Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 











Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

05/05/2020 17:13 - Com pandemia, produção industrial tomba 9,1% e tem pior março desde 2002

A indústria registrou queda de 2,6% no 1° trimestre, na comparação com o 4° trimestre. “É a maior queda desde o segundo trimestre de 2018, que pega exatamente a greve dos caminhoneiros, quando caiu 2,7%”, destacou o gerente da pesquisa André Macedo.

Com o resultado de março, o patamar de produção retornou a nível próximo ao de agosto de 2003, ficando 24% abaixo do pico histórico, alcançado em maio de 2011 – em fevereiro essa distância era de 16,4%. O tombo de agora levou o setor a uma posição pior que a registrada com a greve dos caminhoneiros, em maio de 2018, quando o patamar ficou 23,9% abaixo do pico.

Vale lembrar, que o início das medidas restritivas provocadas pela pandemia e o período de confinamento não atingiu todo o mês de março. “O que a gente observa é que houve uma força maior das consequências do isolamento social no final do mês, com um número maior de plantas industriais concedendo férias coletivas e interrompendo a sua produção”, afirmou o pesquisador.

Segundo Macedo, os efeitos da pandemia sobre a produção industrial tendem a se prolongar, ao contrário do ocorrido com a greve dos caminhoneiros, que foi um movimento pontual.

“Pelo que a gente observa, você tem uma continuidade desse movimento de queda para o mês de abril e meses seguintes. Aquela queda da greve dos caminhoneiros foi reposta logo no mês seguinte, em junho, algo que a gente não vai conseguir observar pelo mês de abril”, avaliou.

Queda generalizada em março

Segundo o IBGE, houve queda de produção em todas as quatro grandes categorias do setor e em 23 dos 26 ramos pesquisados, evidenciando o aprofundamento das paralisações em diversas plantas industriais, devido ao isolamento social por conta da pandemia de Covid-19.

Entre as atividades, a queda que exerceu a maior pressão no índice geral foi a de veículos automotores, reboques e carrocerias (-28%), pior resultado desde maio de 2018(-29%). "O movimento de quarentena fez com que muitas empresas interrompessem o seu processo de produção, seja concedendo férias coletivas ou paralisando as atividades por determinados períodos”, destacou Macedo.

74% dos empregados da indústria automotiva têm contrato suspenso ou jornada reduzida

23 dos 26 ramos industriais pesquisados registraram queda em março, segundo o IBGE — Foto: Divulgação23 dos 26 ramos industriais pesquisados registraram queda em março, segundo o IBGE — Foto: Divulgação

23 dos 26 ramos industriais pesquisados registraram queda em março, segundo o IBGE — Foto: Divulgação

Outros destaques negativos em março foram os ramos de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-37,8%), bebidas (-19,4%), couro, artigos para viagem e calçados (-31,5%), produtos de borracha e de material plástico (-12,5%), máquinas e equipamentos (-9,1%), produtos de minerais não-metálicos (-11,9%), produtos têxteis (-20,0%) e móveis (-27,2%).

As únicas altas foram registradas nos ramos de impressão e reprodução de gravações (8,4%), de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (0,7%) e de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (0,3%).

Perspectivas


De acordo com último boletim Focus do Banco Central, o mercado financeiro passou a projetar retração de 3,76% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020. Já a previsão dos analistas para a produção industrial no ano é de uma queda de 2,75%.

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que a pandemia de coronavírus derrubou a confiança do empresário industrial para mínimas históricas na passagem de março para abril.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua) do IBGE, mostraram que o número de postos de trabalho na indústria caiu -2,6% no 1° trimestre (ou menos 322 mil pessoas), na comparação com o 4° trimestre.

Com a crise, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) da indústria brasileira atingiu em abril o menor patamar já registrado, segundo levantamento da Fundação Getulio Vargas. O indicador alcançou o percentual de 57,5% em abril, menor valor da série histórica iniciada em janeiro de 2001. Isso significa que, em média, o setor industrial operou com pouco mais da metade da sua capacidade total. Os segmentos mais impactados foram os de vestuário, veículos e couros e calçados.

 

Fonte: G1

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

02/06/2020 16:44 - Confiança do empresário do comércio em maio tem a maior queda da série, diz CNC
02/06/2020 16:34 - Caixa libera saques e transferências da 2ª parcela para nascidos em março
02/06/2020 16:26 - Após queda do PIB, governo quer incentivar exportações
02/06/2020 16:16 - BC defende manutenção de meta de inflação para 2020
02/06/2020 16:07 - O desemprego na pandemia: mais que Direito e Economia
02/06/2020 15:55 - O impacto da pandemia nos mercados financeiros
02/06/2020 14:22 - Governo oferece garantia em empréstimo para pequena e média empresa
01/06/2020 16:00 - FGV: confiança empresarial sobe 9,8 pontos em maio ante abril, para 65,5 pontos
01/06/2020 15:58 - Caixa credita auxílio emergencial em contas dos beneficiários
01/06/2020 15:53 - Analistas do mercado estimam tombo de 6,25% para o PIB em 2020
01/06/2020 15:47 - Os sinais da desconfiança do capital externo
01/06/2020 15:28 - Cesta básica custa R$ 90 a mais do que no ano passado
29/05/2020 16:05 - Com pandemia, PIB do Brasil encolhe 1,5% no 1º trimestre e regride ao patamar de 2012
29/05/2020 15:53 - Faturamento caiu em mais de 80% das indústrias nos últimos 45 dias
29/05/2020 15:51 - Taxa Selic e os indícios de novos cortes

Veja mais >>>