Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

03/02/2020 11:56 - Queda do desemprego acelerou no fim do ano puxada pelo emprego formal

O último mês do ano sempre registra resultados completamente diferentes em duas medidas de emprego. O Caged sempre cai em dezembro. É a medida de emprego formal. A desocupação medida pelo IBGE sempre tem em dezembro um número favorável. Essa medida é mais ampla e pega todos o tipo de trabalho, não apenas o emprego formal. Desta vez contudo a diferença ficou ainda maior, porque houve queda de mais de 300 mil vagas no Caged, e o desemprego caiu para 11%, o menor número para o último trimestre desde 2015. E foi justamente o emprego formal que subiu.

Mesmo caindo, o desemprego fechou o ano em níveis elevados novamente. Mas a taxa ficou 0,6 ponto menor no último trimestre de 2019 comparado a um ano antes. O dado acompanhou a atividade econômica, que nos últimos meses do ano também avançou mais rapidamente. Na média, calculada pelo IBGE, o desemprego em 2019 ficou em 11,9%, pouco abaixo do 12,3% de 2018. O país, no entanto, ainda tem 11,6 milhões pessoas à procura de um emprego. A fila encolheu, um ano antes havia 520 mil pessoas a mais nessa condição. O que tem acontecido é uma queda do desemprego, desde 2017, só que muito lenta para a necessidade do país.

O destaque deste trimestre, de outubro a dezembro, é que a melhora foi puxada pelos empregos com carteira assinada. O período fechou com 593 mil pessoas a mais contratadas no mercado de trabalho formal (33,7 milhões no total). Os empregos sem carteira assinada (11,9 milhões) ficaram estáveis no trimestre. Até setembro, a situação era diferente. A lenta recuperação do índice era puxada principalmente pelas vagas do mercado informal, de menor qualidade.

A pesquisa ainda traz números muito ruins. O número de desalentados continua estável. O país tem 4,6 milhões de pessoas que desistiram de procurar uma ocupação.

A taxa de desemprego foi a melhor para o fim do ano desde 2015, quando era de 8,9%. Isso também dá a medida da lenta recuperação da economia. O país ainda está distante dos 6,2% de desemprego que tinha no fim de 2013, melhor taxa da série para o quarto trimestre. O próprio governo prevê que o desemprego só cairá para um dígito em 2022.   

 

Fonte: O Globo         

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

27/02/2020 10:46 - Juro do cheque especial recua em janeiro, mas fica acima do limite fixado pelo BC
27/02/2020 10:33 - Coronavírus pode fazer PIB crescer menos de 2%
26/02/2020 17:13 - Mercado financeiro reduz previsão de inflação para 2020 e vê alta menor do PIB
26/02/2020 12:09 - Ambev transforma lixo do Carnaval em lixeiras nas ruas
26/02/2020 12:01 - Comprovantes para Imposto de Renda devem ser enviados até sexta-feira
26/02/2020 11:31 - Cerca de 37 milhões ainda têm direito a sacar o FGTS; prazo está acabando
21/02/2020 12:23 - Confiança do comércio cresce em fevereiro e retorna ao patamar de 1 ano atrás
21/02/2020 12:20 - Brasileiros acreditam que inflação ficará em 5% nos próximos 12 meses
21/02/2020 12:08 - Vendas no comércio varejista crescem 3,6% em janeiro, diz Serasa
21/02/2020 11:35 - Preços de vestuário e alimentos caem e IPCA-15 tem menor fevereiro desde 1994

Veja mais >>>