Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI

Leia em 2min

A produção industrial brasileira registrou, em outubro, o quinto mês consecutivo de alta, com 58,3 pontos segundo a Sondagem Industrial referente ao mês de outubro, divulgada hoje (19) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). No mês anterior o índice estava um pouco acima (59,1 pontos).

 

O índice que mede a evolução do número de empregados ficou em 54,9 pontos. É o terceiro mês seguido de alta. De acordo com a CNI, valores acima de 50 indicam aumento da produção e do emprego frente ao mês anterior. Quando abaixo, indica queda.

 

O levantamento da CNI aponta que a utilização da capacidade instalada (UCI) média ficou em 74% em outubro, mantendo-se em alta pelo sexto mês consecutivo. Em setembro ele estava em 72%. "A Sondagem revela ainda que a UCI foi maior do que o usual para o mês de outubro, pois o índice de UCI efetivo em relação ao usual ficou acima da linha divisória de 50 pontos, ao atingir 51,1 pontos", informou a CNI.

 

Ainda de acordo com a entidade, os estoques continuaram em queda e abaixo do desejado pela indústria, apesar das seguidas altas na produção. "Enquanto o indicador de nível de estoques marcou 45,5 pontos, o de estoque efetivo ficou em 43,4 pontos, ambos abaixo dos 50 pontos", destacou a CNI. Estoques baixos sinalizam necessidade de continuar em um nível de produção mais forte.

 

Expectativas


Com relação às expectativas para os próximos seis meses, a pesquisa aponta que, em novembro, os empresários se mantêm otimistas, mas em um nível pouco menor do que o registrado em outubro. De acordo com a CNI essa queda pode ser explicada por uma acomodação ocorrida após "rápida recuperação dos efeitos da pandemia".

 

"Os índices permanecem em patamares elevados, não só da linha divisória de 50 pontos como de suas respectivas médias históricas", assinala a Sondagem Industrial. Segundo ela, o índice de expectativa para a demanda caiu 1,8 ponto, para 59,8 pontos em novembro.

 

Com relação às compras de matérias-primas, a queda foi de 2 pontos, registrando 58 pontos neste mês. Já o índice de número de empregados caiu 0,9 ponto, chegando a 53,5 pontos; e o de exportação caiu 0,9 ponto, atingindo 53,9 pontos.

 

Segundo a CNI, a alta no otimismo "reflete-se na intenção dos empresários investirem". Nesse caso, o índice registrou 59,3 pontos em novembro (2,1 pontos maior do que o registrado em outubro). O levantamento ouviu 1.870 empresas entre 3 e 12 de novembro. Dessas, 738 são pequenas, 647 médias e 485 grandes indústrias.


Fonte: Agência Brasil 

 


Veja também

Ipea projeta inflação de 3,5% para 2020

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a inflação registrada pelo Í...

Veja mais
Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV

O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, teve cr...

Veja mais
Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) teve alta de 4,1% na passagem de outu...

Veja mais
Desemprego tende a aumentar ainda mais entre pretos e pardos em 2021, aponta FGV

A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus promoveu mudanças estruturais no mercado de trabalho q...

Veja mais
Vendas no varejo recuam 7,7% em outubro, mostra ICVA

As vendas no varejo brasileiro caíram 7,7% em outubro ante o mesmo período de 2019, mostrou o Índic...

Veja mais
IGP-M acumulado em 12 meses chega a 24,25%, diz FGV

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel no país, reg...

Veja mais
Taxa de rejeição do Pix está em 6,5%, diz Campos Neto

A taxa de rejeição de transferências e pagamentos por meio do Pix ficou entre 6,5% e 6,7% ontem (17)...

Veja mais
Mapa proíbe comercialização de nove marcas de azeite de oliva sob investigação de fraude

  Foto: iStock/Mapa O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) comunicou ...

Veja mais
Ministério melhora previsão de queda da economia

O Ministério da Economia espera por uma queda menor na economia este ano. A previsão de recuo do Produto I...

Veja mais