(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Procuradoria é favorável à Súmula da guerra fiscal 15/04/2014 às 13h

A Procuradoria-Geral da República (PGR) posicionou-se de forma favorável à aprovação da Proposta de Súmula Vinculante nº 69, que teria como objetivo tentar acabar com a guerra fiscal entre os Estados. O texto da proposta, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), declara como inconstitucional qualquer benefício fiscal concedido sem a aprovação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

 

Para o órgão, não seria preciso modular os efeitos da Súmula, para que ela começasse a valer apenas após sua edição. Assim, os Estados poderiam cobrar das empresas as diferenças de ICMS que teriam deixado de pagar.
Em seu parecer, a PGR opina pela aprovação do texto tal qual apresentado pelo ministro Gilmar Mendes, em abril de 2012. Na época, foi dado o prazo de 20 dias para que os interessados enviassem ao Supremo manifestações sobre o tema.


A reivindicação de modulação foi feita em uma das mais de 70 manifestações apresentadas. "Isso assusta os contribuintes que se beneficiaram de uma concessão do próprio Estado", diz o advogado Ronaldo Redenschi, do escritório Vinhas e Redenschi Advogados.


A PGR, entretanto, destaca que o próprio STF não tem aceito a modulação ao analisar as ações diretas de inconstitucionalidade (Adins) que questionam benefícios fiscais.


No parecer, o órgão defende ainda a obrigatoriedade de que a concessão de qualquer benefício fiscal passe pelo Confaz. "O que se busca com tal obrigação é garantir que todos os Estados, sejam mais ou menos desenvolvidos, tenham tratamento isonômico, assegurando-se que não sejam aprovados benefícios de interesse meramente regional", afirma.


Para o advogado Maurício Faro, do Barbosa, Müssnich & Aragão, a edição da súmula deveria aguardar a análise, pelo próprio Supremo, de uma ação que discute se o Estado de origem da mercadoria pode cancelar créditos de ICMS de quem se aproveitou de um benefício inconstitucional. Caso contrário, segundo o advogado, poderiam ocorrer cancelamentos posteriormente considerados irregulares.


Com a publicação do parecer da PGR, a proposta de súmula foi enviada à Comissão de Jurisprudência do STF, que teria até hoje para se manifestar sobre o tema.


Por Bárbara Mengardo | De São Paulo

 

 

Fonte: Valor Econômico (15.04.2014)

 




Clipping Portal ABRAS


Últimas

» Banco Central abre consultas para saques e trocos via Pix 11 de Maio 2021, às 14h
» BC modifica regulamento que disciplina funcionamento do Pix 11 de Maio 2021, às 14h
» STF discutirá responsabilização por divulgação de informações processuais em sites na internet 11 de Maio 2021, às 14h
» Juíza defere pedido de recuperação judicial de associação sem fins lucrativos 11 de Maio 2021, às 14h
» Receita Federal libera cadastramento de débitos previdenciários pelo e-CAC 11 de Maio 2021, às 14h
» TJRS – Confira as normativas publicadas durante o período de instabilidade dos sistemas de informática 11 de Maio 2021, às 14h
» Certidão de quitação eleitoral é gratuita e pode ser emitida pela internet 11 de Maio 2021, às 14h
» Presidente do STJ prestigia criação de procuradoria do MPMG para atuar nas cortes superiores 11 de Maio 2021, às 14h
» Publicada relação de produtos com bônus em maio 11 de Maio 2021, às 14h
» Novo eSocial Simplificado: veja como será a implantação dos módulos web 10 de Maio 2021, às 14h

Ver mais »