(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Repetitivo discute inscrição do devedor em execução fiscal, por ordem judicial, nos cadastros de inadimplentes 19/02/2020 às 14h

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afetou cinco recursos especiais para julgamento sob o rito dos recursos repetitivos, nos quais o colegiado decidirá acerca da possibilidade de inscrição em cadastro de inadimplentes, por decisão judicial, do devedor em execução fiscal.

 

O assunto está cadastrado como Tema 1.026 no sistema de repetitivos. A questão submetida a julgamento é a seguinte: "Possibilidade ou não de inscrição em cadastros de inadimplentes, por decisão judicial, do devedor que figura no polo passivo de execução fiscal".

 

O colegiado determinou a suspensão do processamento dos agravos de instrumento em trâmite nos Tribunais de Justiça e nos Tribunais Regionais Federais, bem como dos recursos especiais e agravos em recurso especial que versem acerca do assunto.

 

Ainda segundo a decisão, nos casos em que a inscrição do devedor nos cadastros restritivos de crédito tenha sido feita pelo exequente, por seus próprios meios, os processos podem continuar a tramitar regularmente.

 

Suspensão limitada

Segundo o relator dos recursos, ministro Og Fernandes, não há dúvida de que o exequente, inclusive em execução fiscal, pode promover a inscrição do executado em cadastros de inadimplentes.

Entretanto, ele destacou que a questão dos repetitivos é saber se a inscrição pode ser determinada por ordem judicial em execução fiscal.

 

Og Fernandes afirmou que, nesse contexto, a suspensão geral dos processos não é adequada, pois prejudicaria o trâmite de milhares de execuções em todo o país. Para o ministro, uma delimitação mais restrita da suspensão de processos é a solução razoável.

 

Recursos repetitivos

O Código de Processo Civil regula no artigo 1.036 e seguintes o julgamento por amostragem, mediante a seleção de recursos especiais que tenham controvérsias idênticas. Ao afetar um processo, ou seja, encaminhá-lo para julgamento sob o rito dos repetitivos, os ministros facilitam a solução de demandas que se repetem nos tribunais brasileiros.

 

A possibilidade de aplicar o mesmo entendimento jurídico a diversos processos gera economia de tempo e segurança jurídica.

 

No site do STJ, é possível acessar todos os temas afetados, bem como saber a abrangência das decisões de sobrestamento e as teses jurídicas firmadas nos julgamentos, entre outras informações.

 

Leia o acórdão de afetação.

 

Esta notícia refere-se ao(s) processo(s):

 

REsp 1812449

 

Fonte: STJ – 19/02/2020.




Clipping Portal ABRAS


 

Últimas

» Supermercados registram crescimento de 4,61% em fevereiro 06 de Abril 2020, às 14h
» MP cria programa para financiar folha salarial de pequenas e médias empresas 06 de Abril 2020, às 13h
» Comitê Gestor do Simples Nacional aprova prorrogação dos tributos dos Estados e Municípios 06 de Abril 2020, às 12h
» Publicada Portaria que detalha postergação do prazo para pagamento de contribuições sociais 06 de Abril 2020, às 12h
» Senado aprova novas regras transitórias de direito civil e de locação de imóveis 06 de Abril 2020, às 12h
» Câmara aprova PEC do orçamento de guerra em 2º turno; texto vai ao Senado 06 de Abril 2020, às 12h
» Novo provimento CSM autoriza julgamentos virtuais sem se limitar a temas de urgência 06 de Abril 2020, às 12h
» Proposta adia obrigações tributárias por 60 dias 06 de Abril 2020, às 12h
» Licença-maternidade começa a contar a partir da alta da mãe ou do recém-nascido 06 de Abril 2020, às 12h
» Negado pedido de habeas corpus coletivo para todos os presos em grupos de risco do coronavírus 06 de Abril 2020, às 12h

Ver mais »