Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 











Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Geral

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Geral

21/07/2020 12:05 - Câmara aprova auxílio com cinco parcelas de R$ 600 a agricultores familiares

A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (20) um projeto de lei que estende o auxílio emergencial de R$ 600 a agricultores familiares que ainda não tenham recebido o benefício. O texto segue, agora, para o Senado. O benefício é uma tentativa de diminuir os impactos socioeconômicos causados pela pandemia do novo coronavírus.


Os agricultores familiares chegaram a ser incluídos pelo Congresso no projeto original de criação do auxílio emergencial, mas o trecho foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. Se for sancionado, os agricultores devem receber as cinco parcelas de R$ 600, assim como os trabalhadores informais já contemplados.

Como previsto no auxílio emergencial "geral", a mulher agricultora familiar que cuidar, sozinha, de seus filhos receberá duas cotas do benefício. 

 

Segundo o relator da matéria, deputado Zé Silva (Solidariedade-MG), a pandemia impôs restrições severas como a interrupção temporária das atividades de restaurantes, hotéis, escolas, indústrias e comércio em geral, o que prejudicou o mercado de alimentos. "A falta de apoio [à atividade rural] pode provocar uma onda de êxodo rural, piorando a situação no campo e também nas cidades, por falta de ocupações e renda, além de aumentar a pobreza e extrema pobreza no meio rural", diz o deputado em seu parecer.


Acesso ao benefício


Para ter acesso ao recurso, o agricultor familiar deve se encaixar nos seguintes requisitos, semelhantes aos critérios para a concessão do auxílio emergencial:

 

- cadastrar-se na entidade de assistência técnica e extensão rural credenciada à Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater);
- ter mais de 18 anos;
- não ter emprego formal ativo;
- ter renda familiar mensal per capita de até meio salário-mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos;
- não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Programa Bolsa Família e do seguro-desemprego recebido durante o período de defeso;
- não ter recebido, em 2018, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

 

O projeto prevê, ainda, a abertura automática de uma poupança social digital, por meio da qual pode ser feito o pagamento do benefício pelos bancos públicos federais.  Os beneficiários que não tiverem acesso à internet podem fazer o saque do auxílio apresentando documento de identidade e CPF.

 

Em caso de acesso irregular ao benefício, como por exemplo por meio de fraude ou informação falsa, o responsável deve restituir os valores, podendo também ser punido com ações civis e criminais. O texto também garante que esse apoio não descaracteriza a condição do agricultor familiar de segurado especial da previdência.

 

Fomento a agricultores


O projeto cria o Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural para apoiar a atividade produtiva de agricultores familiares durante o estado de calamidade pública. Pelo texto, o benefício pode ser concedido aqueles que se encontram em situação de pobreza e extrema pobreza, excluídos os benefícios previdenciários rurais. 
A proposta autoriza a União a transferir ao beneficiário do fomento R$ 2.500, em parcela única, por unidade familiar. Para a mulher agricultora familiar, a transferência será de R$ 3 mil.

 

A proposta também prevê a transferência, por parte do governo, de recursos financeiros não reembolsáveis aos agricultores que aderirem ao fomento e se comprometerem a implantar as etapas previstas em um projeto de estruturação da unidade produtiva familiar, que deve ser elaborado pela Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Se o projeto contemplar a implementação de cisternas ou tecnologias de acesso à água, a transferência poderá ser de até R$ 3.500 por unidade familiar.

 

Outros pontos do projeto


Além dos itens acima, o texto fala sobre:

 

Garantia-Safra


Aa proposta prevê concessão automática do benefício Garantia-Safra aos agricultores familiares aptos a receber o auxílio, após apresentação de laudo técnico de vistoria municipal comprovando a perda de safra;

 

Linha de crédito


O texto autoriza o Conselho Monetário Nacional (CMN) a criar linhas de crédito rural, com condições especiais, no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Podem se beneficiar das medidas agricultores familiares com renda familiar mensal de até três salários mínimos.

 

Entre as condições para a linha de crédito, estão a taxa de juros de 1% ao ano; prazo de vencimento mínimo de 10 anos, com cinco de carência; limite de financiamento de R$ 10 mil por beneficiário; e prazo para contratação até o fim de 2021.

 

No caso da mulher agricultora familiar, a taxa de juros será menor, de 0,5% ao ano, e com bônus adicional de adimplência de 20% sobre os valores pagos até a data de vencimento.

 

Abastecimento emergencial


Criação do Programa de Atendimento Emergencial à Agricultura Familiar (PAE-AF), que deve operar enquanto durar os impactos econômicos causados pela pandemia, para atender os agricultores familiares que não efetuaram transações no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) nos últimos dois anos.

 

O objetivo da medida é promover o abastecimento emergencial de pessoas em situação de insegurança alimentar. As aquisições anuais serão limitadas a R$ 4 mil por unidade familiar ou, no caso de mulher agricultora, de R$ 5 mil.

 

Dívidas


O projeto faz mudanças em várias legislações que tratam de programa de crédito e renegociação de dívidas.

O texto autoriza, por exemplo, a prorrogação, para um ano após a última prestação, do vencimento das parcelas vencidas ou a vencer em 2020 relativas a operações de crédito rural contratadas por agricultores familiares ou no âmbito do Programa Nacional de Crédito Fundiário, conhecido como Terra Brasil, que financia a compra da terra para trabalhadores rurais e investimentos em infraestrutura. Também reabre prazo de adesão ao Programa de Regularização Tributária Rural (PRR).

 

 

Fonte: G1

 

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

18/09/2020 13:40 - Governo cria Rede de Bancos de Alimentos para combater desperdício
18/09/2020 13:38 - Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
17/09/2020 15:24 - SiteMercado: veja quem é a nova startup comprada pelo iFood
17/09/2020 13:10 - IBGE: insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros
16/09/2020 15:21 - 7 tendências que ajudarão o varejo a se reerguer no pós-Covid
16/09/2020 15:19 - Black Friday brasileira: vendas caem 8,3% em relação a 2019, diz Cielo
15/09/2020 15:50 - Setor de alimentos e bebidas cresce 150% no digital durante a quarentena
11/09/2020 15:42 - Nestlé vai investir mais de R$ 500 milhões na produção de chocolates e biscoitos
03/09/2020 16:19 - Chocolates continuam sendo uma válvula de escape
03/09/2020 15:45 - Varejo moderno tem crescimento de 13,6% no primeiro semestre de 2020
02/09/2020 15:16 - Agronegócio passa ileso à tombo recorde do PIB no 2° trimestre
31/08/2020 17:16 - Cresce consumo de marcas locais e próprias no Brasil
27/08/2020 16:52 - Agropecuária abre mais de 85 mil postos de trabalho de janeiro a julho, diz CNA
27/08/2020 16:04 - Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor nesta quinta-feira
25/08/2020 16:04 - Pandemia leva consumidores a trocar pontos/milhas por itens do varejo

Veja mais >>>