Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Sustentabilidade

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Sustentabilidade

09/08/2016 12:09 - Ambev vai de reciclagem à venda de lodo e terra

A gigante do setor de bebidas negocia com empresas instaladas próximas de suas plantas subprodutos da fabricação que são usados até em siderúrgicas

 
São Paulo - A reciclagem de embalagens é só uma parte dos vários processos liderados pela área de sustentabilidade ambiental da Ambev. A companhia obteve quase R$ 120 milhões no ano passado, com a venda de subprodutos como efluentes industriais, terra e lodo e bagaço de malte.
 
De acordo com a gerente de relações socioambientais da Ambev, Simone Veltri, a Anheuser-Busch InBev (AB InBev), controladora da Ambev Brasil, colocou oito metas ambientais para as empresas do grupo em 25 países e todas devem ser cumpridas até 2017. "Uma das metas é reduzir em 100 mil toneladas a matéria-prima na produção de embalagens", destaca ela. Nesse sentido, a Ambev tem investido em inovação de embalagens (latas de alumínio, garrafas de vidro e PET). O foco atual é a venda de bebidas em garrafa de vidro retornável que, além ser reaproveitada por até 20 vezes, depois de descartada é reciclada.
 
A Ambev possui, no Rio de Janeiro, uma fábrica que produz garrafas de vidro, onde 60% das garrafas são produzidos a partir do material reciclado. "Essa fábrica é uma das maiores recicladoras de cacos de vidro na América Latina."
 
No caso das garrafas PET, segundo a executiva, a companhia foi a primeira empresa do Brasil a criar uma garrafa PET elaborada com material 100% reciclado, em meados de 2012.
 
Para estimular a reciclagem e a correta destinação das embalagens pós-consumo, a empresa mantém o Ambev Recicla, que visa elevar a reciclagem no País por meio da inclusão social e da geração de renda para os catadores. Hoje, a plataforma conta com mais de 50 cooperativas em dez estados brasileiros.
 
Negócios
 
Em parceria com empresas instaladas em torno de suas cervejarias, a Ambev tem desenvolvido projetos para reaproveitar os efluentes industriais tratados. Um exemplo é a parceria com o Consórcio de Alumínio do Maranhão (Alumar), formado por Alcoa, Rio Tinto Alcan e BHP Billiton, que reutiliza os efluentes tratados da cervejaria da Ambev no estado. "O efluente que seria descartado no rio Pedrinhas é bombeado até uma lagoa de sedimentação da Alumar para ser reaproveitado e, dessa forma, o consórcio deixa de captar água subterrânea", conta Simone. Em 2015, a economia de água ultrapassou 1 bilhão de litros.
 
Já a fábrica de Itapissuma (PE) acertou com a Usina São José o envio de efluentes para irrigar 18 hectares de plantação de cana. "O projeto garante a economia de até 1,2 mil m³ de água por dia, que deixam de ser captados do rio Botafogo", calcula.
 
Simone comenta que quase nada é descartado, sendo que subprodutos oriundos da produção da cerveja (lodo, terra e bagaço de malte) têm destinação certa. "A Ambev minimizou os impactos de suas operações no meio ambiente e, ao mesmo tempo, gera ganhos adicionais", afirma.
 
O bagaço do malte e o fermento residual são transformados em ração animal, enquanto a terra descartada após a filtragem da água é usada como matéria-prima para tijolos e o lodo proveniente das estações de tratamento de efluentes vira adubo orgânico.
 
Reconhecimento global
 
Desde 2009, a companhia, em parceria com o Programa Ambiental das Nações Unidas (Unep), premia os melhores projetos para preservação ambiental praticados nas unidades do grupo ao redor do mundo. A premiação ficou no Brasil em três anos desde a criação
 
Em 2014, a Cervejaria Jaguariúna (SP) foi indicada devido à redução no consumo de água em meio a maior crise hídrica do País.
 
Um ano antes, foi a planta de Anápolis (GO) que conquistou o prêmio pela restauração do rio Ribeirão das Antas, promovendo a revitalização da fauna e da flora. A cervejaria se destacou ainda pelo reaproveitamento de 99% de todo do lixo e pela matriz energética calorífica movida praticamente 100% por biomassa.
 
A premiação também foi entregue em 2011 para a Cervejaria Gama (DF) pelo projeto de recuperação e conservação da bacia Corumbá-Paranoá.
 
Fonte: DCI

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

03/12/2019 12:41 - Coca-Cola substitui plástico por papel cartão em multipacks na Europa
27/11/2019 12:47 - Embrapa lança revista da Turma da Mônica sobre consumo sustentável
22/11/2019 15:29 - São Paulo, maior cidade do Brasil, se arma contra os… canudinhos
21/11/2019 13:30 - Comércio de SP recebe bem projeto para proibição de plástico na cidade
21/11/2019 13:26 - Os ensaios em sacolas plásticas
19/11/2019 13:08 - Food in nude: os supermercados da Nova Zelândia que se despediram do plástico
19/11/2019 13:06 - Estudante cria canudos comestíveis
19/11/2019 13:05 - Respondendo a demanda por mais alimentos, carnes sintéticas ganham mercados
18/11/2019 12:49 - Mais sustentável: primeira carne “à base de ar” é criada no mundo
14/11/2019 17:17 - Pesquisa mostra que consumidor busca por embalagens sustentáveis

Veja mais >>>