Notícias do setor
Economia
RH
Jurídico
Tecnologia
Logística
Marketing
Bazar
Mercearia
Bebidas
Higiene e Beleza
Hortifrútis
Padaria, Confeitaria
Carnes / Peixes
Frios & Laticínios
Congelados
Limpeza
Têxteis/Eletro
Notícias Abras
Geral
Farmácia
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
Internacional
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Higiene e Beleza

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Higiene e Beleza

11/05/2012 12:15 - Johnson para de produzir fraldas

 

A Johnson & Johnson, multinacional americana que tem entre seus carros-chefes a linha de cuidados com o bebê Johnson's baby, encerrou a fabricação e a venda de fraldas descartáveis infantis, no Brasil, no mês passado. De acordo com a companhia, a medida faz parte de sua estratégia global. O país era o último mercado no qual a empresa ainda fabricava o produto.

 

"O mercado de fraldas é importante para a categoria como um todo, mas nos últimos anos a Johnson & Johnson tem focado em outros produtos que tragam mais tecnologia e inovação para o consumidor", informou a companhia ao Valor. No caso de Johnson's baby, há cerca de cinco anos, o foco está nas categorias de cuidados com a pele e cabelos dos bebês. As vendas da J&J cresceram 300% nesses segmentos nos últimos dez anos, segundo dados fornecidos pela empresa.

 

Nos Estados Unidos, a Johnson & Johnson já encerrou a produção e a comercialização de fraldas há mais de vinte anos. No Brasil, a linha de produção na fábrica da empresa em São José dos Campos, no interior de São Paulo, foi desativada no mês passado, após 39 anos de fabricação no país.

 

Nas décadas de 70 e 80, a Johnson & Johnson reinava praticamente sozinha no setor de fraldas infantis no Brasil. A partir de 1990, a empresa ainda liderava com folga, mas foi perdendo espaço rapidamente com a entrada de novos concorrentes, após a abertura do mercado. Em 2002, a J&J tinha uma participação de 10,5% em valor de mercado. Essa fatia diminuiu para 6,5% em 2008 e voltou a crescer, até 2011, quando encerrou com 9%, segundo a Euromonitor.

 

A fabricante brasileira de bens de consumo Hypermarcas chegou a negociar a compra da linha de fraldas da Johnson & Johnson As conversas tiveram início no fim de 2009, mas não avançaram, conforme apurou o Valor na época. Um dos fatores que dificultou a conclusão do negócio foi o fato de a marca de fraldas levar o nome da fabricante americana.

 

Veículo: Valor Econômico

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

22/01/2015 09:33 - Indústrias de cosméticos pedem audiências na Casa Civil e na Fazenda
21/01/2015 10:46 - Verão: Phisalia traz cosméticos e produtos de higiene para crianças de todas as idades
21/01/2015 10:07 - Unilever registra vendas do 4º trimestre pior que o esperado
21/01/2015 10:05 - Imposto vai representar menor lucro no setor
21/01/2015 09:31 - Unilever perde espaço para a P&G
20/01/2015 11:39 - Venda de protetor solar pode crescer 14% em 2015 no Brasil
20/01/2015 09:48 - Arrecadação de cosméticos subirá R$ 381 milhões de junho a dezembro, diz Rachid
15/01/2015 10:35 - Pantene lança tecnologia antioxidante e revela novo entendimento sobre os danos capilares
14/01/2015 09:17 - Sofisticação justifica preço mais alto
13/01/2015 11:25 - Mili apresenta nova linha de fraldas infantis

Veja mais >>>