Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Carnes / Peixes

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Carnes / Peixes

27/11/2019 13:01 - Ecobags podem ajudar a combater os males causados pelo excesso de uso de plástico

Por décadas os governantes priorizaram o desenvolvimento industrial, importante para o crescimento de todo país, mas faltou o planejamento, faltaram estudos profundos sobre impacto ambiental e suas consequências, faltaram leis mais rigorosas para o controle dos poluentes que seriam lançados no ar, no solo ou nos rios.

 

Para citar um exemplo, nos anos 80 e 90 a cidade de Cubatão, litoral sul de São Paulo, foi considerada a mais poluída do mundo, efeitos que a população carrega até hoje, com vários casos de doenças respiratórias e de má formação. Depois de muito planejamento e leis rígidas, as empresas foram obrigadas a investirem em equipamentos e tratamentos em todo o processo de fabricação, até chegar ao descarte dos resíduos. A cidade saiu da lista de mais poluída, para um exemplo de como é possível crescer, sem danificar ou prejudicar o meio ambiente e a comunidade em sua volta.

 

Entre todos os materiais fabricados no mundo, o plástico está entre os maiores poluidores do planeta, desde a sua extração, derivado do petróleo, passa pelo transporte, pela fabricação e finalmente, após ser descartado de maneira errada, chega aos rios e oceanos, matando peixes e poluindo a água.

 

Estudos mostram que é preciso ainda mais cuidado e vigilância, leis foram criadas com a intenção de diminuir o estrago já feito, novas precisam ser criadas, corrigindo aquelas existentes, para se adaptarem aos novos tempos.

 

É preciso atitude imediata, o futuro é amanhã, e depende da ação rápida de todos, no uso da água, pelas indústrias, onde muitos materiais utilizam a água, nas casas, no uso consciente (uma realidade que todos vivem), no ar (ações já estão em estudo), e na terra que produzem os alimentos (solos contaminados por dejetos de grandes indústrias e pela exploração desordenada), e no descarte consciente pelas indústrias e pelos consumidores.

 

Calor, frio, chuva, tudo de maneira exagerada, extremos que vão transformando a vida de todos, o poder de adaptação vai sendo testado dia após dia, até o dia que não será mais possível.

 

Sustentabilidade

 

“Só no Brasil são utilizadas cerca de 12 bilhões de sacolas por ano”

 

De imediato, a maior contribuição ao meio ambiente é a eliminação das sacolas plásticas, elas hoje, são as maiores inimigas da natureza, demoram em média 200 anos para se decomporem, além disso, diminuem a fertilização da terra com a contaminação do solo, matam os peixes nos rios e oceanos.

 

Ainda são usadas e permitidas em muitas cidades do País e, em muitos Países pelo mundo, aos poucos vão perdendo espaço com conscientização através de campanhas, e através de registros feitos em todo o planeta, onde mostram animais e peixes mortos por causa do plástico e seus derivados.

 

A cada minuto, 1 milhão de sacolas plásticas são utilizadas no mundo, segundo a Associação Brasileira de supermercados, são consumidas cerca de 12 bilhões de sacolas por ano, ou seja, um bilhão por mês.

 

Países como Quênia, China, França, Argentina, Itália, Chile, Uganda, África do Sul e Índia já proíbem as sacolas plásticas, aplicando multas e até prisão para quem comercializar o produto.  Bangladesh foi o pioneiro, há 16 anos, sua proibição foi tomada logo após o país passar por duas inundações muito violentas, em 1988 e 1998, dizimando da população do país, tendo as sacolas como culpadas da tragédia pelo entupimento dos bueiros. A capital Dacca descartava, até então, uma média de 9,3 milhões de sacos plásticos todos os dias. Hoje a região é uma das maiores referências na produção das sacolas amigas da natureza no mundo.

 

O Planeta agradece

 

Com a campanha de conscientização e substituição das sacolas plásticas, vários produtos surgiram, a que apresentou o menor impacto ao meio ambiente foram as “Sacolas amigas da Natureza” (Ecobag), elas duram em média cinco (5) anos, e podem substituir aproximadamente seis (6) mil sacolas plásticas. 

Aos poucos a ajuda vai acontecendo, é preciso muito para recuperar o que já foi despejado nos rios e oceanos, um trabalho que, segundo especialistas, levará cerca de 450 anos.

 

Para isso, além da substituição imediata das sacolas plásticas e muitos derivados do plástico, é preciso a educação, desde pequeno, nas escolas e entre as famílias, não jogar sujeiras nas ruas e rios, separar os matérias que podem ser reciclados e fazer os descartes em locais próprios, os números levantados até hoje são absurdos, estão próximos de oito (8) milhões de toneladas por ano.

 

Atitude e conscientização

 

A mudança de atitude também vem dos empresários, de certa maneira forçados pela reação da sociedade, aos poucos os consumidores vão levando suas sacolas recicláveis e consequentemente, diminuindo o pedido e uso das sacolas plásticas, muitos empresários e comerciantes já aderiram ás embalagens ecológicas por vontade própria, ainda existem aqueles que preferem as sacolas plásticas, principalmente pelo baixo custo.

 

Outras empresas entraram na campanha e aproveitam as sacolas ecológicas como forma de publicidade, deixando seus produtos e marcas estampadas nas ecobags, de maneira indireta, ela acaba ajudando na conscientização.

 

Do Mercado à Passarela

 

Começou como conscientização, alternativa sustentável para substituir as nada saudável sacolas plásticas, as sacolas ecologicamente corretas, foram recebendo a devida atenção dos consumidores, e caindo na graça, principalmente das mulheres.

 

As ecobags já não estão somente nos mercados, estão passeando nas escolas, nos escritórios e nas viagens, até o mundo da moda aderiu, entrou na onda ecológica e hoje são usadas nas passarelas pelo mundo a fora.

 

A onda ecológica

 

Dando uma passeada pelas grandes cidades, é fácil encontrar as ecobags, alças grandes ou curtas, atravessadas no pescoço ou pendurada nos ombros, na garupa das bicicletas ou na cestinha do guidão, com estampas chamativas, ou pequenos detalhes, cores suaves ou bem destacadas, as opções oferecidas pelos fabricantes são inúmeras e atendem a todos os gostos, são fabricadas em diferentes tamanhos, formatos e matérias como o PET, sempre ecologicamente corretas.

 

Destaques na fabricação das Ecobags

 

O mercado de sacolas sustentáveis vem crescendo, algumas empresas vão se destacando, tanto pela qualidade dos materiais, como pela variação de seus produtos, vendas em varejo ou no atacado, para revenda ou para eventos promocionais, como citados no artigo, grandes e pequenas empresas aproveitam o momento para divulgarem suas marcas, brindando seus consumidores com as ecobags, outras colocam em suas prateleiras para venda com preços atraentes para incentivar o uso. 

De acordo com dados da Promo Bríndice, a maior feira de brindes da América Latina, o setor de brindes ecológicos teve um crescimento médio de 20% em quatro anos.

 

Fonte: Info Money

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

05/12/2019 13:14 - Preço do boi recua 5% nos primeiros dias de dezembro com pressão de consumidores
27/11/2019 12:59 - Preço da carne assusta os consumidores de Brasília
27/11/2019 12:52 - Carnes de frango e suína seguirão bovina e devem ficar mais caras
26/11/2019 13:01 - Gigantes da carne também querem sua parte do mercado vegetariano
05/11/2019 12:46 - Carne moída sem ingredientes animais lançada pela Fazenda Futuro chega aos mercados
04/10/2019 12:05 - Consumo de carne suína cresceu 30% nos últimos quatro anos no Brasil
03/10/2019 11:43 - Semana Nacional da Carne Suína alcançará 42 milhões de consumidores
11/09/2019 11:06 - Supermercados projetam crescimento de 10% nas vendas durante a Semana do Pescado
04/09/2019 11:17 - Procura por pescado cresce em todo o Brasil
04/09/2019 11:15 - Semana do pescado pode ampliar o consumo de peixes pelo País

Veja mais >>>