2021

Logo Líderes de Vendas

Liderança com sabor especial

Live realizada pela ABRAS revelou e homenageou as marcas que lideraram as comercializações em 150 categorias, apuradas pela 22ª edição da pesquisa Líderes de Vendas

Tradicional encontro do varejo e da indústria, a premiação Líderes de Vendas teve sua edição 2021 transmitida no dia 8 de abril. O evento, promovido pela ABRAS, prestou homenagem às marcas que se destacaram em 2020, um ano inimaginável e de grande impacto para as operações do varejo e de transformações significativas no comportamento do consumidor. Na ocasião, as marcas que lideraram as vendas em 150 categorias de alto giro, pertencentes a seis cestas de consumo, foram premiadas nesta ocasião (veja pesquisa completa na edição de abril de SuperHiper). A pesquisa Líderes de Vendas é fruto de uma parceria de 22 anos com a NielsenIQ.

Dando suas boas-vindas ao público, o presidente da entidade, João Galassi, fez breve menção às vítimas da pandemia, se solidarizando com as famílias atingidas. “Àqueles que sofreram a perda terrível de entes queridos, este é um breve cumprimento, uma mensagem de conforto e de esperança. Logo sairemos dessa”, disse.

 A produção do evento Líderes de Venda 2021 serviu de amostra ao público da nova atuação multicanal da SuperHiper. Agora, com novos meios de comunicação, ela dispõe de plataforma de TV e site na internet. “Este é um pilar muito importante para o setor supermercadista. Estamos trabalhando para que a SuperHiper seja mais que um veículo de comunicação, mas um veículo de conhecimento”, observou Galassi. “Às 84 marcas contempladas na noite, o merecido reconhecimento pela conquista do Líderes de Vendas. Sabemos que vocês são as marcas que os consumidores preferem e adquirem em maior volume. Então, parabéns a vocês que ganharam o prêmio nesta noite.”

O aguardado anúncio das marcas Líderes de Vendas 2021 foi intercalado com trechos de palestra ministrada pela NielsenIQ. A apresentação, sobre a conjuntura de mercado com dados e análises dos principais movimentos no consumo em 2020 e as perspectivas para 2021, teve sua importância e qualidade destacada por João Galassi, que antecipadamente garantiu o compartilhamento das informações com todos os elos da cadeia de abastecimento.

Também como anfitrião do prêmio, o vice-presidente de Negócios e Marketing da ABRAS, Celso Furtado, observou que a qualidade do trabalho desenvolvido pela Nielsen com a entidade ganha cada vez mais relevância para empresas da cadeia do autosserviço. “A parceria com a Nielsen acaba levando informações estratégicas à indústria e ao varejista no sentido de aprimorar o setor em sua performance”, disse. “Quero também parabenizar todas as marcas premiadas, empresas que se destacaram com exemplos de inovação, de eficiência e de trabalho em equipe”, cumprimentou para, em seguida, destacar os novos canais da SuperHiper e anunciar que mais inovações chegarão em breve ao portfólio da associação. “Vamos continuar trabalhando a jornada da comunicação para oferecer uma solução muito mais completa e focada em visibilidade e relacionamento, buscando, assim, novos negócios, mais desempenho e, principalmente, desenvolvimento da cadeia do abastecimento.”

Um ano repleto de desafio os, 2020 exigiu que o varejo e indústria trabalhassem de modo extraordinário para evitar o desabastecimento ao consumidor, frisou aos participantes o diretor de Retail Service NielsenIQ, Roberto Butragueño. “Ter todas as informações disponíveis torna-se ainda mais relevante para tomar decisões e reforçar o relacionamento entre líderes de venda com o varejo, para que lá na ponta o consumidor tenha o melhor produto”, disse.

Informações estratégicas

Durante o evento, a NielsenIQ apresentou uma ampla gama de dados e informações relacionadas à conjuntura econômica do País, o comportamento do consumidor em 2020, os impactos nos canais e a movimentação das categorias do varejo nacional (veja quadros com os principais destaques).

 O alto índice de desemprego que se sobressaiu no panorama econômico do País foi o ponto de partida da palestra ministrada pelo gerente de Atendimento ao Varejo da NielsenIQ, Daniel Asp Souza. Em meio à retração do PIB brasileiro (-4,1%) em 2020, a necessidade de reformas estruturais na gestão das contas públicas e a segunda onda de contágio pela covid-19, ainda mais intensa que a primeira, contribuíram para que a taxa de desocupados se mantivesse em crescimento, impactando a confiança do consumidor.

“Cerca de 40% da mão de obra vivem na informalidade e, com as medidas restritivas, são os primeiros a sofrer. A baixa confiança do consumidor com a escalada de preços dos alimentos em 2020 fez com que a preocupação das famílias, inicialmente voltada para a saúde, passassem a se voltar também para sua capacidade de compra”, avaliou Daniel. Segundo ele, mais de um terço das famílias tiveram redução significativa no seu orçamento, o que acaba impactando toda a cadeia do consumo.

Acesse aqui a cobertura completa do evento