Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Geral

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Geral

01/11/2017 11:50 - Redução do valor para 2018 preocupa

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) encaminhou para o Congresso Nacional, na última segunda-feira, novas medidas para modificar o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) para o exercício financeiro de 2018.

 

 

Dentre as modificações está a redução de 52,7% no valor inicialmente previsto para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) em 2018. O montante de R$ 550 milhões - previsão divulgada junto com o Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018, em junho - foi reduzido para R$ 260 milhões. A queda na previsão de orçamento do seguro rural desagradou o setor agropecuário, que vai requerer para o próximo ano, pelo menos, a manutenção do valor de R$ 410 milhões previstos para 2017.

 

Segundo a coordenadora da assessoria técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline Veloso, o programa de subvenção do seguro rural é uma política importante para o agricultor e, por isso, precisa de garantia de recurso para atender um maior número de produtores rurais.

 

“Nos surpreende o governo federal apresentar para 2018 um corte no orçamento do seguro. A situação é bastante delicada, porque o seguro é um instrumento que possibilita ao produtor ter uma gestão melhor dos riscos nas fazendas. Hoje, somente 10% da área produtiva do Brasil possuem seguro. A política pública atinge uma área ainda muito pequena. Por isso, é preciso uma reestruturação para garantir este instrumento. Para 2018, vamos buscar apoio para que não ocorra redução no valor da subvenção, queremos, pelo menos, a manutenção dos R$ 410 milhões”, explicou.

 

Ainda segundo Aline, a Faemg, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e as demais federações vão buscar por modificações para que os recursos do Programa de Subvenção deixem de ser passivos a cortes.

 

“Estamos reunindo com a CNA e demais federações representativas dos produtores para garantir os recursos e que eles não sejam cortados. Para isso, é necessária a alteração da escrituração do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural porque enquanto ele for suscetível a cortes, os recursos serão cortados, ainda que sejam extremamente estratégicos e que garantam ao produtor melhor gestão dos riscos. Estamos trabalhando para tentar que os recursos para o programa sejam garantidos, que ele tenha orçamento previsto”.

 

Morosidade - De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), neste ano, foram aprovados para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) cerca de R$ 410 milhões. Deste montante, R$ 32,8 milhões ainda estão contingenciados. É grande a preocupação do setor rural em relação à morosidade na liberação dos recursos.

 

“Ao longo de 2017, a Faemg atuou bastante forte na demanda para manutenção do orçamento do seguro. Conseguimos avanços, mas ainda faltam cerca de R$ 30 milhões a serem liberados para garantir ao produtor a subvenção. É um momento delicado. Caminhamos para o penúltimo mês e esperamos que o recurso seja liberado”.

 

Função estratégica - De acordo com o Mapa, o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) tem função estratégica na produção agrícola e pecuária brasileira, sendo uma forma de o produtor rural se precaver contra as perdas financeiras provocadas pelas adversidades climáticas.

 

Com os recursos disponibilizados, o governo federal arca com uma parcela dos custos de aquisição da apólice de seguro, o que torna mais acessível à contratação por parte dos produtores rurais. O percentual de subvenção varia de 40% a 60% de acordo com as prioridades da política agrícola formulada pelo Mapa. As modalidades de seguro rural amparadas pelo PSR são agrícola, pecuária, florestas e aquícola.

 

O seguro é considerado fundamental por garantir renda aos agricultores caso ocorram perdas nas lavouras, permitindo novos investimentos nas safras seguintes e manutenção da atividade.

 

Fonte: Diário do Comércio de Minas

 

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

16/11/2017 11:31 - Marfrig e Minerva ganham espaço no mercado com crise detonada pela JBS
16/11/2017 11:31 - Governo cria comitê do Plano ABC para monitorar redução de emissões de gases estufa na agropecuária
16/11/2017 11:30 - Arroz: Indústria ativa e retração produtora sustentam valores do casca
14/11/2017 12:04 - Confiança do agronegócio cresce 6 pontos no 3º trimestre
10/11/2017 12:13 - Conab confirma estimativa de alta na produção de soja para próxima safra
10/11/2017 12:03 - Produção aumentará 31% em 2018
09/11/2017 11:18 - Importação de leite do Uruguai preocupa
09/11/2017 11:15 - Suíno: demanda melhora, mas preços permanecem estáveis na semana
08/11/2017 10:03 - Usinas brasileiras avaliam planta que opera com cana e milho para ampliar ciclo de produção
08/11/2017 10:02 - JBS adere ao Refis com dívida de aproximadamente R$ 4,2 bi

Veja mais >>>