(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Banco Central define como dados de clientes de consórcio vão para o Cadastro Positivo 07/10/2013 às 14h

Uma nova etapa para a plena implementação do Cadastro Positivo --banco de dados que reúne o histórico dos pagamentos feitos em dia por consumidores-- foi concluída na semana passada.


O Banco Central publicou na quarta-feira (2) uma circular que estabelece os procedimentos que as administradoras de consórcio devem adotar para enviar informações de seus clientes aos gestores de bancos de dados. As informações só serão enviadas com autorização dos consumidores.


De acordo com Elaine Gomes, gerente do departamento jurídico da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), como o sistema de consórcio tem certas peculiaridades, que o torna diferente de um financiamento comum, por exemplo, era preciso que houvesse uma regulamentação específica.


"No financiamento do carro, o consumidor já pega o bem imediatamente. E se deixar de pagar uma parcela, o mercado entende que ele é um mau pagador. No consórcio não é assim. Quando a pessoa compra uma cota de um consórcio, ela não se torna devedora imediatamente. Só após ser contemplada e ter comprado o bem.".


Assim, só quando o consorciado deixa de pagar uma prestação é que ele pode ser considerado mau pagador, diz Elaine. Além disso, quem entra no consórcio pode deixar o grupo antes de ser contemplado, sem que isso o torne um devedor.


No momento de alimentar o Cadastro Positivo, essas questões fazem diferença e a circular do BC foi elaborada justamente para deixar claro quais dados devem ser enviados aos gestores e como esses gestores devem lidar com as informações.


Na prática, as regras definidas pelo BC não farão nenhuma diferença para os consumidores. "Elas apenas estabelecem como se dará a comunicação entre as administradoras de consórcio e os gestores de bancos de dados".


De acordo com Elaine, as administradoras estavam esperando essas regras para poderem se adaptar e começar a alimentar o Cadastro Positivo.


As administradoras têm até junho de 2014 para darem início ao envio de dados.



Bancos


Os bancos e as instituições financeiras já estão alimentando o Cadastro Positivo desde primeiro de agosto, enviando informações de pagamentos feitos em dia, como empréstimos, crediários e até contas de consumo, como água e luz.


A perspectiva é que esse cadastro ajude os bons pagadores a conseguir juros menores em compras e financiamentos, mas ainda não está certo quando os consumidores verão os resultados positivos do cadastro.


Viviam Nunes de São Paulo



Fonte: Folha de São Paulo (05.10.2013)




Clipping Portal ABRAS


Últimas

» BC modifica regulamento que disciplina funcionamento do Pix 23 de Novembro 2020, às 16h
» Receita anuncia regras para declaração do IRRF de 2020 23 de Novembro 2020, às 16h
» Empresa não é obrigada a cumprir oferta quando erro no preço for de fácil constatação 23 de Novembro 2020, às 16h
» Reajustes de planos de saúde voltam a ser pagos em janeiro 23 de Novembro 2020, às 16h
» Mediação empresarial pré-processual para empresas impactadas pela pandemia de Covid-19 23 de Novembro 2020, às 16h
» Pleno determina realização de audiência mista para atender parte que alegou não ter condições técnicas para participar de videoconferência 23 de Novembro 2020, às 16h
» Uso do WhatsApp agiliza audiências de conciliação e mediação em MG 23 de Novembro 2020, às 16h
» TRF 1ª Região – INSTITUCIONAL: PJe ganhará nova versão do sistema 23 de Novembro 2020, às 16h
» Estados e DF podem legislar sobre postagem de boletos de empresas públicas e privadas 20 de Novembro 2020, às 16h
» TST admite recurso contra decisão monocrática que rejeita agravo por ausência de transcendência 20 de Novembro 2020, às 16h

Ver mais »