Sindicato vai restituir valor total de contribuições cobradas de empresas sem empregados

Leia em 2min 10s

Apesar de só ter ficado com 60% do total, o sindicato arrecadou todo o valor.

 

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho não admitiu recurso do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon/PR) contra decisão que determinou a restituição das contribuições patronais pagas pela BP Commercial Properties Ltda. e pela Mariano Torres Investimentos e Participações Ltda. A cobrança era irregular, porque as empresas não têm empregados.

 

Apesar de só ter ficado com 60% dos valores, o sindicato foi condenado a restituir a totalidade das contribuições, porque as recolhia integralmente e repassava os 40% restantes à confederação, à federação e a uma conta específica. Ele poderá, contudo, apresentar ação de regresso contra as demais entidades beneficiadas visando ao ressarcimento do percentual repassado.

 

Contribuição sindical patronal

 

A BP Commercial e a Mariano Torres, de Curitiba (PR), ingressaram com ação para obter a declaração de que não têm relação jurídica com o Sinduscon/PR e a restituição das contribuições sindicais. A justificativa era que, apesar de sua atividade comercial ser a exploração de bens imóveis, não têm empregados, o que afastaria a obrigatoriedade da contribuição. 

 

O sindicato, em sua defesa, pediu o indeferimento do pedido ou, caso condenado, a restituição de apenas 60% dos valores, pois o restante era repassado às demais entidades. 

 

Cobrança indevida

 

O juízo de primeiro grau julgou procedentes os pedidos e determinou ao Sinduscon/PR a restituição integral dos valores.  A decisão foi mantida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR). O TRT explicou que a contribuição sindical patronal é devida apenas pelas empresas que atendam simultaneamente a dois pressupostos: integrar a categoria econômica representada pela entidade sindical que a poderia exigir e ser empregador, ou seja, ter empregados.

 

Sobre o percentual a ser restituído, entendeu que, nos termos do artigo 589, inciso I, da CLT, o rateio da contribuição sindical patronal é realizado à razão de 5% para a confederação e 15% para a federação correspondentes, além de 60% para o sindicato e 20% para a "Conta Especial Emprego e Salário". Como a lei nada dispõe a respeito, concluiu que a devolução deve ser feita na sua integralidade pelo sindicato que procedeu à arrecadação.

 

Devolução total

 

A relatora do recurso de revista do Sinduscon, ministra Maria Helena Mallmann, assinalou que, tendo em vista que o sindicato é a entidade responsável por efetuar a arrecadação, cabe a ele proceder à devolução e, se entender conveniente, ajuizar ação para cobrar das demais demais entidades beneficiadas pela contribuição paga indevidamente os valores repassados.

 

A decisão foi unânime.

 

(GS/CF)

 

Processo: ARR-83-81.2014.5.09.0088

 

Fonte: TST – 24/11/2021


Veja também

Senado confirma medida que recriou o Ministério do Trabalho e Previdência

 O Plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (23), em votação simbólica, o PL...

Veja mais
ENTRADA EM FÓRUNS DA 2ª REGIÃO EXIGIRÁ COMPROVANTE DE VACINAÇÃO A PARTIR DE JANEIRO

A partir de 7 de janeiro de 2022, não será mais necessário realizar agendamento para ser atendido e...

Veja mais
Indenização por violação de obrigação contratual exige prova de prejuízo e nexo causal

 A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reformou acórdão do Tribunal de Justi&...

Veja mais
Novas ferramentas de segurança do Pix facilitam bloqueio e recuperação de recursos em casos de fraude

Mecanismo Especial de Devolução e Bloqueio Cautelar agilizam processos e dão mais segurança ...

Veja mais
China aceitará carne bovina do Brasil certificada até 4 de setembro

 Decisão liberará carregamentos retidos em portos chineses As autoridades alfandegárias d...

Veja mais
Rússia vai retomar importação de carnes bovina e suína do Brasil

 Liberação envolve 9 unidades de suínos e três de bovinos A Rússia retomar&a...

Veja mais
Vale-alimentação passa por mudanças que darão mais liberdade ao trabalhador

 Quando a norma entrar em vigor, o cidadão terá mais opções de restaurantes e a possibi...

Veja mais
STF decide que definição de alíquotas do Seguro Acidente de Trabalho por decreto é constitucional

Para o Plenário, não há incompatibilidade com o princípio constitucional da legalidade tribu...

Veja mais
STF forma maioria para proibir alíquota de ICMS maior para energia e telefonia

Lei estadual que impõe alíquota de ICMS para os serviços de energia elétrica e telecomunica&...

Veja mais