Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

02/07/2019 15:53 - Governo federal vai ampliar benefício fiscal para setor de refrigerantes

O governo federal decidiu ampliar, a partir de outubro, um benefício fiscal para as indústrias de refrigerantes instaladas na Zona Franca de Manaus. Decreto presidencial publicado nesta segunda-feira (1º) em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) vai aumentar de 8% para 10%, a partir de 1º de outubro, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de “concentrados” para refrigerantes.

 

Na prática, com a medida, o governo permitirá que os fabricantes instalados na Zona Franca tenham maior benefício tributário, reduzindo a arrecadação federal. O Ministério da Economia afirmou que a medida custará R$ 18,5 milhões aos cofres públicos em 2019, mas não informou o valor que impactará o orçamento do ano que vem.

Na Zona Franca o IPI é zero, mas as empresas têm direito a crédito na mesma alíquota cobrado daquelas que atuam em outras regiões do país. Quando o governo aumenta o imposto, cresce também o benefício. Esses créditos podem ser usados, por exemplo, para abater dívidas com a União.

 

O Ministério da Economia não se manifestou sobre a medida até a publicação desta matéria.

Em nota, a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcóolicas (Abir), que reúne mais de 60 empresas, classificou o novo decreto como “relevante” e afirmou que a carga tributária do setor “é a maior da América Latina”.

 “Representa um reconhecimento, por parte do Governo Federal, da importância da manutenção dos benefícios ao setor na Zona Franca de Manaus”, avaliou a entidade.

 

Histórico

 

As mudanças no IPI para refrigerantes começaram em maio de 2018, quando o governo reduziu a alíquota de 20% para 4%, em meio à greve dos caminhoneiros.

O objetivo era diminuir o crédito dos fabricantes da Zona Franca, o que geraria uma economia de R$ 740 milhões para a União. Os recursos ajudariam a cobrir o subsídio ao diesel. À época, o setor de refrigerantes reclamou.

 

Com o risco de a medida ser derrubada no Congresso, o ex-presidente Michel Temer editou novo decreto, em setembro, criando uma “escadinha”. O IPI sobre concentrados seria de 12% a partir de janeiro deste ano; 8% a partir de hoje, 1º de julho; e de 4% a partir de 2019

 

Fonte: G1 - Economia

 

 

 

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

21/02/2020 12:23 - Confiança do comércio cresce em fevereiro e retorna ao patamar de 1 ano atrás
21/02/2020 12:20 - Brasileiros acreditam que inflação ficará em 5% nos próximos 12 meses
21/02/2020 12:08 - Vendas no comércio varejista crescem 3,6% em janeiro, diz Serasa
21/02/2020 11:35 - Preços de vestuário e alimentos caem e IPCA-15 tem menor fevereiro desde 1994
20/02/2020 11:35 - Instalada comissão mista do Congresso que analisará reforma tributária
20/02/2020 11:34 - BC altera regras do compulsório e injeta R$ 135 bilhões na economia a partir de março
20/02/2020 11:25 - Recuperação gradual da economia brasileira atinge todas as regiões
20/02/2020 11:18 - Vendas do varejo na Capital aumentam 1,8%
19/02/2020 15:44 - Apesar do 2019 decepcionante, confiança na indústria está com tudo
19/02/2020 15:43 - Economia brasileira continua a se recuperar mesmo com incerteza no cenário externo, diz BC

Veja mais >>>