(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Hotel de luxo em São Paulo tinha alimentos vencidos 08/11/2011 às 15h

Chef e nutricionista do Grand Hyatt foram presos e liberados após fiança

Polícia apreendeu 100 kg de produtos fora da validade, alguns desde 2008; jantar custa até R$ 350 por pessoa

DE SÃO PAULO

São 27 itens e cerca de 100 kg de alimentos como filé-mignon, palmito pupunha, galinha de angola, pato defumado e molho japonês. Em comum, esses produtos têm a data de validade vencida e estão na relação de produtos apreendidos pela polícia ontem no Grand Hyatt, um dos mais luxuosos hotéis de São Paulo.


A operação ocorreu na manhã de ontem após uma denúncia anônima. O chef Tommy Franssila, 39, e a nutricionista Amanda Ciocler, 27, foram presos como o responsáveis pelo armazenamento. Eles foram soltos à noite após pagar uma fiança de cinco salários mínimos (R$ 2.725).


Um jantar no Grand Hyatt, localizado na zona sul, chega a custar, em ocasiões especiais, R$ 350 por pessoa. Nele, já se hospedaram personalidades como o ex-Beatle Paul McCartney e o Dalai-Lama.


De acordo com o delegado Paulo Alberto Mendes Pereira, da Delegacia de Saúde Pública, parte dos produtos tinha poucos dias de vencimento e outros estavam vencidos desde 2008, mas o principal motivo da prisão foi a "quantidade e diversidade de produtos". Eles estavam, segundo a polícia, na câmara fria central, junto com os outros produtos, e em potes abertos no restaurante central.

CRIME CULPOSO


A acusação é de crime contra as relações de consumo. A polícia disse não haver indícios de que os produtos estavam armazenados deliberadamente. Por isso, enquadrou o crime como culposo, isto é, não intencional, considerando ter havido negligência dos profissionais.


Isso reduz a pena em um terço, segundo ele, no caso de eventual condenação. A pena prevista vai de um ano a cinco de detenção. Segundo a polícia, neste ano já foram apreendidas 130 toneladas de produtos vencidos em vários tipos de estabelecimentos, desde bar a supermercados.
No Rio, no mês passado, operação da polícia apreendeu 200 kg de alimentos considerados impróprios nos hoteis Othon, Marriott, Pestana e Sofitel. Quatro pessoas foram detidas.

OUTRO LADO

Hyatt diz que prioriza saúde dos hóspedes


O Grand Hyatt de São Paulo informou, em nota, que segue "os mais rigorosos procedimentos de segurança alimentar" e que já "está tomando providências imediatas de aprimoramento de seus sistemas de controle".


"O bem-estar, a saúde e a segurança de seus hóspedes e funcionários são prioridade", diz trecho da nota. O hotel confirmou a apreensão, mas afirmou que os produtos estavam "com a devida identificação".


"Estes alimentos estavam armazenados na câmara fria e fora de contato com os produtos manipulados na cozinha central dos restaurantes. Ainda assim, eles deveriam ter sido descartados."


A polícia diz, porém, que não havia essa identificação obrigatória e que havia produtos na cozinha central. Os funcionários disseram à policia que os produtos vencidos jamais chegariam aos clientes porque há mais duas fases de análise das mercadorias utilizadas. Eles disseram que pode haver também erro nas datas coladas em algumas etiquetas.



Fonte: Folha de S. Paulo (08.11.2011)




Clipping Portal ABRAS


Últimas

» Projeto que altera a Lei de Falências segue para sanção 26 de Novembro 2020, às 16h
» TJRS – Justiça autoriza que shopping pague somente pela luz utilizada durante primeiros meses da pandemia 26 de Novembro 2020, às 16h
» Site da Receita Federal traz nova seção relacionada à regularização do CPF 26 de Novembro 2020, às 16h
» TJDFT aprova criação de vara exclusiva para cobrança do ICMS 26 de Novembro 2020, às 16h
» TJMG adota Juízo 100% Digital 26 de Novembro 2020, às 16h
» A essencialidade da atividade de supermercados e o trabalho em feriados 26 de Novembro 2020, às 16h
» PGFN participa da Semana Nacional da Conciliação com propostas de acordo para quitação de dívidas, com descontos e prazos diferenciados 25 de Novembro 2020, às 16h
» Projeto autoriza parcelamento de dívida trabalhista executada durante pandemia 25 de Novembro 2020, às 16h
» Ministro rejeita mandado de segurança contra tramitação da Reforma Administrativa 25 de Novembro 2020, às 16h
» Decisões em ações civis públicas podem ter abrangência nacional, defende PGR 25 de Novembro 2020, às 16h

Ver mais »