Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 









Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

27/10/2020 14:15 - BC inicia hoje penúltima reunião do ano para definir taxa Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) inicia hoje (27), em Brasília, a penúltima reunião de 2020 para definir a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 2% ao ano, seu mínimo histórico. Amanhã (28), ao fim do dia, após a segunda parte da reunião, será anunciada a nova taxa.

 

A última reunião deste ano será nos dias 8 e 9 de dezembro. Segundo a pesquisa mais recente do BC ao mercado financeiro, a expectativa é que a Selic se mantenha em 2% ao ano até o final de 2020. Para o fim de 2021, estima-se que a taxa básica chegue a 2,75% ao ano.

 

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

 

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

 

Ao manter a Selic no mesmo patamar, o Copom considera que as alterações anteriores nos juros básicos foram suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

 

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%. Para 2021, a meta é 3,75%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

 

As instituições financeiras consultadas pelo BC projetam inflação maior que o piso da meta, em 2020. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 2,99%, este ano. Para 2021, a estimativa é 3,10%.


Fonte: Agêncial Brasil 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

23/11/2020 15:42 - Prévia da confiança da indústria aponta crescimento em novembro, diz FGV
23/11/2020 15:27 - Caixa credita auxílio emergencial para nascidos em fevereiro
23/11/2020 15:25 - Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB
23/11/2020 15:23 - Guedes diz que país vai perder menos empregos que na última recessão
20/11/2020 15:21 - OMC vê recuperação no comércio, mas espera desaceleração no fim do ano
20/11/2020 15:17 - Auxílio emergencial é creditado para nascidos em dezembro
20/11/2020 15:13 - Brasil pode fechar ano perdendo menos empregos que em 2015 e 2016
19/11/2020 15:44 - Varejo deve faturar recorde de R$ 3,74 bi na Black Friday de 2020, diz CNC
19/11/2020 15:22 - Ipea projeta inflação de 3,5% para 2020
19/11/2020 15:20 - Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI
19/11/2020 15:17 - Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV
19/11/2020 15:15 - Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC
18/11/2020 16:02 - Desemprego tende a aumentar ainda mais entre pretos e pardos em 2021, aponta FGV
18/11/2020 15:56 - Vendas no varejo recuam 7,7% em outubro, mostra ICVA
18/11/2020 15:25 - IGP-M acumulado em 12 meses chega a 24,25%, diz FGV

Veja mais >>>