Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 







Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Geral

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Geral

19/08/2009 12:32 - Frio e vírus desaceleram ritmo do Makro em julho

Os temores com a gripe suína, transmitida pelo vírus H1N1, tem levado as pessoas a evitar locais fechados, como shopping centers, lojas, restaurantes e hotéis, e preocupam executivos de setores ligados ao comércio.

 

Os efeitos sobre as vendas, contudo, têm sido moderados e alguns segmentos estão sentindo mais o impacto. Na Marisa, rede de lojas de vestuário, o efeito foi marginal por enquanto. Mas no Makro, maior rede de lojas de atacado do país, as vendas foram mais fracas em julho se comparadas ao mês anterior. Em agosto, já há sinais de recuperação.

 

"Julho foi um mês atípico, que foi afetado tanto pelo frio quanto pela gripe", afirma Rubens Baptista, presidente do Makro no Brasil. Grande parte dos clientes da cadeia atacadista é composta por donos de restaurantes, lanchonetes e hotéis. Ainda assim, diz o executivo, em nenhum momento a empresa registrou queda nas vendas. O que houve foi uma desaceleração nas taxas de crescimento.

 

Entre janeiro e junho, as vendas nas mesmas lojas (em uma base comparável) cresceram entre 7% e 8% sobre igual período de 2008. Em julho, esse percentual foi de 5%. Em agosto, o Makro já detecta uma reação do consumo e prevê que as vendas nas mesmas lojas voltem a crescer em torno de 8%.

 

Segundo Baptista, as expectativas são de que o segundo semestre seja melhor do que os primeiros seis meses do ano. Mas o Makro mantém a previsão de elevar em um dígito apenas as vendas nas mesmas lojas existentes em 2008. Antes da crise, quando havia a expectativa de que o PIB pudesse crescer 3,5% em 2009, a rede atacadista chegou a prever uma taxa de dois dígitos de aumento nas vendas.

 

Um dos problemas enfrentados pelo setor neste ano é a forte queda nos preços de alimentos básicos, como feijão, arroz e óleo de soja. Para manter o faturamento nos mesmos patamares do ano passado, as lojas precisam vender volumes muito maiores.
 


Veículo: Valor Econômico

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

15/01/2021 12:50 - Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
13/01/2021 15:31 - Nestlé lança mercado online em parceria com a Packk
13/01/2021 12:48 - IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
12/01/2021 15:44 - Cresce a venda de produtos de oral care no Brasil
11/01/2021 13:15 - Mercado de ovos continua em trajetória de baixa no decorrer da semana
08/01/2021 17:25 - Mais de 90% dos brasileiros compraram chocolate em 2020
04/01/2021 16:35 - Nova onda do atacarejo afeta supermercados
11/12/2020 21:42 - Produção de ovos de galinha bate recorde no 3º trimestre, diz IBGE
10/12/2020 18:08 - Conab: Brasil produzirá 265,9 milhões de toneladas de grãos
09/12/2020 16:09 - Produção nacional de chocolate cresce 1,97% no terceiro trimestre
08/12/2020 15:28 - Classes D e E seguram índices de consumo dentro do lar
07/12/2020 15:53 - Atacado distribuidor acumula crescimento de 4,43% até outubro
07/12/2020 15:44 - Venda de panetones deve crescer e movimentar R$ 848 milhões em 2020
04/12/2020 16:04 - Pandemia abre mais espaço para as marcas próprias
04/12/2020 15:25 - Por que campanhas de fidelidade devem ser o foco do varejo alimentar

Veja mais >>>