Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

21/11/2018 11:37 - Ações da Black Friday começaram mais cedo

Dentro de mais um ano difícil para o varejo, os lojistas brasileiros apostam alto na Black Friday, que acontece esta semana. Segundo um estudo da Stilingue, feito a pedido do DCI, o número de marcas que começaram as campanhas mais cedo saltou 90% e as redes sociais foram o caminho para fisgar os consumidores.

 

Os dados do estudo revelam ainda que os segmentos de moda e perfumariam foram os que apresentaram maior incremento na interação virtual para preparar o consumidor das promoções que estava por vir. “Moda e acessórios concentra o maior volume de menções, especialmente com vestidos de festa, blusas, shorts, moda praia, e vestidos”, dizia o relatório da empresa de inteligência artificial.

 

Para o especialista em varejo e professor de comportamento do consumidor Leonardo Casagrande, a Black Friday ocupou um lugar importante no varejo porque mexe com a percepção sobre a compra por impulso. “Quando antes se inicia o assunto Black Friday, antes o consumidor começa a ficar ansioso pelos descontos agressivos, é com isso que a data cria esse clima de ‘o gerente ficou maluco’”, brinca.

 

O estudo da Stilingue vai exatamente nessa direção. Segundo os dados, são três os fatores que motivam o consumidor nesse período de promoções: preço, desejo de compra e cor. Na ordem de importância, o preço é o fator mais levado em conta pelos internautas, com mais de 70% das citações usando o custo como fator determinante. O desejo figura em segundo lugar, com 7% das menções. A cor tem em torno de 5%. “O preço é uma preocupação geral e se reflete na busca por descontos, o desejo é a expressão de querer comprar, enquanto a cor se refere à escolha entre preto, branco, rosa, em smartphones ou em produtos de beleza”, detalham os pesquisadores.

 

O cliente quer te ouvir

 

Outro aspecto que só a internet pode garantir na relação entre marcas e consumidores é a proximidade. Segundo a consultoria, apesar de reclamar por não ter dinheiro, os consumidores brasileiros seguem bem humorados. “Isso abre espaço para que marcas conversem”. Nesse sentido, os consumidores pedem cada vez mais informações indicações e procuraram resenha dos produtos antes de formalizar a compra. “Muitos já entenderam que a conversa pela internet é mais rápida que na loja e é lá que podem conseguir o desejado desconto”.

 

O Instagram, como mídia visual, é seu canal para ver os looks, selfies com produtos de beleza, perguntar para o influencer é #publi ou não (publicidade). Já o Youtube é aonde o usuário pesquisa para entender as características dos produtos e serviços, investigar por meio de especificações mais técnicas. No Twitter, encontramos diversas conversas e recomendações.

 

Fonte: DCI

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

17/12/2018 12:49 - Confiança dos pequenos empresários aumenta para um 2019 mais otimista
14/12/2018 23:13 - Redução de 15% no preço da batata puxa queda do valor da cesta básica em Piracicaba
14/12/2018 23:12 - Setor têxtil projeta margens melhores para o ano que vem
14/12/2018 23:11 - Varejo tenta mensurar real impacto da Black Friday nas vendas natalinas
14/12/2018 23:10 - Índice Cielo mostra alta de 4,4% nas vendas do varejo em novembro
14/12/2018 23:10 - IGP-10 fecha ano com alta acumulada de 7,92% após cair 1,23% em dezembro
14/12/2018 23:09 - Setor de serviços inicia 4º tri com crescimento abaixo do esperado em outubro
13/12/2018 11:49 - Comércio varejista de Campinas registra expansão em novembro
13/12/2018 11:48 - Vendas do comércio caem em outubro pelo 2º mês seguido, aponta IBGE
13/12/2018 11:47 - Vendas no varejo do Brasil recuam 0,4% em outubro, diz IBGE

Veja mais >>>