Lançado pela ACATS em SC o projeto “Supermercados Solares”

(esq.p/dir.)Paulo Cesar Lopes, pres. da ACATS, Eduardo Sattamini, pres. da Engie Brasil, Rodolfo Pinto, pres. da Engie Solar, e o superintendente de SC do BRDE, Nelson
dos Santos.

Em parceria com a empresa Engie Solar, a Associação Catarinense de Supermercados (ACATS) promoveu na última quinta-feira (2/3), em Florianópolis, o lançamento do projeto “Supermercados Solares”. Trata-se de uma parceria inédita no Brasil para possibilitar o uso de energia solar por parte dos supermercados catarinenses associados à entidade, aproveitando a disponibilidade dos telhados das lojas. Na oportunidade, o BRDE, formalizou um protocolo de intenções com o objetivo de disponibilizar linhas de financiamento a supermercados que participem do projeto Supermercados Solares.

Participaram do evento o presidente executivo da ACATS, Paulo Cesar Lopes, o presidente da Engie Brasil, Eduardo Sattamini, o presidente da Engie Solar, Rodolfo de Sousa Pinto e o superintendente de SC do BRDE, Nelson Ronnie dos Santos e a diretora do Imetro-SC, Elisabete Fernandes. A ACATS esteve também representada pelo vice-presidente Administrativo e Financeiro, Lucio Matos, também presidente do Singa, pelo vice-presidente Regional Delamar Silva Filho, pelo diretor executivo Antonio Carlos Poletini e pelo conselheiro Mário Cesar Pacheco.

Ineditismo do projeto

Em sua manifestação, o presidente da Engie Brasil, Eduardo Sattamini, afirmou que os negócios com a matriz da energia solar estão evoluindo no Brasil e torna-se estratégico para a empresa atuar neste segmento a fim de completar a oferta do serviço de fornecimento de energia para o mercado. Sattamini também destacou a oportunidade da parceria com a ACATS, a primeira Entidade a se posicionar de forma inovadora em favor dessa busca de uma nova alternativa energética.
O presidente executivo da ACATS, Paulo Cesar Lopes, considerou este lançamento uma data importante para o setor supermercadista catarinense, avançando mais uma etapa no Programa de Eficiência Energética (PEE/ACATS) lançado em 2015.

“Temos a convicção de que a oportunidade competitiva será muito bem aproveitada pelas empresas, já que o peso da energia será mais representativo a cada ano. A ACATS sente-se honrada de ser uma parceira de uma empresa de atuação expressiva e abrangente tanto aqui no Brasil como em 70 países mundo afora. Temos a certeza de que esta parceria vai gerar muitos e bons frutos a serem compartilhados por todos”, destacou Lopes.

Potencial da energia solar

Como convidado especial do evento, o Prof. Ricardo Rüther, coordenador do Grupo de Pesquisa Estratégica em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (FV-UFSC) e também presidente do Instituto para o Desenvolvimento das Energias Alternativas na América Latina (Ideal) apresentou características, vantagens e o potencial do uso da energia solar, que segundo ele, tem muito espaço para crescer. No Brasil se registram cerca de 7 mil telhados gerando energia solar enquanto em países como Alemanha, Inglaterra e Austrália o número ultrapassa a casa do milhão.
Seu exemplo mais elucidativo do potencial foi de mostrar o caso da usina de Itaipu, que fornece 20% da energia elétrica consumida no Brasil. Ela gera o equivalente a 14 GW. Se toda a superfície hídrica de Itaipu estivesse coberta com placas fotovoltaicas, o potencial de geração seria de 200 GW.

Soluções Engie Solar

Executivos da Engie Brasil e Engie Solar, Gabriel Mann, Antonio Previtare e Rodrigo Kimura, reforçaram conteúdos sobre o uso das soluções existentes para sistemas de geração de energia fotovoltaica e também da possibilidade de acesso ao mercado livre para aquisição deste ativo.
A equipe técnica da Engie Solar apresentou três modelos de equipamentos com diferenciação de porte por uso de metragem de telhados, que serão oferecidos aos associados da ACATS, sendo que a possibilidade de compra coletiva de equipamentos poderá proporcionar um desconto de até 20%. Os exemplos mostrados de projetos já existentes estimaram um período de tempo de retorno (pay back) do investimento em 5 a 6 anos. A garantia dos produtos é para 25 anos.

O projeto na prática

De acordo com Rodrigo Kimura, o cronograma do projeto Supermercados Solares foi estimado para ser viabilizado nos próximos quatro meses. As etapas: 1) Coleta de informações e análise das faturas de energia dos supermercados associados e integrados ao projeto; 2 – Identificação do potencial das lojas; 3 – Elaboração de relatórios de avaliação; 4 – Manifestação de interesse e definição de pré-contrato e 5 – Fechamento do contrato e início de execução do projeto. O prazo para instalação é previsto em 90-100 dias.

O BRDE definiu linhas de financiamentos específicas para o Projeto Supermercados Solares, oficializado pelo protocolo de intenções assinado no evento de lançamento. Os contratos serão firmados diretamente com as empresas interessadas. As modalidades preveem prazos de até 10 anos e de até 20 anos, com taxas em torno de 1,07% ao mês e carências entre 2 e 3 anos. O pacote do BRDE, segundo o superintendente do escritório de Santa Catarina, Nelson Ronnie dos Santos, foi desenvolvido dentro do programa de fomento BRDE Energia.

De acordo com o diretor executivo Antonio Carlos Poletini, todos os supermercados associados da ACATS receberão material informativo do Projeto, bem como as vantagens do mesmo, a fim de que eles possam estudar esta alternativa e se manifestar sobre interesse em adesão ao mesmo.
“Agora vamos avançar de forma prática, em parceria com a Engie Solar. A otimização dos espaços de telhados das lojas e de coberturas de estacionamentos de veículos para instalação de placas de energia fotovoltaica, com o aproveitamento da energia solar, é solução ecologicamente limpa e sustentável, com viabilidade econômica e financeira para empresas de todos os portes”, disse Poletini.

Links úteis sobre energia solar:

http://fotovoltaica.ufsc.br/sistemas/fotov/

http://minhaenergiasolar.com.br/

Fonte: Marcos Heise - Assessoria de Imprensa ACATS