Volume de FLV rastreado no Programa RAMA cresce 23,6% em 2016

O Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos (RAMA), da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), registrou crescimento de 23,6% no volume de frutas, verduras e legumes (FLV) rastreados em 2016, na comparação com o mesmo período de 2015, de acordo com o 2º balanço anual do programa, divulgado ontem (22/2) no evento RAMA 2020 – Tendências e Inovações na Cadeia Produtiva de Alimentos, realizado no Roof Top 5, em São Paulo.

No último ano, foi rastreado um total de 1,244 milhão de toneladas de FLV ante 1,006 milhão de toneladas registradas no mesmo período de 2015, de acordo com a PariPassu, empresa que faz a gestão técnica do Programa.

Lançado em 2011, o RAMA monitora e rastreia, no Brasil, uma média mensal de 104 mil toneladas de frutas, legumes e verduras.

“Conscientizar-se da importância do Programa RAMA é entender que somente o trabalho conjunto entre todos os elos da cadeia produtiva de alimentos, por meio da rastreabilidade conseguirá levar produtos de maior qualidade e seguros para o consumidor. Quanto mais evoluirmos na adesão de supermercadistas, produtores e fornecedores, mais rápidos serão os resultados obtidos para toda a sociedade”, destacou o presidente da ABRAS, João Sanzovo, durante discurso na abertura do evento.

Evento

O RAMA 2020 reuniu, ontem (22/2), empresários e executivos da cadeia de FLV de diversas regiões do País. No início das programações, o superintendente da ABRAS e coordenador do RAMA, Marcio Milan, e o diretor da PariPassu, Giampaolo Buso, apresentaram os últimos números do programa.
De abrangência nacional, o RAMA conta hoje com a participação de 44 varejos (que representam 20,5% das vendas totais de FLV comercializados pelo setor no Brasil).

Durante todo o ano de 2016, o RAMA registrou um índice de conformidade da ordem de 73%, apresentando melhora em relação ao mesmo período de 2015, que registrou 66%. As inconformidades se relacionam ao Limite Máximo de Resíduos (LMR), ingredientes Não Autorizados (NA), uma combinação dos dois (LMR+NA) e os ingredientes proibidos, seguindo nomenclatura utilizada pelo Programa de Análises de Resíduos em Alimentos (PARA), da Agência Nacional de Vigilância Sanitátia (Anvisa). No RAMA, 3% dos resultados de 2016 estão acima do LMR, de acordo com a PariPassu.

“Em 2011, lançamos o Programa RAMA com um conceito colaborativo e de integração dos elos da Cadeia Produtiva de FLV, com o foco na qualidade e na segurança do alimento consumido pelos clientes de supermercados. O evento RAMA 2020 nos dá a possibilidade de discutirmos a rastreabilidade com os elos da cadeia de abastecimento. Precisamos da ajuda de todos para melhorarmos nossas ações e evoluirmos”, destaca o superintendente da ABRAS.

Para o diretor da PariPassu, Giampaolo Buso, o RAMA é uma oportunidade em nível nacional de mostrar o esforço das empresas em entregar um alimento seguro e com qualidade ao consumidor. “O programa é uma referência em rastreabilidade de alimentos. Utilizamos os melhores profissionais e as melhores tecnologias. A conscientização sobre a importância do RAMA é fundamental para ampliarmos nossa abrangência.”

O programa conta atualmente com três associações estaduais atuantes: Associação Catarinense de Supermercados (ACATS), Associação Sergipana de Supermercados (ASES) e Associação de Supermercados do Rio Grande do Norte (ASSURN).

RAMA 2020

Marcio Milan e Giampaolo Buso apresentaram também as próximas metas e desafios do Programa RAMA para 2020. Dentre elas estão:

• Adesão, ao RAMA, de 30% dos supermercados e 100% de adesão dos produtores e distribuidores de FLV

• Aumentar em 25% a importância do FLV na receita do setor 

• Reduzir o desperdício de alimentos em 20% (perdas em FLV)

• Educação de toda cadeia produtiva de alimentos

• Integrar a cadeia por meio de padrões GS1

Palestras

O evento RAMA 2020 – Tendências e Inovações na Cadeia Produtiva de Alimentos trouxe importantes especialistas para debater os avanços do controle do uso de defensivos no País e os caminhos para as boas práticas na produção de alimentos, destacando a integração da cadeia com o foco no futuro.

O coordenador da Produção Integrada da Cadeia Produtiva Agrícola do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (MAPA), Helinton Rocha, falou, em sua palestra PI Brasil – Produção Agropecuária Integrada sobre a adequação de sistemas produtivos para geração de alimentos e outros produtos agropecuários seguros e de alta qualidade, mediante a aplicação de recursos naturais e a regulação de mecanismos para a substituição de insumos poluentes, garantindo a sustentabilidade e viabilizando a rastreabilidade da produção agropecuária.

Rocha enfatizou ainda as vantagens do RAMA e a união com a ABRAS na disseminação do programa para a cadeia produtiva. “Para nós do ministério é muito importante essa parceria porque nos auxilia em informações sobre a realidade do mercado. Os supermercados correspondem, hoje, por mais de 60% do consumo de FLV e, com o RAMA, conseguimos calibrar cada vez mais nossos protocolos e simplificar tanto o setor de varejo como o dos produtores, que precisam, cada dia mais, seguir protocolos relacionados às questões de rastreabilidade.”

As boas práticas da cadeia de alimentos, o desenvolvimento tecnológico, a importância de um padrão de integração e o impacto do RAMA em um varejista foram discutidos durante painel que contou com a participação da pesquisadora da Embrapa, Fagoni Fayer Calegário, do diretor da Trebeschi Tomates, Edson Trebeschi, do executivo de Engajamento e Projetos Sociais, da GS1, Nilson Gasconi e da supervisora de Segurança Alimentar da Cooperativa de Consumo (COOP), Débora Consenza.

O segundo painel do evento debateu rastreabilidade, integração da cadeia e capacitação de pequenos produtores rurais para fazer o correto uso de defensivos, e contou com a pesquisadora do CEPEA, Margarete Boteon, do gerente de Produtos e Mercado da Arysta, Guilherme Ogata, da gerente de Parcerias Para a Cadeia de Alimentos e Sustentabilidade, Cristiane Lourenço, e do gerente Para Produtividade Sustentável da América Latina da Syngenta, Fabrício Peres.

Na sequência, o presidente da Abrafruta, Jorge Luís de Souza, fez uma apresentação sobre o comportamento de consumo de FLV da população brasileira.

O gerente de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade do Carrefour, Fernando Careli, finalizou o circuito de palestras ressaltando a importância do combate ao desperdício no varejo como prática sustentável.

Premiações

No evento, aconteceu também a 2ª edição do Prêmio Destaque RAMA, que homenageou produtores e personalidades pela contribuição e parceria no Programa em 2016. Confira, abaixo, as empresas e as categorias premiadas:

Órgão governamental

• Helinton Rocha – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)

Produtor/Distribuidor

• Cea Rosa Vegetais
• Trebeschi Tomates
• Le Cultive

Varejo

• Angeloni
• Carrefour
• Supermercado Nordestão

Varejo de pequeno porte

• Zabot Supermercados

Personalidade

• Alberto Yoshida

Parceria

• GS1 Brasil

Acordo ABRAS e ABCM

Pelo reconhecimento da força do trabalho conjunto, o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, e o presidente da Associação Brasileira de Citros de Mesa (ABCM), Emilio Favero, assinaram durante o evento RAMA 2020 uma carta de intenções entre as duas entidades.

O Plano de Trabalho visa a promoção, nos supermercados brasileiros, dos citros de mesa (laranja, tangerina e limão), além do incentivo às boas práticas agrícolas e ao combate ao desperdício de alimentos por meio do programa RAMA.

Expositores

Os participantes também contaram com exposição de produtos e serviços de importantes empresas parceiras do evento RAMA 2020: Arysta, BASF, Bayer, GS1 Brasil, Syngenta, Trebeschi, Abrafrutas, Eurofins, Rijk Zwaan, ABCM, One Club e Sakata.

O evento RAMA 2020 contou ainda com o apoio institucional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa).

A cobertura completa do evento RAMA 2020 – Tendências e Inovações na Cadeia Produtiva de Alimentos estará na próxima edição da Revista SuperHiper.

Clique aqui e confira a apresentação do 2º Balanço RAMA na íntegra.

Redação Portal ABRAS