prorrogação do prazo de entrega do Imposto de Renda até 31 de julho 14 de Abril 2021, às 12h
» Covid-19: suspenso tempo máximo para contato direto com atendente no SAC 14 de Abril 2021, às 12h
» Anulada decisão que rejeitou recurso por excesso de páginas 14 de Abril 2021, às 12h
» Prazo para cumprimento da primeira fase da prestação de contas tem início com intimação da defesa 14 de Abril 2021, às 12h
» Suspensão do contrato de trabalho para enfrentamento da pandemia tem amparo legal e não justifica a rescisão indireta 13 de Abril 2021, às 14h
» Sob o CPC de 2015, depósito para garantia do juízo não altera início do prazo para impugnação ao cumprimento de sentença 13 de Abril 2021, às 14h

Ver mais »