Supermercados desperdiçam 2,2% do faturamento com a perda de itens

Leia em 2min 30s

Apesar de terem melhorado o índice de ruptura entre 2014 e 2015, os varejistas brasileiros estão longe de alcançar a taxa considerada ideal, abaixo de 1%. Quebra operacional é a principal causa


 
São Paulo - Ainda que distante do índice ideal, os supermercados brasileiros melhoraram seus níveis de perdas de produtos em 2015. Segundo um levantamento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), os varejistas do setor desperdiçaram, em média, 2,26% de seu faturamento ano passado com produtos que nunca chegaram aos clientes.
 
Especialistas ouvidos pelo DCI defendem que a taxa de perdas ideal é abaixo de 1% do faturamento, como ocorre em alguns modelos supermercadistas fora do País.
 
"O melhor nível é aquele abaixo de 1%. Alcançar a perda zero é algo que demanda uma complexidade de processos e operações muito rara de ser observada, principalmente no Brasil. Mas, com algumas melhorias, é possível diminuir o índice atual", avalia o especialista em varejo e sócio-diretor da BA|Stockler, Marcus Cordeiro.
 
Atualmente, de acordo com a pesquisa da Abras sobre prevenção de perdas nos supermercados, o principal motivo que ocasiona o desperdício de produtos é a quebra operacional (35,8%), seguido pelo furto externo (20,0%), erros de inventário (11,1%) e furto interno (8,8%).
 
Para Cordeiro, o desperdício do setor supermercadista chega a ser preocupante, já que o modelo varejista trabalha com uma margem baixa de lucro.
 
"Essas perdas têm impacto direto no lucro e faturamento da companhia, pois eles trabalham com margens muito baixas. Mas é bem possível trabalhar processos e operações para evitar perdas", diz.
 
Rastreabilidade
 
Desde 2011, a entidade que representa o setor supermercadista desenvolve um trabalho focado no rastreamento dos produtos e alimentos que chegam às gôndolas das lojas.
 
Para o superintendente da Abras, Márcio Milan, o programa é a principal alternativa das varejistas para evitar ou, ao menos, diminuir as perdas, fator que ganha ainda mais relevância em meio à recessão.
 
"O monitoramento dos produtos desde a sua produção une as cadeias industriais, produtoras e varejistas, o que ajuda a diminuir o índice de desperdícios, principalmente no segmento de frutas, verduras e legumes, onde o nível de perdas anuais chegou a ser de 15% há alguns anos", conta.
 
Atualmente, no mesmo segmento, Milan afirma que o índice de perdas é de 6,8%. "O ideal para estes tipos de produtos perecíveis seria atingirmos o nível máximo de 5% de perdas", observa.
 
No geral, os produtos de maior valor agregado e que contribuíram negativamente para o índice de perdas dos supermercados no ano passado são: carnes (28%), bebidas em geral (21%), eletrônicos (17%), perfumaria (16%), doces (8%) e laticínios (3%). "A consciência sobre a importância do manuseio dos produtos tem aumentado ano a ano no Brasil. Mas é preciso melhorar ainda mais", justifica Milan.
 
Uma das redes que trabalha com o rastreamento dos produtos desde a produção é o grupo francês Carrefour.
 
Desde 2014, quando começou a participar do programa, a varejista contabiliza mais de 1 milhão de toneladas de alimentos rastreados.
 
Fonte: DCI


Veja também

Coop de São José dos Campos sedia Feira de Adoção

Preocupada em contribuir com a comunidade onde está inserida, a Coop – Cooperativa de Consumo sediará...

Veja mais
Catchup Tambaú em primeiro lugar no N/NE

Em tempo de Olimpíadas, ocupar um lugar de destaque em rankings parece ter uma emoção especial. Ima...

Veja mais
Prejuízo Bilionário

Supermercados Registram 2,26% de Perdas O setor supermercadista brasileiro registrou um índice de 2,26% de p...

Veja mais
Supermercados reduzem perdas em 2015

O setor de supermercados conseguiu reduzir o índice de perdas no último ano. É o que mostra a Avali...

Veja mais
Prejuízo bilionário supermercados registram 2,26% de perdas em 2015

O setor supermercadista brasileiro registrou um índice de 2,26% de perdas em 2015, o que representa em torno de R...

Veja mais
ÍNDICE ABRAS - Setor supermercadista registra 2,26% de perdas em 2015

O setor supermercadista brasileiro registrou um índice de 2,26% de perdas em 2015, o que representa em torno de R...

Veja mais
Fernando Yamada recebe homenagem no 28º Congresso da Abrasel

       O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) foi ho...

Veja mais
Setor supermercadista registra 2,26% de perdas em 2015

Superintendente da ABRAS, Márcio Milan Coordenador do Comitê ABRAS de Prevenção de Perda...

Veja mais
Otimismo aumenta entre os supermercadistas, revela pesquisa da Abras

Os empresários do supermercadistas estão mais otimistas em relação ao cenário macroec...

Veja mais