Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Bebidas

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Bebidas

30/11/2015 11:28 - Dólar caro encarece importados e abre espaço para bebidas nacionais

A escalada do dólar este ano prejudica o consumidor brasileiro em relação à compra de produtos importados, que estão mais caros. Por outro lado, gera efeitos positivos para alguns setores da indústria nacional. O fim do ano se aproxima e, com ele, as confraternizações que pedem bons vinhos e espumantes para festejar. Com a cotação da moeda norte-americana perto dos R$ 4, os brasileiros já voltaram os olhos para as bebidas nacionais e estão dispostos a substituir as que vêm de fora pelas produzidas no país. Em alguns estabelecimentos de Belo Horizonte, a procura por vinhos e espumantes fabricados no Brasil já aumentou até 30%.

Na Casa Rio Verde, as vendas dos produtos nacionais já cresceram 30%. De acordo com o gerente de Varejo, Renato Vinhal, diante do aumento do dólar, o consumidor já está mais tendencioso a comprar, principalmente, o vinho brasileiro, que ainda não tem tanta presença de mercado.

“A demanda pelos espumantes produzidos no país já é grande, pois o produto nacional já é consolidado e compete bem com os importados. A procura pelos vinhos brasileiros também aumentou muito, principalmente devido à elevação do dólar”. Vinhal revela que a casa trabalha com as marcas Adolfo Lona, Lídio Carraro e Courmayeur e está investindo ainda mais na diversidade dos modelos de cestas de Natal com produtos nacionais para atender a expectativa do cliente.

A Casa do Vinho, mais focada na comercialização de bebidas importadas, teve que repensar o estoque de fim de ano diante da alta do dólar. Segundo o sócio-proprietário, André Martini, as vendas da casa não caíram, no entanto, neste momento é preciso oferecer mais opções nacionais ao consumidor para evitar a queda. “Com o câmbio neste patamar, o reajuste de vinhos e espumantes importados seria de 40%. Contudo, consegui segurar e não repassei todo o aumento. Ainda assim, os produtos importados estão 15% mais caros. Estamos apostando nas vendas dos espumantes nacionais para este fim de ano. Eles são o carro-chefe dos produtos nacionais, com qualidade competitiva diante dos importados e boa fatia de mercado.

Para reforçar a aposta, Martini revela que a Casa do Vinho desenvolveu um espumante próprio, em parceria com a vinícola Luiz Argenta, nas opções brut branco e brut rosé. Segundo ele,  são bebidas com preço muito justo e competitivo para agradar a clientela. “Já os vinhos preocupam, pois somos muito dependentes dos importados”, diz o empresário.

Impacto De acordo com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o câmbio favorece os produtos nacionais, mas os produtores devem sentir um impacto mais positivo no próximo ano, caso o dólar continue valorizado frente ao real. O gerente de Promoção do instituto, Diego Bertolini, acredita que, neste momento, a questão psicológica do consumidor de ir em busca de um produto mais barato já influencie nas vendas de espumantes e vinhos nacionais.

“A maioria dos comerciantes ainda não repassou ao consumidor toda a elevação do câmbio nos produtos importados devido aos estoques mais antigos. O repasse deve ser feito de forma mais significativa no próximo ano, aí sim, favorecendo o produto nacional.” Bertolini lembra, no entanto, que, com o dólar caro, os insumos também aumentaram para os produtores brasileiros. “Os agrícolas tiveram alta de 40%, e os enológicos, baseados no dólar, de até 50%”, revela. Mas os fornecedores brasileiros estão otimistas. Segundo dados do Ibravin, de janeiro a outubro deste ano, o volume de vendas de espumantes foi quase 20% maior se comparado ao mesmo período do ano passado, o de vinhos cresceu 8%, e o suco de uva teve alta de 30%.

 



Veículo: Jornal Estado de Minas - MG

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

14/02/2020 12:19 - Brasil se torna o maior mercado da Heineken
12/02/2020 15:42 - Tendências de consumo no mercado de vinhos em 2020
06/02/2020 12:00 - Estrella Galicia retoma projeto de produzir cervejas em Minas
06/02/2020 11:57 - Concorrentes avançam sobre a Ambev
05/02/2020 12:04 - Em ritmo oposto ao da indústria, produção de bebidas alcoólicas cresce 4,8% em 2019
04/02/2020 11:40 - Coca Cola vai digitalizar ponta de gôndolas no PDV
03/02/2020 12:41 - Unilever estuda vender a marca Lipton
31/01/2020 12:50 - Varejo 4.0: lojas sem caixa nem estoque exigem mudanças nos vendedores
31/01/2020 12:48 - Diageo reporta crescimento de 7% no Brasil impulsionado pelo gim
31/01/2020 12:38 - Minalba inicia venda de água mineral em lata no Brasil

Veja mais >>>