Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Sustentabilidade

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Sustentabilidade

19/02/2015 10:23 - Sobrevivência de empresas já está em risco

Um racionamento de energia no país não poderá contar com uma redução muito considerável do consumo industrial. O cenário atual é de produção em baixa, preços bem superiores aos pagos em anos anteriores e uma necessidade de melhorar a competitividade em nome da sobrevivência no mercado. Dessa forma, participar de um programa de racionalização, aos moldes do ocorrido em 2001, poderia representar o fechamento de uma série de empresas e conseqüente demissão de centenas de trabalhadores.

"Primeiro os altos custos já tornam inviáveis uma série de atividades, tanto que já existem empresas que fecharam as portas por causa do preço do insumo. Para completar, se tivermos o consumo limitado, o cenário vai ficar ainda pior", afirma o presidente da Regional Vale do Aço da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Luciano Araújo. Ele pondera que, para segmentos eletrointensivos, como o produtor de alumínio, essa realidade é um cenário de difícil sobrevivência.

Para o consultor da LPS Consultoria Energética, Fernando Umbria, um programa de racionalização poderia ser menos nocivo para a economia se implantado em maior proporção na baixa tensão. "Há uma série de medidas possíveis de serem feitas nas residências que surtem efeitos sem afetar no nível de produção.  possível substituir tecnologias, como a implantação de lâmpadas led que são mais econômicas.  possível também reduzir o tempo no banho ou manter os equipamentos desligados quando não estiverem sendo usados. Na indústria, as coisas não são tão simples assim", afirma.

Desligamento - No racionamento implantado em 2001, os consumidores tiveram que reduzir o consumo em 20%. Caso contrário, pagavam um valor mais alto pelos megawatts utilizados além do corte definido. Como resultado, os industriais chegaram a reduzir o consumo em um percentual superior aos 20%. "A redução na época, que parecia ser algo positivo, na verdade indicava uma parada na produção. Fornos foram desligados porque não tem como usar um forno pela metade", observa.

Porém, neste ano a situação seria mais grave porque alguns fornos já foram desligados em decorrência dos custos da energia e do baixo crescimento econômico do país. Ou seja, a queda na produção será em cima de uma base menor, com possíveis repercussões mais graves no crescimento econômico do país. (TL)



Veículo: Diário do Comércio - MG

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

18/10/2019 11:59 - Cerveja Carlsberg lança primeira garrafa de papel do mundo
17/10/2019 11:48 - Uso de canudo pode gerar multa de até R$ 5,3 mil
17/10/2019 11:45 - Consumo consciente ainda é desafio para brasileiros
15/10/2019 12:05 - Unilever vai reduzir uso de embalagens plásticas
15/10/2019 12:05 - Estabelecimentos comerciais do Pará tem prazo para parar de usar sacolas plásticas
14/10/2019 16:42 - Plastivida e Pão de Açúcar lançam Projeto de Reciclagem do Isopor®
14/10/2019 12:07 - Consumidor do varejo busca por marcas sustentáveis
10/10/2019 11:40 - Sustentabilidade é a terceira principal preocupação do consumidor, diz estudo
09/10/2019 17:09 - Coca-Cola produz primeiras garrafas com plástico retirado dos oceanos
09/10/2019 11:50 - Sustentabilidade: empresas se engajam no combate as mudanças climáticas

Veja mais >>>