Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

14/03/2017 11:02 - Produtores de tangerina devem ficar atentos a doenças

Mancha-marrom-de-Alternária aparece nessa época

 



Os produtores de tangerina, em Minas Gerais, precisam ficar atentos às doenças que podem acometer os pomares. Uma das principais enfermidades, a Mancha-marrom-de-Alternária apresenta sintomas no período da colheita, que já foi iniciada em alguns municípios do Estado. Além de comprometer o metabolismo da planta, a Mancha-marrom prejudica a aparência e a qualidade dos frutos, causando prejuízos aos produtores de tangerina.

 

 

De acordo com os dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a Mancha-marrom-de-Alternária é provocada pelo fungo Alternaria alternata, que se multiplica em épocas de altas temperaturas e elevada umidade relativa do ar. O fungo libera uma toxina chamada ACT que, uma vez instalada nos pomares, se dissemina entre as folhas e frutos, tornando o combate ao fungo cada vez mais difícil.

 

 

"O pico de multiplicação do fungo acontece entre novembro e março e reduz logo quando termina a estação chuvosa e as temperaturas caem. O produtor precisa ficar atento e buscar formas de prevenir o ingresso do fungo nos pomares de tangerinas. Uma das formas de evitar a contaminação é utilizando mudas sadias, certificadas e resistentes à doença", explicou a pesquisadora da Epamig Ester Alice Ferreira.

 

 

Uma vez instalada, uma das práticas que pode minimizar os prejuízos é a pulverização dos pomares com produtos específicos contra o fungo. A pesquisadora da Epamig destaca que os insumos devem ser registrados e a pulverização feita com acompanhamento técnico. Com o final da colheita da tangerina, que tem pico entre maio e agosto, o recomendado é que os produtores façam a poda das plantas, reduzindo a copa e abrindo espaço para maior passagem de luz. Esta prática contribui para a redução da umidade e dificulta a proliferação do fungo.

 

 

A observação do pomar é considerada fundamental para evitar que a doença se alastre. Os primeiros sintomas são percebidos nas folhas, que passam a apresentar manchas circulares e ovais de coloração marrom ou preta. A doença compromete o metabolismo da planta, o que reduz a produtividade e afeta o desenvolvimento de ramos novos. Nos frutos, as manchas variam de tamanho. Conforme a intensidade do ataque do fungo, as tangerinas podem apresentar gosto de podre, o que inviabiliza a comercialização da produção.

 

 

Ainda segundo Ester, em casos de ataque severo, a doença inviabiliza comercialmente a produção. "O citricultor precisa estar atento e agir assim que forem observados os primeiros sintomas da doença. Em casos graves, a Mancha-marrom-de-Alternária mata a planta e causa prejuízos significativos aos produtores", disse Ester. Produção - Minas Gerais é responsável pela produção anual de 200 mil toneladas de tangerinas, respondendo por 19% do volume nacional. Segundo maior produtor, atrás de São Paulo, o Estado dedica à cultura cerca de 8 mil hectares. A maior produção esta concentrada na região Central, onde a colheita atinge 91 mil toneladas ao ano, representando 46% do volume estadual. Em seguida está o Sul de Minas, região responsável pela produção de 50,6 mil toneladas de tangerinas ao ano.

 

 

 

 

Fonte: Diário do Comércio de Minas Gerais

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

23/06/2017 11:49 - Prévia da inflação oficial fica em 0,16% e é a menor para junho desde 2006
23/06/2017 11:42 - Expectativa de recuperação faz com que empresas pensem em contratar
23/06/2017 11:39 - Expectativa de inflação dos consumidores recua em junho, diz FGV
23/06/2017 11:38 - Propensão a investir recuou em maio
23/06/2017 11:06 - Colheita de café e milho deve avançar com tempo seco
23/06/2017 10:56 - Produto de festa junina banca 39,75% em taxas, diz pesquisa
23/06/2017 10:53 - Dólar opera quase estável nesta sexta, seguindo o dia anterior
22/06/2017 14:14 - BC mantém em 0,5% estimativa de alta do PIB e vê inflação abaixo de 4% em 2017
22/06/2017 14:13 - Com desemprego em alta, 6 em cada 10 jovens buscam profissões tradicionais
22/06/2017 14:11 - Prévia do índice de confiança da indústria sinaliza queda, diz FGV

Veja mais >>>