Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

09/11/2018 11:55 - Consumidor segue cauteloso e frustra planos de retomada do varejo em 2018

A retomada do varejo, esperada pelos empresários já para o Natal deste ano, ainda não deve acontecer. Com consumidores ainda receosos sobre o futuro, a data deve ser marcada pela cautela, tíquete médio baixo e busca por descontos, fatores que vão jogar, novamente, a recuperação do setor para o próximo ano.

 

Neste ano, as vendas ligadas ao período natalino devem somar R$ 53,5 bilhões, segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A cifra, que é 4,9% superior ao registrado ano passado, acompanhará apenas a inflação do período. “Percebemos um nítido de compasso de espera dos consumidores, até mesmo pela falta de definição no que diz respeito à implementação de políticas públicas para o comércio do futuro governo”, disse a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

 

De acordo com ela, mesmo com um resultado pouco pujante, a data ainda é a mais rentável para o varejo no País. “Saímos de uma grande recessão, mas ainda sentimos os efeitos da crise econômica, o que faz com que grande parte dos consumidores primeiro optem por realizar pesquisas de preço antes de comprar algum presente”, complementa.

 

Outro sintoma da postura mais conservadora com gastos por parte do consumidor está atrelada à intenção de compra de presentes. De acordo com um estudo no ano passado, o número de consumidores em dúvida sobre a possibilidade de comprar presente era de 6%. Neste ano a proporção saltou para 19% dos entrevistados pela Confederação.

 

Segundo o levantamento, 85% dos shoppers farão uma pesquisa prévia antes de ir às compras. Desse montante, 67% vão buscar promoções em sites e aplicativos de lojas. “Vemos o crescimento da figura da internet como grande aliada do consumidor na busca por preços menores e promoções”, disse Marcela.

 

No que diz respeito ao tíquete médio, o valor foi impulsionado – artificialmente pela inflação – de R$ 103 para R$ 115,90 entre os dois períodos anuais. Já a intenção compra caiu de 4,55 presentes por pessoa para 4,36 na mesma base de comparação.

 

Pé atrás

 

Cético com relação a retomada do varejo ainda este ano, o fundador da consultoria de varejo Inteligência 360, Olegário Araújo, avalia que a postura dos consumidores reflete os fatores macroeconômicos, como “desemprego alto e endividamento da população”.

 

Para ele, o ambiente mais favorável para o consumo deve ficar para o ano que vem. “Neste ano, os consumidores optarão por itens com o menor desembolso possível”, adianta.

 

Em linha com o comportamento cauteloso do consumidor, a diretora regional da rede de perfumarias Sumirê, Renata Minami, conta que as vendas em 2017 deixaram a desejar, mas pressões como a greve dos caminhoneiros e indefinições políticas e econômicas deste ano impediram uma melhora efetiva as vendas. “Tínhamos a ideia de que esse ano seria muito melhor, mas o setor sofreu algumas baixas. Vamos nos focar no aumento do tíquete médio, como por exemplo ações de ‘na compra de um produto, ganhe outro’”, afirmou Renata. Hoje a média de gasto por cliente fica em R$ 35.

 

Preparando o estoque para o Natal, Renata conta que os itens de maquiagens serão os mais buscados nas gôndolas, já que “Cerca de 95% dos nossos clientes são mulheres entre 19 anos e 50 anos”

 

Quem também está com o estoque pronto para receber os consumidores é a rede de varejo popular Armarinhos Fernando. Segundo o gerente da matriz da rede, Ondamar Ferreira, a expectativa é que o volume de vendas cresça entre 10% e 15%, este ano, com um tíquete médio de R$ 65.

 

De acordo com o executivo, o apelo promocional, que parece conquistar o consumidor, será substituído por reforço no atendimento do cliente e “ilhas” de produtos para estimular as vendas. “Optamos por não realizar promoções, pois já trabalhamos com um preço competitivo e margem baixa sobre cada produto.”

 

Os dois empresários aumentaram a força de trabalho esperando alta na demanda vindas do período natalino.

 

Fonte: DCI

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

21/03/2019 16:08 - Banco Central percebe recuperação do PIB aquém do esperado no Brasil
21/03/2019 16:08 - Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
20/03/2019 15:19 - Vendas recuam 7,9% na primeira quinzena de março, diz ACSP
20/03/2019 15:17 - Indústria paulista tem saldo positivo de 11 mil vagas no 1º bi
20/03/2019 15:17 - Prévia mensal do IGP-M acelera 1,06%
20/03/2019 13:03 - PIB brasileiro cresceu 0,3% de dezembro para janeiro, mostra FGV
19/03/2019 14:57 - Brasil recua em ranking de produção global
19/03/2019 14:55 - IGP-M acelera alta a 1,06% na 2ª prévia de março com pressão maior no atacado e varejo,
19/03/2019 11:56 - Depois da indústria e comércio, serviços encolhem
15/03/2019 14:44 - Setor registra maior número de demissões em janeiro desde 2015

Veja mais >>>